news.med.br  -  Saúde
Saúde - 04/08/22
Em maio de 2021 foi uma sancionada uma nova lei ampliando o teste do pezinho no Sistema Único de Saúde1 (SUS). O exame gratuito que até então detectava apenas 6 doenças passou a incluir 14 grupos de doenças, possibilitando identificar um total de 50 doenças nos recém-nascidos. A ampliação do teste deveria ocorrer em um prazo de 1 ano, de modo a estar disponível à população em 26 de maio de 2022, com implementação em 5 etapas. Entretanto, o novo modelo está disponível apenas para uma pequena parcela da população, como na capital de São Paulo e em Brasília, uma vez que nem todos os estados possuem estrutura e recursos para incorporar o teste ampliado. A iniciativa significa um avanço para a população e para o Programa Nacional de Triagem Neonatal, pois o teste detecta precocemente algumas doenças metabólicas sérias, raras e assintomáticas que, se não tratadas a tempo, podem afetar o desenvolvimento do bebê e causar sequelas2 irreversíveis ou até mesmo morte.
1 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
2 Sequelas: 1. Na medicina, é a anomalia consequente a uma moléstia, da qual deriva direta ou indiretamente. 2. Ato ou efeito de seguir. 3. Grupo de pessoas que seguem o interesse de alguém; bando. 4. Efeito de uma causa; consequência, resultado. 5. Ato ou efeito de dar seguimento a algo que foi iniciado; sequência, continuação. 6. Sequência ou cadeia de fatos, coisas, objetos; série, sucessão. 7. Possibilidade de acompanhar a coisa onerada nas mãos de qualquer detentor e exercer sobre ela as prerrogativas de seu direito.
   [Mais...]

Saúde - 29/07/22
A Organização Mundial da Saúde1 (OMS) declarou a varíola dos macacos uma emergência2 de saúde1 global. A decisão segue mais de 18.000 casos relatados de varíola em 78 países este ano. Segundo o relatório atualizado da OMS, em 26 de julho de 2022, um total de 18.081 casos confirmados laboratorialmente e 73 casos prováveis, incluindo 5 mortes, foram relatados à OMS. Desde 13 de maio de 2022, uma alta proporção desses casos foi relatada em países sem transmissão de varíola dos macacos previamente documentada. Esta é a primeira vez que casos e cadeias de transmissão sustentadas são relatados em países sem vínculos epidemiológicos diretos ou imediatos com áreas da África Ocidental ou Central. Designar a varíola dos macacos como uma emergência2 global significa que o surto é sem precedentes, afeta vários países e requer uma resposta internacional coordenada. No Brasil já foram contabilizados 592 casos, a maioria em São Paulo – mas especialistas acreditam que o vírus3 esteja mais espalhado, em meio às dificuldades de teste e diagnóstico4.
1 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
2 Emergência: 1. Ato ou efeito de emergir. 2. Situação grave, perigosa, momento crítico ou fortuito. 3. Setor de uma instituição hospitalar onde são atendidos pacientes que requerem tratamento imediato; pronto-socorro. 4. Eclosão. 5. Qualquer excrescência especializada ou parcial em um ramo ou outro órgão, formada por tecido epidérmico (ou da camada cortical) e um ou mais estratos de tecido subepidérmico, e que pode originar nectários, acúleos, etc. ou não se desenvolver em um órgão definido.
3 Vírus: Pequeno microorganismo capaz de infectar uma célula de um organismo superior e replicar-se utilizando os elementos celulares do hospedeiro. São capazes de causar múltiplas doenças, desde um resfriado comum até a AIDS.
4 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
   [Mais...]

Saúde - 04/07/22
Em uma nova pesquisa apresentada na Reunião Anual de 2022 da Associated Professional Sleep Societies (SLEEP), os pesquisadores fornecem uma visão1 geral do impacto da apneia obstrutiva do sono2 (AOS) e da sonolência diurna no aumento do risco de doença cardiovascular aterosclerótica, sugerindo que a apneia3 do sono pode prever um risco aumentado de eventos cardiovasculares adversos maiores futuros. Foi encontrada maior prevalência4 de aterosclerose5 subclínica em pacientes com AOS (31,3%) em comparação com aqueles sem AOS (19,0%). Em análises longitudinais, foi encontrada uma associação significativa entre AOS e incidência6 de aterosclerose5 subclínica entre aqueles que relataram sonolência diurna excessiva após ajuste para covariáveis. O estudo concluiu que a apneia obstrutiva do sono2, particularmente com sonolência diurna excessiva, prediz a incidência6 e progressão da aterosclerose5 subclínica, um marcador validado de eventos cardiovasculares futuros.
1 Visão: 1. Ato ou efeito de ver. 2. Percepção do mundo exterior pelos órgãos da vista; sentido da vista. 3. Algo visto, percebido. 4. Imagem ou representação que aparece aos olhos ou ao espírito, causada por delírio, ilusão, sonho; fantasma, visagem. 5. No sentido figurado, concepção ou representação, em espírito, de situações, questões etc.; interpretação, ponto de vista. 6. Percepção de fatos futuros ou distantes, como profecia ou advertência divina.
2 Apnéia obstrutiva do sono: Pausas na respiração durante o sono.
3 Apnéia: É uma parada respiratória provocada pelo colabamento total das paredes da faringe que ocorre principalmente enquanto a pessoa está dormindo e roncando. No adulto, considera-se apnéia após 10 segundos de parada respiratória. Como a criança tem uma reserva menor, às vezes, depois de dois ou três segundos, o sangue já se empobrece de oxigênio.
4 Prevalência: Número de pessoas em determinado grupo ou população que são portadores de uma doença. Número de casos novos e antigos desta doença.
5 Aterosclerose: Tipo de arteriosclerose caracterizado pela formação de placas de ateroma sobre a parede das artérias.
6 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
   [Mais...]

Saúde - 20/06/22
Um estudo de caso publicado no NEJM Catalyst Innovations in Care Delivery buscou investigar a eficácia e aceitabilidade de um modelo de atendimento de consulta em grupo virtual (CGV) para o gerenciamento de sintomas1 da menopausa2. O desfecho primário foi o questionário Qualidade de Vida Específica da Menopausa2; as pontuações melhoraram em 52%, com melhora dos sintomas1 psicossociais e sexuais em 55% e 63%, respectivamente. Todas as participantes relataram que eram propensas ou extremamente propensas a recomendar o serviço a amigas e familiares. A modalidade de consulta em grupo virtual é projetada como um método econômico para fornecer educação e tratamento da menopausa2 e promove o acesso simplificado e oportuno aos serviços. Os resultados levaram à expansão do programa e justificam mais pesquisas experimentais do uso de consulta em grupo virtual no tratamento da menopausa2.
1 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
2 Menopausa: Estado fisiológico caracterizado pela interrupção dos ciclos menstruais normais, acompanhada de alterações hormonais em mulheres após os 45 anos.
   [Mais...]

Saúde - 14/06/22
A substituição de genes defeituosos por genes saudáveis permitiu que várias crianças com distúrbios genéticos raros tivessem experiências típicas de vida, como frequentar a escola e morar com suas famílias, mostrou um novo estudo apresentado na reunião anual da Sociedade Americana de Terapia Gênica e Celular. Segundo os pesquisadores, crianças com algumas condições genéticas raras que teriam morrido com apenas alguns anos de idade agora podem ter expectativas de vida típicas devido à terapia de reposição genética. Eles estão testando uma terapia genética – na qual versões de genes causadoras de doenças são substituídas por versões que funcionam normalmente – para uma condição rara na qual as células1 imunes não podem viajar para o local de uma ferida ou lesão2, chamada deficiência de adesão leucocitária tipo 1 (LAD-1). O tratamento conferiu correção genética e melhora do curso clínico em 9 de 9 pacientes tratados no estudo de fase 1/2. Este é apenas um resultado promissor de um ensaio clínico para várias terapias de substituição de genes.
1 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
2 Lesão: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
   [Mais...]

Saúde - 26/05/22
A varíola dos macacos (monkeypox em inglês), um vírus1 descoberto em macacos em 1958 e que se espalhou para humanos em 1970, agora está sendo visto em números pequenos, mas crescentes, na Europa Ocidental e na América do Norte. Uma notícia publicada no The British Medical Journal resumiu o que se sabe até agora. Os números de casos parecem estar aumentando diariamente, embora ainda sejam baixos. A transmissão entre pessoas ocorre principalmente através de grandes gotículas respiratórias, normalmente significando contato prolongado face2 a face2. Mas o vírus1 também pode se espalhar através de fluidos corporais. Os sintomas3 podem incluir febre4, dor de cabeça5, dores musculares, dores nas costas6, linfonodos7 inchados, calafrios8 e exaustão. Normalmente, uma erupção9 cutânea10 se desenvolve, que geralmente começa no rosto, mas pode se espalhar para outras áreas, como os genitais. Embora não existam tratamentos específicos para a varíola dos macacos, a vacina11 contra a varíola comum e certos antivirais podem ser usados para controlar surtos.
1 Vírus: Pequeno microorganismo capaz de infectar uma célula de um organismo superior e replicar-se utilizando os elementos celulares do hospedeiro. São capazes de causar múltiplas doenças, desde um resfriado comum até a AIDS.
2 Face: Parte anterior da cabeça que inclui a pele, os músculos e as estruturas da fronte, olhos, nariz, boca, bochechas e mandíbula.
3 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
4 Febre: É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
5 Cabeça:
6 Costas:
7 Linfonodos: Gânglios ou nodos linfáticos.
8 Calafrios: 1. Conjunto de pequenas contrações da pele e dos músculos cutâneos ao longo do corpo, muitas vezes com tremores fortes e palidez, que acompanham uma sensação de frio provocada por baixa temperatura, má condição orgânica ou ainda por medo, horror, nojo, etc. 2. Sensação de frio e tremores fortes, às vezes com bater de dentes, que precedem ou acompanham acessos de febre.
9 Erupção: 1. Ato, processo ou efeito de irromper. 2. Aumento rápido do brilho de uma estrela ou de pequena região da atmosfera solar. 3. Aparecimento de lesões de natureza inflamatória ou infecciosa, geralmente múltiplas, na pele e mucosas, provocadas por vírus, bactérias, intoxicações, etc. 4. Emissão de materiais magmáticos por um vulcão (lava, cinzas etc.).
10 Cutânea: Que diz respeito à pele, à cútis.
11 Vacina: Tratamento à base de bactérias, vírus vivos atenuados ou seus produtos celulares, que têm o objetivo de produzir uma imunização ativa no organismo para uma determinada infecção.
   [Mais...]

Saúde - 13/05/22
Mulheres com histórico de enxaqueca1 apresentaram maiores riscos de complicações na gravidez2, mostraram dados do grande estudo prospectivo3 Nurses' Health Study II. Em modelos ajustados para idade, adiposidade e fatores comportamentais e de saúde4, as mulheres com enxaqueca1 pré-gravidez2 tiveram maiores riscos de parto prematuro, hipertensão5 gestacional e pré-eclâmpsia6 em comparação com mulheres que não tiveram enxaqueca1 pré-gravidez2, relataram os pesquisadores em uma apresentação na reunião anual de 2022 da American Academy of Neurology. Em comparação com mulheres sem enxaqueca1 antes da gestação, o risco de pré-eclâmpsia6 foi maior entre aquelas que tiveram enxaqueca1 com aura versus enxaqueca1 sem aura. Essas descobertas sugerem que o histórico de enxaqueca1 antes da gravidez2 pressagia um risco aumentado de pré-eclâmpsia6 e outras complicações e pode ser um fator clinicamente importante para os médicos considerarem ao avaliar e gerenciar os riscos obstétricos.
1 Enxaqueca: Sinônimo de migrânea. É a cefaléia cuja prevalência varia de 10 a 20% da população. Ocorre principalmente em mulheres com uma proporção homem:mulher de 1:2-3. As razões para esta preponderância feminina ainda não estão bem entendidas, mas suspeita-se de alguma relação com o hormônio feminino. Resulta da pressão exercida por vasos sangüíneos dilatados no tecido nervoso cerebral subjacente. O tratamento da enxaqueca envolve normalmente drogas vaso-constritoras para aliviar esta pressão. No entanto, esta medicamentação pode causar efeitos secundários no sistema circulatório e é desaconselhada a pessoas com problemas cardiológicos.
2 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
3 Prospectivo: 1. Relativo ao futuro. 2. Suposto, possível; esperado. 3. Relativo à preparação e/ou à previsão do futuro quanto à economia, à tecnologia, ao plano social etc. 4. Em geologia, é relativo à prospecção.
4 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
5 Hipertensão: Condição presente quando o sangue flui através dos vasos com força maior que a normal. Também chamada de pressão alta. Hipertensão pode causar esforço cardíaco, dano aos vasos sangüíneos e aumento do risco de um ataque cardíaco, derrame ou acidente vascular cerebral, além de problemas renais e morte.
6 Pré-eclâmpsia: É caracterizada por hipertensão, edema (retenção de líquidos) e proteinúria (presença de proteína na urina). Manifesta-se na segunda metade da gravidez (após a 20a semana de gestação) e pode evoluir para convulsão e coma, mas essas condições melhoram com a saída do feto e da placenta. No meio médico, o termo usado é Moléstia Hipertensiva Específica da Gravidez. É a principal causa de morte materna no Brasil atualmente.
   [Mais...]

Saúde - 09/05/22
Desde que a Organização Mundial de Saúde1 (OMS) publicou um comunicado sobre o surto de hepatite2 aguda de etiologia3 desconhecida no Reino Unido em 15 de abril de 2022, tem havido contínuos novos relatos de casos de hepatite2 aguda de origem desconhecida em crianças pequenas. Ainda não está claro se houve um aumento nos casos de hepatite2 ou um aumento na conscientização sobre casos de hepatite2 que ocorrem na taxa esperada, mas não são detectados. Até 21 de abril de 2022, pelo menos 169 casos de hepatite2 aguda de origem desconhecida foram relatados em 12 países. Os casos têm idade entre 1 mês e 16 anos. Dezessete crianças (aproximadamente 10%) necessitaram de transplante de fígado4; pelo menos uma morte foi relatada. A síndrome5 clínica entre os casos identificados é a hepatite2 aguda (inflamação6 do fígado4) com enzimas hepáticas7 acentuadamente elevadas. Embora o adenovírus seja uma hipótese possível, as investigações estão em andamento para o agente causador.
1 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
2 Hepatite: Inflamação do fígado, caracterizada por coloração amarela da pele e mucosas (icterícia), dor na região superior direita do abdome, cansaço generalizado, aumento do tamanho do fígado, etc. Pode ser produzida por múltiplas causas como infecções virais, toxicidade por drogas, doenças imunológicas, etc.
3 Etiologia: 1. Ramo do conhecimento cujo objeto é a pesquisa e a determinação das causas e origens de um determinado fenômeno. 2. Estudo das causas das doenças.
4 Fígado: Órgão que transforma alimento em energia, remove álcool e toxinas do sangue e fabrica bile. A bile, produzida pelo fígado, é importante na digestão, especialmente das gorduras. Após secretada pelas células hepáticas ela é recolhida por canalículos progressivamente maiores que a levam para dois canais que se juntam na saída do fígado e a conduzem intermitentemente até o duodeno, que é a primeira porção do intestino delgado. Com esse canal biliar comum, chamado ducto hepático, comunica-se a vesícula biliar através de um canal sinuoso, chamado ducto cístico. Quando recebe esse canal de drenagem da vesícula biliar, o canal hepático comum muda de nome para colédoco. Este, ao entrar na parede do duodeno, tem um músculo circular, designado esfíncter de Oddi, que controla o seu esvaziamento para o intestino.
5 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
6 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
7 Enzimas hepáticas: São duas categorias principais de enzimas hepáticas. A primeira inclui as enzimas transaminasas alaninoaminotransferase (ALT ou TGP) e a aspartato aminotransferase (AST ou TOG). Estas são enzimas indicadoras do dano às células hepáticas. A segunda categoria inclui certas enzimas hepáticas como a fosfatase alcalina (FA) e a gamaglutamiltranspeptidase (GGT) as quais indicam obstrução do sistema biliar, quer seja no fígado ou nos canais maiores da bile que se encontram fora deste órgão.
   [Mais...]

Saúde - 24/03/22
Uma nova pesquisa, publicada no jornal científico Nutrients, teve como objetivo revisar o estado da arte sobre as consequências do consumo de café nos diferentes níveis do trato gastrointestinal. Em algumas etapas do processo digestivo, os efeitos do consumo de café parecem bastante claros. É o caso da estimulação da secreção de ácido gástrico1, estimulação da secreção biliar e pancreática, redução do risco de cálculos biliares, estimulação da motilidade cólica e alterações na composição da microbiota2 intestinal. Outros aspectos ainda são controversos, como a possibilidade do café afetar o refluxo gastroesofágico3, úlceras4 pépticas e doenças inflamatórias intestinais. A revisão, que avaliou 196 estudos de referência, relata as evidências disponíveis em diferentes tópicos e identifica as áreas que mais se beneficiariam de estudos adicionais.
1 Ácido Gástrico: Ácido clorídrico presente no SUCO GÁSTRICO.
2 Microbiota: Em ecologia, chama-se microbiota ao conjunto dos microrganismos que habitam um ecossistema, principalmente bactérias, protozoários e outros microrganismos que têm funções importantes na decomposição da matéria orgânica e, portanto, na reciclagem dos nutrientes. Fazem parte da microbiota humana uma quantidade enorme de bactérias que vivem em harmonia no organismo e auxiliam a ação do sistema imunológico e a nutrição, por exemplo.
3 Refluxo gastroesofágico: Presença de conteúdo ácido proveniente do estômago na luz esofágica. Como o dito órgão não está adaptado fisiologicamente para suportar a acidez do suco gástrico, pode ser produzida inflamação de sua mucosa (esofagite).
4 Úlceras: Feridas superficiais em tecido cutâneo ou mucoso que podem ocorrer em diversas partes do organismo. Uma afta é, por exemplo, uma úlcera na boca. A úlcera péptica ocorre no estômago ou no duodeno (mais freqüente). Pessoas que sofrem de estresse são mais susceptíveis a úlcera.
   [Mais...]

Saúde - 02/02/22
O distúrbio neurológico funcional (DNF), anteriormente considerado como um diagnóstico1 de exclusão, agora é um diagnóstico1 de inclusão com os tratamentos disponíveis. Isso representa um grande passo para desestigmatizar o transtorno, que muitas vezes foi questionado e considerado intratável. O DNF é prevalente, geralmente afetando adultos jovens e de meia idade, e pode causar incapacidade grave em alguns indivíduos. Um diagnóstico1 precoce, com acesso subsequente a tratamentos reabilitativos e/ou psicológicos baseados em evidências, pode promover a recuperação, embora nem todos os pacientes respondam aos tratamentos atualmente disponíveis. Esta revisão, publicada pelo The British Medical Journal, apresenta os avanços mais recentes no uso de sinais2 de exames de inclusão validados para orientar o diagnóstico1 e a variedade de abordagens terapêuticas disponíveis para cuidar de pacientes com DNF.
1 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
2 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
   [Mais...]

» 18/01/2022 - Menos de 20% dos pacientes com diabetes atingem as metas de saúde do coração
» 25/10/2021 - American Heart Association lança orientação sobre estratégias de perda de peso para combater a hipertensão da obesidade
» 21/10/2021 - Reino Unido introduz fortificação da farinha com ácido fólico para prevenir defeitos do tubo neural em bebês
» 11/10/2021 - Uso de paracetamol durante a gravidez pode alterar o desenvolvimento fetal
» 05/10/2021 - Os anticorpos neutralizantes do leite materno podem proteger os bebês da infecção por covid-19
» 24/09/2021 - Mulheres e doenças cardiovasculares: recomendações para redução da carga global até 2030
» 13/09/2021 - Estudo estima que o gerenciamento ideal após um ataque cardíaco pode prolongar os anos saudáveis de vida de um paciente em mais de 7 anos
» 31/08/2021 - 1,28 bilhão de pessoas vivem com hipertensão e mais de 700 milhões de pessoas tem hipertensão não tratada
» 31/08/2021 - Organização Mundial da Saúde revisa as diretrizes para o tratamento farmacológico da hipertensão em adultos
» 24/08/2021 - A apneia obstrutiva do sono é comum em crianças e pode afetar a pressão arterial e a saúde do coração


Visualizar: Títulos | Resumos
  • Entrar
  • Receber conteúdos