Gostou do artigo? Compartilhe!

Pesquisadores recomendam cautela ao tomar novos medicamentos para obesidade e pílulas anticoncepcionais

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Milhões de pessoas estão tomando novos medicamentos injetáveis para perder peso ou controlar o açúcar1 no sangue2, mas os médicos alertam para gravidezes indesejadas em algumas pacientes que tomam Mounjaro juntamente com contraceptivos orais.

Para as mulheres obesas, a vida diária é marcada por minas terrestres. Quer se trate dos desafios das viagens aéreas porque os assentos dos aviões são muito pequenos, da necessidade de se protegerem dos olhos3 discriminadores do mundo, ou dos grandes esforços que muitas irão percorrer para alcançar uma saúde4 melhor e a promessa de longevidade, viver a vida como uma pessoa obesa requer uma casca grossa para não se deixar chatear facilmente.

Portanto, não é de admirar que tantas pessoas estejam dispostas a pagar mais de 1.000 dólares por mês do próprio bolso para obter medicamentos como a semaglutida (Ozempic e Wegovy) ou a tirzepatida (Mounjaro). Os benefícios desses medicamentos, que fazem parte de uma nova classe chamada agonistas do receptor de GLP-1, incluem perda de peso rápida e significativa, controle do açúcar1 no sangue2 e melhoria da qualidade de vida; são sem precedentes num ambiente onde a cirurgia há muito tem sido considerada a opção mais eficaz a longo prazo.

Por outro lado, o desejo de uma rápida perda de peso e de um melhor controle do açúcar1 no sangue2 também acarreta um custo inesperado. Muitas mulheres que vivem com obesidade5 e que tomam contraceptivos orais não sabem que estes medicamentos – especialmente Mounjaro – podem interferir com a absorção das pílulas anticoncepcionais e com o seu bom funcionamento, aumentando a probabilidade de uma gravidez6 indesejada.

Neel Shah, MD, endocrinologista7 e professor associado do Centro de Ciências da Saúde4 da Universidade do Texas, em Houston, disse que várias pacientes engravidaram sem querer.

“Foi quando Mounjaro foi lançado no mercado quando começamos a usá-lo”, disse ele sobre o medicamento aprovado pela FDA para diabetes tipo 28 em 2022. “O aviso estava na bula do produto, mas clinicamente falando, eu não sei se isso estava na mente dos médicos quando eles prescreveram Mounjaro.”

Quando questionado se ele acreditava que veríamos um aumento significativo nos chamados bebês9 Mounjaro, Shah teve certeza em sua resposta.

“Absolutamente. Veremos isso porque o grande volume de pacientes aumentará ainda mais”, disse ele.

Leia sobre "O perigo dos remédios para emagrecer", "Pílulas anticoncepcionais - como agem" e "A gravidez6 desejada e a não desejada".

Está tudo no intestino

Uma das maneiras pelas quais medicamentos como o Mounjaro atuam é retardando o tempo que leva para o alimento passar do estômago10 para o intestino delgado11. Embora os dados ainda estejam em evolução, acredita-se que esse processo – retardo no esvaziamento gástrico – possa afetar a absorção das pílulas anticoncepcionais.

Shah disse que outra teoria é que o vômito12, que é um efeito colateral13 comum desses tipos de medicamentos, também afeta a capacidade dos comprimidos de prevenir a gravidez6.

E “há um período prolongado de aumento da dose devido aos efeitos colaterais14 gastrointestinais”, disse Pinar Kodaman, MD, PhD, endocrinologista7 reprodutiva e professora assistente de ginecologia na Escola de Medicina de Yale.

“Inicialmente, na dose mais baixa, pode não haver muito efeito potencial na absorção e no esvaziamento gástrico. Mas à medida que a dose aumenta, torna-se mais comum e pode causar diarreia15, que é outra condição que pode afetar a absorção de qualquer medicamento”, disse ela.

Resultados imprevistos, prevenção extra

Aproximadamente 42% das mulheres nos EUA são obesas, 40% das quais têm entre 20 e 39 anos. Embora esses novos medicamentos possam melhorar os resultados de fertilidade para mulheres obesas (especialmente aquelas com síndrome16 dos ovários17 policísticos, ou SOP), apenas um – Mounjaro – atualmente traz um aviso em sua bula sobre a possibilidade de alterar a eficácia da pílula anticoncepcional.

Infelizmente, parece que alguns médicos não têm conhecimento ou não aconselham as pacientes sobre este risco, e os dados não são claros sobre se outros medicamentos desta classe, como o Ozempic e o Wegovy, apresentam os mesmos riscos.

“Até o momento, não tem sido algo típico sobre o qual aconselhamos”, disse Kodaman. “É tudo relativamente novo, mas quando temos pacientes que tomam pílulas anticoncepcionais, revisamos outros medicamentos que elas tomam porque alguns podem afetar a eficácia, e é algo para se ter em mente”.

Também não está claro se outras formas de controle de natalidade – por exemplo, adesivos anticoncepcionais aplicados através da pele18 – podem apresentar riscos de gravidez6 semelhantes. Shah disse que algumas de suas pacientes que engravidaram sem intenção estavam usando esses adesivos. Isto levanta ainda mais questões, uma vez que eles transportam medicamentos através da pele18 diretamente para a corrente sanguínea e não através do sistema gastrointestinal.

Então, o que as mulheres podem fazer para ajudar a garantir que não engravidarão enquanto usam estes medicamentos?

“Eu realmente acho que se as pacientes quiserem se proteger de uma gravidez6 não planejada, assim que iniciarem os agonistas dos receptores de GLP, não seria uma má ideia usar preservativos, porque o início de ação é muito rápido”, disse Kodaman, observando também que “na dose mais baixa, pode não haver muito efeito potencial no esvaziamento gástrico. Mas à medida que a dose aumenta, torna-se muito mais comum ou pode causar diarreia15.”

Shah disse que, em seu consultório, ele “tem dito às pacientes para adicionarem contracepção19 de barreira” 4 semanas antes de iniciarem a primeira dose “e em qualquer ajuste de dose”.

Zoobia Chaudhry, médica em medicina da obesidade5 e professora assistente de medicina na Escola de Medicina Johns Hopkins, recomenda que “as pacientes apenas se certifiquem de que a injeção20 e a medicação que tomam tenham pelo menos 1 hora de intervalo”.

“Na maioria das vezes, as pacientes tomam anticoncepcionais antes de dormir, então, se os dois forem espaçados, tudo bem”, disse ela.

Veja também sobre "Obesidade5", "Anticoncepção — métodos reversíveis e métodos irreversíveis" e "Consequências do emagrecimento rápido".

Outra opção é as mulheres conversarem com seus médicos sobre outras opções contraceptivas, como DIU, onde a absorção gástrica não será um problema.

“Há muito pouca investigação sobre esta classe de medicamentos”, disse Emily Goodstein, de 40 anos, proprietária de uma pequena empresa em Washington, DC, que recentemente mudou do Ozempic para o Mounjaro. “Ser uma pessoa que vive em um corpo maior é uma experiência horrível por causa da forma como o mundo discrimina você.”

Ela aprecia a sensação de proatividade que esses novos medicamentos proporcionam. Isso “abriu uma série de oportunidades para que eu fosse vista como um indivíduo pleno pelo sistema médico”, disse ela. “Eu estava disposta a correr o risco, sabendo que tomaria esses medicamentos pelo resto da minha vida.”

Além de ser o que Goodstein chama de cobaia, ela disse que se certificou de que seu médico de atenção primária estivesse ciente de que ela não estava tentando ou planejando engravidar novamente. (Ela tem um filho de 3 anos.) Mesmo assim, o médico mencionou apenas os efeitos colaterais14 mais comuns associados a esses medicamentos, como náuseas21, vômitos22 e diarreia15, e não mencionou o risco de gravidez6.

“As pessoas realmente não estão falando sobre as implicações reprodutivas”, disse ela, referindo-se aos membros de um grupo do Facebook sobre esses medicamentos ao qual ela pertence.

Assim como os próprios pacientes, muitos médicos estão apenas começando a abraçar esses agentes. “A conscientização, a educação, o envolvimento dos profissionais e a presença de uma equipe multidisciplinar podem ajudar os pacientes a atingir os objetivos que estabeleceram para si mesmos”, disse Shah.

Conversas claras são fundamentais.

 

Fonte: WebMD, publicação em 18 de outubro de 2023.

 

NEWS.MED.BR, 2023. Pesquisadores recomendam cautela ao tomar novos medicamentos para obesidade e pílulas anticoncepcionais. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/saude/1461025/pesquisadores-recomendam-cautela-ao-tomar-novos-medicamentos-para-obesidade-e-pilulas-anticoncepcionais.htm>. Acesso em: 27 mai. 2024.

Complementos

1 Açúcar: 1. Classe de carboidratos com sabor adocicado, incluindo glicose, frutose e sacarose. 2. Termo usado para se referir à glicemia sangüínea.
2 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
3 Olhos:
4 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
5 Obesidade: Condição em que há acúmulo de gorduras no organismo além do normal, mais severo que o sobrepeso. O índice de massa corporal é igual ou maior que 30.
6 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
7 Endocrinologista: Médico que trata pessoas que apresentam problemas nas glândulas endócrinas.
8 Diabetes tipo 2: Condição caracterizada por altos níveis de glicose causada tanto por graus variáveis de resistência à insulina quanto por deficiência relativa na secreção de insulina. O tipo 2 se desenvolve predominantemente em pessoas na fase adulta, mas pode aparecer em jovens.
9 Bebês: Lactentes. Inclui o período neonatal e se estende até 1 ano de idade (12 meses).
10 Estômago: Órgão da digestão, localizado no quadrante superior esquerdo do abdome, entre o final do ESÔFAGO e o início do DUODENO.
11 Intestino delgado: O intestino delgado é constituído por três partes: duodeno, jejuno e íleo. A partir do intestino delgado, o bolo alimentar é transformado em um líquido pastoso chamado quimo. Com os movimentos desta porção do intestino e com a ação dos sucos pancreático e intestinal, o quimo é transformado em quilo, que é o produto final da digestão. Depois do alimento estar transformado em quilo, os produtos úteis para o nosso organismo são absorvidos pelas vilosidades intestinais, passando para os vasos sanguíneos.
12 Vômito: É a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Pode ser classificado como: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
13 Efeito colateral: 1. Ação não esperada de um medicamento. Ou seja, significa a ação sobre alguma parte do organismo diferente daquela que precisa ser tratada pelo medicamento. 2. Possível reação que pode ocorrer durante o uso do medicamento, podendo ser benéfica ou maléfica.
14 Efeitos colaterais: 1. Ação não esperada de um medicamento. Ou seja, significa a ação sobre alguma parte do organismo diferente daquela que precisa ser tratada pelo medicamento. 2. Possível reação que pode ocorrer durante o uso do medicamento, podendo ser benéfica ou maléfica.
15 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
16 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
17 Ovários: São órgãos pares com aproximadamente 3cm de comprimento, 2cm de largura e 1,5cm de espessura cada um. Eles estão presos ao útero e à cavidade pelvina por meio de ligamentos. Na puberdade, os ovários começam a secretar os hormônios sexuais, estrógeno e progesterona. As células dos folículos maduros secretam estrógeno, enquanto o corpo lúteo produz grandes quantidades de progesterona e pouco estrógeno.
18 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
19 Contracepção: Qualquer processo que evite a fertilização do óvulo ou a implantação do ovo. Os métodos de contracepção podem ser classificados de acordo com o seu objetivo em barreiras mecânicas ou químicas, impeditivas de nidação e contracepção hormonal.
20 Injeção: Infiltração de medicação ou nutrientes líquidos no corpo através de uma agulha e seringa.
21 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
22 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
Gostou do artigo? Compartilhe!