Gostou do artigo? Compartilhe!

Novo sistema de pontuação de qualidade alimentar de carboidratos reflete diretrizes dietéticas

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

O novo Índice de Qualidade Alimentar de Carboidratos, divulgado na revista científica Nutrients, visa apoiar formuladores de políticas e pesquisadores com um quadro nutricional completo sobre alimentos ricos em carboidratos.

Um grande desafio para pesquisadores e formuladores de políticas tem sido encontrar uma métrica que capture o que os alimentos ricos em carboidratos realmente oferecem. O índice glicêmico, uma medida da rapidez com que o corpo converte carboidratos em açúcares simples, é uma ferramenta para o controle do diabetes1, mas tornou-se um atalho para a qualidade dos carboidratos de forma mais ampla.

No entanto, estudos questionaram a validade dessa abordagem, e o último projeto de orientação nutricional da Organização Mundial da Saúde2 (OMS) recomenda contra seu uso como medida da qualidade dos carboidratos.

Leia sobre "Alimentos com carboidratos e como agem no organismo", "Nutrientes" e "O que é uma alimentação saudável".

Agora, os cientistas desenvolveram um esquema de classificação que corresponde mais de perto às recomendações das Diretrizes Dietéticas para Americanos (DGA) do governo dos EUA. O Índice de Qualidade Alimentar de Carboidratos (CFQS, do inglês Carbohydrate Food Quality Score) é dividido em dois modelos – um para não grãos, como frutas e vegetais (CFQS-4) e outro para produtos de grãos, como pães, arroz e massas (CFQS-5).

Considerados juntos, os desenvolvedores do sistema argumentam que ele captura as nuances nutricionais de todo o mundo heterogêneo dos carboidratos. Dessa forma, o CFQS poderia ajudar a informar políticas, bem como o desenho de estudos sobre ingestão alimentar e seu impacto na saúde2 humana.

No relatório publicado, os especialistas relatam que as métricas existentes de qualidade de alimentos com carboidratos têm sido baseadas, em sua maior parte, em proporções favoráveis de fibra e açúcar3 livre para carboidratos. Nessas métricas, alimentos com carboidratos de maior qualidade nutricional são definidos como aqueles com >10% de fibra e <10% de açúcar3 livre por 100 g de carboidrato4.

Embora as métricas baseadas em fibras e açúcar3 possam ajudar a diferenciar a qualidade nutricional de vários tipos de produtos de grãos, elas podem não captar adequadamente a qualidade nutricional de outros alimentos saudáveis com carboidratos, incluindo feijões, legumes, vegetais e frutas. As métricas de qualidade alimentar de carboidratos precisam ser aplicáveis a esses diversos grupos de alimentos.

Este relatório apresenta um novo sistema de pontuação de alimentos com carboidratos conhecido como Índice de Qualidade Alimentar de Carboidratos (CFQS), que complementa os componentes de fibra e açúcar3 livre de métricas anteriores com componentes dietéticos adicionais de interesse para a saúde2 pública (por exemplo, sódio, potássio e grãos integrais), conforme identificado pelas Diretrizes Dietéticas para Americanos.

Dois modelos CFQS são desenvolvidos e testados neste estudo: um que inclui quatro componentes dietéticos (CFQS-4: fibras, açúcares livres, sódio, potássio) e outro que considera cinco componentes dietéticos (CFQS-5: fibras, açúcares livres, sódio, potássio e grãos integrais). Esses modelos são aplicados a 2.596 alimentos com carboidratos no banco de dados de alimentos e nutrientes para estudos dietéticos (FNDDS) 2017-2018.

Consistente com estudos anteriores, o novo sistema de pontuação de alimentos com carboidratos coloca grandes porcentagens de feijões, vegetais e frutas entre os alimentos com carboidratos de maior pontuação. O componente de grãos integrais, que se aplica apenas a alimentos de grãos (N = 1.561), identifica cereais prontos para consumo, aveia, outros cereais cozidos e pães e biscoitos integrais selecionados como alimentos com carboidratos de qualidade mais elevada.

O novo sistema de pontuação de alimentos com carboidratos mostra uma alta correlação com o índice Nutrient Rich Food (NRF9.3) e o Nutri-Score.

As métricas de qualidade alimentar de carboidratos que incorporam grãos integrais, potássio e sódio, além de açúcar3 e fibras, estão estrategicamente alinhadas com várias recomendações dietéticas de 2020-2025 e podem, portanto, ajudar na implementação de diretrizes alimentares atuais e futuras.

Veja também sobre "Macronutrientes5", "Micronutrientes6", "Alimentos ricos em fibras" e "O papel orgânico das vitaminas".

 

Fonte: Nutrients, publicação em 02 de abril de 2022.

 

NEWS.MED.BR, 2023. Novo sistema de pontuação de qualidade alimentar de carboidratos reflete diretrizes dietéticas. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/saude/1441465/novo-sistema-de-pontuacao-de-qualidade-alimentar-de-carboidratos-reflete-diretrizes-dieteticas.htm>. Acesso em: 25 jun. 2024.

Complementos

1 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
2 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
3 Açúcar: 1. Classe de carboidratos com sabor adocicado, incluindo glicose, frutose e sacarose. 2. Termo usado para se referir à glicemia sangüínea.
4 Carboidrato: Um dos três tipos de nutrientes dos alimentos, é um macronutriente. Os alimentos que possuem carboidratos são: amido, açúcar, frutas, vegetais e derivados do leite.
5 Macronutrientes: Os macronutrientes fornecem as calorias aos alimentos. São eles: carboidratos, proteínas e lipídeos.
6 Micronutrientes: No grupo dos micronutrientes estão as vitaminas e os minerais. Esses nutrientes estão presentes nos alimentos em pequenas quantidades e são indispensáveis para o funcionamento adequado do nosso organismo. Exemplos: cálcio, ferro, sódio, etc.
Gostou do artigo? Compartilhe!