news.med.br
Medical Journal - 21/06/21
A lesão1 hepática2 aguda causada por overdose intencional de paracetamol (acetaminofeno) é bem conhecida; entretanto, a lesão1 hepática2 aguda causada por dosagem terapêutica3 é menos bem definida. Neste estudo, publicado no jornal científico Hepatology, observou-se que todos os casos de lesão1 hepática2 aguda com doses terapêuticas de paracetamol foram associados com consumo excessivo de álcool ou jejum (ou seja, ≥24 horas sem comida antes da admissão). A maioria dos pacientes (93%) usava álcool em excesso (ingestão mediana de 80 g/dia) e quase metade estava em jejum por pelo menos um dia antes da admissão. Em comparação com pacientes com overdose, os pacientes com lesão1 hepática2 aguda causada por doses terapêuticas tiveram lesão1 hepática2 mais grave e menor sobrevida4. Um alerta deve ser emitido sobre o uso repetido de doses não tóxicas de paracetamol em pacientes com esses fatores de risco.
1 Lesão: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
2 Hepática: Relativa a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
3 Terapêutica: Terapia, tratamento de doentes.
4 Sobrevida: Prolongamento da vida além de certo limite; prolongamento da existência além da morte, vida futura.
   [Mais...]

Medical Journal - 21/06/21
A adesão aos medicamentos é baixa por vários motivos, incluindo o custo suportado pelos pacientes. Em um ensaio clínico randomizado1 realizado no Canadá, com resultados publicados na revista PLOS Medicine, observou-se que a distribuição gratuita de medicamentos essenciais para pacientes2 com não adesão relacionada ao custo aumentou substancialmente a adesão, não afetou os desfechos de saúde3 substitutos e reduziu os custos totais de saúde3 ao longo de 2 anos. A adesão a todos os medicamentos prescritos apropriados foi de 38,7% no grupo de distribuição gratuita e 28,6% no grupo de acesso usual após 2 anos.
1 Randomizado: Ensaios clínicos comparativos randomizados são considerados o melhor delineamento experimental para avaliar questões relacionadas a tratamento e prevenção. Classicamente, são definidos como experimentos médicos projetados para determinar qual de duas ou mais intervenções é a mais eficaz mediante a alocação aleatória, isto é, randomizada, dos pacientes aos diferentes grupos de estudo. Em geral, um dos grupos é considerado controle – o que algumas vezes pode ser ausência de tratamento, placebo, ou mais frequentemente, um tratamento de eficácia reconhecida. Recursos estatísticos são disponíveis para validar conclusões e maximizar a chance de identificar o melhor tratamento. Esses modelos são chamados de estudos de superioridade, cujo objetivo é determinar se um tratamento em investigação é superior ao agente comparativo.
2 Para pacientes: Você pode utilizar este texto livremente com seus pacientes, inclusive alterando-o, de acordo com a sua prática e experiência. Conheça todos os materiais Para Pacientes disponíveis para auxiliar, educar e esclarecer seus pacientes, colaborando para a melhoria da relação médico-paciente, reunidos no canal Para Pacientes . As informações contidas neste texto são baseadas em uma compilação feita pela equipe médica da Centralx. Você deve checar e confirmar as informações e divulgá-las para seus pacientes de acordo com seus conhecimentos médicos.
3 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
   [Mais...]

Medical Journal - 18/06/21
Mutações no gene receptor de melanocortina 4 (MC4R) estão associadas à obesidade1, mas pouco se sabe sobre a prevalência2 e o impacto de tais mutações ao longo do crescimento e desenvolvimento humano. Agora, uma nova pesquisa, publicada na revista Nature Medicine, descobriu que uma em cada 337 pessoas pode ser portadora dessa mutação3, que as torna mais propensas a ter um peso maior desde a primeira infância e, aos 18 anos de idade, podem ter em média 17 kg a mais no peso total, e aproximadamente 14 kg a mais de massa gorda4. Assim, o estudo demonstrou que mutações de perda de função do gene MC4R podem ser mais comuns do que relatado anteriormente e portadores de tais variantes podem entrar na vida adulta com uma carga substancial de excesso de adiposidade.
1 Obesidade: Condição em que há acúmulo de gorduras no organismo além do normal, mais severo que o sobrepeso. O índice de massa corporal é igual ou maior que 30.
2 Prevalência: Número de pessoas em determinado grupo ou população que são portadores de uma doença. Número de casos novos e antigos desta doença.
3 Mutação: 1. Ato ou efeito de mudar ou mudar-se. Alteração, modificação, inconstância. Tendência, facilidade para mudar de ideia, atitude etc. 2. Em genética, é uma alteração súbita no genótipo de um indivíduo, sem relação com os ascendentes, mas passível de ser herdada pelos descendentes.
4 Massa gorda: É a porção de massa do organismo constituída de gordura armazenada (encontrada no tecido subcutâneo) e gordura essencial (encontrada nas vísceras, responsável pelo funcionamento fisiológico normal). A massa gorda é o resultado em quilos do percentual de gordura existente no organismo. Por exemplo, um indivíduo de 100 quilos e com percentual de gordura de 38%, pode ter o valor da massa gorda calculado em 38 quilos.
   [Mais...]

Medical Journal - 17/06/21
Estar acima do peso ou ter obesidade1 aumenta significativamente o risco de doença hepática2 e a probabilidade de morrer em comparação com estar no peso normal, independentemente do nível de consumo de álcool, mostra uma nova pesquisa, publicada no European Journal of Clinical Nutrition. A pesquisa buscou compreender as associações conjuntas de adiposidade e consumo de álcool com morbidade3 e risco de mortalidade4 relacionados a doenças hepáticas5, e observou estimativas pontuais maiores para risco de doença hepática2 gordurosa, doença hepática2 gordurosa não alcoólica e incidência6 de doença hepática2 e mortalidade4 entre participantes com sobrepeso7 ou obesos que consumiram álcool no mesmo nível que participantes com peso normal. Mesmo para pessoas que bebiam dentro das diretrizes de consumo de álcool, os participantes classificados como obesos tinham um risco 50% maior de doença hepática2.
1 Obesidade: Condição em que há acúmulo de gorduras no organismo além do normal, mais severo que o sobrepeso. O índice de massa corporal é igual ou maior que 30.
2 Hepática: Relativa a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
3 Morbidade: Morbidade ou morbilidade é a taxa de portadores de determinada doença em relação à população total estudada, em determinado local e em determinado momento.
4 Mortalidade: A taxa de mortalidade ou coeficiente de mortalidade é um dado demográfico do número de óbitos, geralmente para cada mil habitantes em uma dada região, em um determinado período de tempo.
5 Hepáticas: Relativas a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
6 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
7 Sobrepeso: Peso acima do normal, índice de massa corporal entre 25 e 29,9.
   [Mais...]

Saúde - 16/06/21
O fenômeno da névoa cerebral, ou névoa mental, conforme descrito por alguns pacientes com hipotireoidismo1 apesar do tratamento, é frequentemente associado a fadiga2 e sintomas3 cognitivos4 e pode ser aliviado por uma variedade de abordagens farmacológicas e não farmacológicas, sugere uma nova pesquisa. Esses resultados foram apresentados no Encontro Anual Virtual de 2021 da Associação Americana de Endocrinologia Clínica (AACE). Falta de energia, esquecimento e sonolência foram os sintomas3 mais frequentes, com a falta de energia sendo reportada por mais de 90% dos indivíduos. Entre todos os indivíduos, modificações no comportamento, dieta e reposição do hormônio5 tireoidiano foram os fatores mais frequentemente mencionados que melhoraram ou pioraram os sintomas3.
1 Hipotireoidismo: Distúrbio caracterizado por uma diminuição da atividade ou concentração dos hormônios tireoidianos. Manifesta-se por engrossamento da voz, aumento de peso, diminuição da atividade, depressão.
2 Fadiga: 1. Sensação de enfraquecimento resultante de esforço físico. 2. Trabalho cansativo. 3. Redução gradual da resistência de um material ou da sensibilidade de um equipamento devido ao uso continuado.
3 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
4 Cognitivos: 1. Relativo ao conhecimento, à cognição. 2. Relativo ao processo mental de percepção, memória, juízo e/ou raciocínio. 3. Diz-se de estados e processos relativos à identificação de um saber dedutível e à resolução de tarefas e problemas determinados. 4. Diz-se dos princípios classificatórios derivados de constatações, percepções e/ou ações que norteiam a passagem das representações simbólicas à experiência, e também da organização hierárquica e da utilização no pensamento e linguagem daqueles mesmos princípios.
5 Hormônio: Substância química produzida por uma parte do corpo e liberada no sangue para desencadear ou regular funções particulares do organismo. Por exemplo, a insulina é um hormônio produzido pelo pâncreas que diz a outras células quando usar a glicose para energia. Hormônios sintéticos, usados como medicamentos, podem ser semelhantes ou diferentes daqueles produzidos pelo organismo.
   [Mais...]

Medical Journal - 16/06/21
Um estudo publicado na revista Pediatric Research teve como objetivo descrever e contrastar o desenvolvimento do cérebro1 e o resultado entre bebês2 muito prematuros que foram e não foram expostos à cirurgia que exigia anestesia3 geral antes da idade equivalente a termo. Foi demonstrado que cirurgia que requer anestesia3 geral em bebês2 prematuros está associada a volumes cerebrais alterados, com menores volumes de substância branca em idade equivalente a termo, e comprometimento do neurodesenvolvimento, com menores escores compostos cognitivos4 e motores em 2 anos de acompanhamento.
1 Cérebro: Derivado do TELENCÉFALO, o cérebro é composto dos hemisférios direito e esquerdo. Cada hemisfério contém um córtex cerebral exterior e gânglios basais subcorticais. O cérebro inclui todas as partes dentro do crânio exceto MEDULA OBLONGA, PONTE e CEREBELO. As funções cerebrais incluem as atividades sensório-motora, emocional e intelectual.
2 Bebês: Lactentes. Inclui o período neonatal e se estende até 1 ano de idade (12 meses).
3 Anestesia: Diminuição parcial ou total da sensibilidade dolorosa. Pode ser induzida por diferentes medicamentos ou ser parte de uma doença neurológica.
4 Cognitivos: 1. Relativo ao conhecimento, à cognição. 2. Relativo ao processo mental de percepção, memória, juízo e/ou raciocínio. 3. Diz-se de estados e processos relativos à identificação de um saber dedutível e à resolução de tarefas e problemas determinados. 4. Diz-se dos princípios classificatórios derivados de constatações, percepções e/ou ações que norteiam a passagem das representações simbólicas à experiência, e também da organização hierárquica e da utilização no pensamento e linguagem daqueles mesmos princípios.
   [Mais...]

Medical Journal - 15/06/21
Acabar com a epidemia global do tabaco é um desafio definitivo na saúde1 global. Neste estudo, publicado pelo The Lancet, estimou-se a prevalência2 do tabagismo e a carga de doenças atribuíveis para 204 países e territórios, por idade e sexo, de 1990 a 2019. Globalmente em 2019, 1,14 bilhão de indivíduos eram fumantes atuais, que consumiram tabaco equivalente a 7,41 trilhões de cigarros em 2019. Na ausência de intervenção, o número anual de 7,69 milhões de mortes e 200 milhões de anos de vida ajustados por incapacidade atribuíveis ao tabagismo aumentará nas próximas décadas. Os países têm uma oportunidade clara e urgente de aprovar políticas fortes e baseadas em evidências para acelerar as reduções na prevalência2 do tabagismo e colher enormes benefícios para a saúde1 de seus cidadãos.
1 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
2 Prevalência: Número de pessoas em determinado grupo ou população que são portadores de uma doença. Número de casos novos e antigos desta doença.
   [Mais...]

Medical Journal - 15/06/21
A inalação de fumo passivo causa várias doenças, incluindo câncer1 de pulmão2. O tabagismo é uma causa conhecida de câncer1 de boca3; no entanto, não foi estabelecido se o fumo passivo também causa câncer1 de boca3. Este estudo, publicado pela revista Tobacco Control, suportou uma associação causal entre a exposição passiva ao fumo e o câncer1 de boca3. Pessoas com história de exposição passiva ao fumo tiveram probabilidade significativamente maior de apresentar câncer1 de boca3, e a duração da exposição de mais de 10 ou 15 anos aumentou ainda mais esse risco - mais que o dobro do risco de câncer1 de boca3 em comparação às pessoas sem história de exposição.
1 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
2 Pulmão: Cada um dos órgãos pareados que ocupam a cavidade torácica que tem como função a oxigenação do sangue.
3 Boca: Cavidade oral ovalada (localizada no ápice do trato digestivo) composta de duas partes
   [Mais...]

Medical Journal - 14/06/21
A depressão recorre com frequência. Para prevenir recaídas, a medicação antidepressiva é frequentemente tomada em longo prazo. Neste estudo, publicado pelo JAMA Psychiatry, não foi encontrada nenhuma evidência de diferença no risco de recaída associado a uma intervenção psicológica durante e/ou após a redução da medicação antidepressiva versus a monoterapia antidepressiva contínua durante 15 meses de acompanhamento. Assim, esta metanálise de dados de participantes individuais sugere que administrar uma intervenção psicológica enquanto um paciente é submetido à redução gradual do antidepressivo pode ser uma alternativa ao uso de antidepressivos a longo prazo no tratamento da depressão recorrente.   [Mais...]
Medical Journal - 14/06/21
Os regimes baseados em rifapentina têm atividade antimicobacteriana potente que pode permitir um curso mais curto em pacientes com tuberculose1 pulmonar suscetível a medicamentos. Nesse estudo, publicado no The New England Journal of Medicine, uma combinação de medicamentos com rifapentina e moxifloxacina conseguiu quebrar a barreira do tratamento de seis meses para a tuberculose1, exigindo apenas quatro meses para produzir um estado livre da doença em um ano na maioria dos pacientes. Foi demonstrado que a eficácia de um regime à base de rifapentina de 4 meses contendo moxifloxacina não foi inferior ao regime padrão de 6 meses no tratamento da tuberculose1.
1 Tuberculose: Doença infecciosa crônica produzida pelo bacilo de Koch (Mycobacterium tuberculosis). Produz doença pulmonar, podendo disseminar-se para qualquer outro órgão. Os sintomas de tuberculose pulmonar consistem em febre, tosse, expectoração, hemoptise, acompanhada de perda de peso e queda do estado geral. Em países em desenvolvimento (como o Brasil) aconselha-se a vacinação com uma cepa atenuada desta bactéria (vacina BCG).
   [Mais...]

Mostrar: 10
<< - < - 3 - 4 - 5 - 6 - 7 - 8 - > - >>
51 a 60 (Total: 2814)
  • Entrar
  • Receber conteúdos