news.med.br
Medical Journal - 17/05/21
A administração profilática de ácido tranexâmico foi associada à redução da hemorragia1 pós-parto após cesariana em vários pequenos ensaios, mas as evidências de seu benefício neste contexto clínico permanecem inconclusivas. Nesse estudo, publicado no The New England Journal of Medicine, foi demonstrado que, entre as mulheres que realizaram parto cesáreo e receberam agentes uterotônicos profiláticos, o tratamento com ácido tranexâmico resultou em uma incidência2 significativamente menor de perda de sangue3 estimada calculada maior que 1000 ml ou transfusão4 de hemácias5 dentro de 2 dias do que o placebo6, mas não resultou em uma incidência2 menor de desfechos clínicos secundários relacionados à hemorragia1.
1 Hemorragia: Saída de sangue dos vasos sanguíneos ou do coração para o exterior, para o interstício ou para cavidades pré-formadas do organismo.
2 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
3 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
4 Transfusão: Introdução na corrente sangüínea de sangue ou algum de seus componentes. Podem ser transfundidos separadamente glóbulos vermelhos, plaquetas, plasma, fatores de coagulação, etc.
5 Hemácias: Também chamadas de glóbulos vermelhos, eritrócitos ou células vermelhas. São produzidas no interior dos ossos a partir de células da medula óssea vermelha e estão presentes no sangue em número de cerca de 4,5 a 6,5 milhões por milímetro cúbico, em condições normais.
6 Placebo: Preparação neutra quanto a efeitos farmacológicos, ministrada em substituição a um medicamento, com a finalidade de suscitar ou controlar as reações, geralmente de natureza psicológica, que acompanham tal procedimento terapêutico.
   [Mais...]

Medical Journal - 14/05/21
A enxaqueca1 foi identificada como um fator de risco2 potencial para hipertensão3 em estudos prospectivos. Nas mulheres, a prevalência4 da enxaqueca1 diminui após a menopausa5, mas nenhum estudo determinou se a enxaqueca1 está associada à hipertensão3 após a menopausa5. Agora um novo estudo, publicado pelo periódico Neurology, avaliou dados de mais de 55.000 mulheres europeias e descobriu que aquelas com histórico de enxaqueca1 antes da menopausa5 tinham um risco 29% maior de desenvolver hipertensão3 do que aquelas sem tal histórico, e também indicou que esse risco pode ser ainda maior entre mulheres que usam terapia de reposição hormonal na menopausa5.
1 Enxaqueca: Sinônimo de migrânea. É a cefaléia cuja prevalência varia de 10 a 20% da população. Ocorre principalmente em mulheres com uma proporção homem:mulher de 1:2-3. As razões para esta preponderância feminina ainda não estão bem entendidas, mas suspeita-se de alguma relação com o hormônio feminino. Resulta da pressão exercida por vasos sangüíneos dilatados no tecido nervoso cerebral subjacente. O tratamento da enxaqueca envolve normalmente drogas vaso-constritoras para aliviar esta pressão. No entanto, esta medicamentação pode causar efeitos secundários no sistema circulatório e é desaconselhada a pessoas com problemas cardiológicos.
2 Fator de risco: Qualquer coisa que aumente a chance de uma pessoa desenvolver uma doença.
3 Hipertensão: Condição presente quando o sangue flui através dos vasos com força maior que a normal. Também chamada de pressão alta. Hipertensão pode causar esforço cardíaco, dano aos vasos sangüíneos e aumento do risco de um ataque cardíaco, derrame ou acidente vascular cerebral, além de problemas renais e morte.
4 Prevalência: Número de pessoas em determinado grupo ou população que são portadores de uma doença. Número de casos novos e antigos desta doença.
5 Menopausa: Estado fisiológico caracterizado pela interrupção dos ciclos menstruais normais, acompanhada de alterações hormonais em mulheres após os 45 anos.
   [Mais...]

Pharma News - 13/05/21
Uma vacina1 contra a malária que demonstrou ser 77 por cento eficaz em testes – o nível mais alto já alcançado – oferece a esperança de controlar uma doença que mata cerca de 400.000 pessoas a cada ano, muitas delas crianças. A Organização Mundial da Saúde2 (OMS) estabeleceu uma meta de 75 por cento de eficácia até 2030 para uma vacina1 contra a malária, e a nova vacina1 é a primeira a atingir esse nível. De acordo com a notícia publicada pela revista New Scientist, Adrian Hill, da Universidade de Oxford, e seus colegas esperam que ela possa ser aprovada para uso nos próximos dois anos, com base na velocidade e nas lições aprendidas através do rápido desenvolvimento das vacinas contra covid-19 – os pesquisadores também trabalham no projeto da vacina1 de Oxford / AstraZeneca contra o coronavírus.
1 Vacina: Tratamento à base de bactérias, vírus vivos atenuados ou seus produtos celulares, que têm o objetivo de produzir uma imunização ativa no organismo para uma determinada infecção.
2 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
   [Mais...]

Medical Journal - 12/05/21
O comprometimento cognitivo1 pós-AVC (CGPA) ocorre em aproximadamente metade das pessoas no primeiro ano após o AVC. A localização do infarto2 é um determinante potencial de CGPA, mas um mapa abrangente de localizações estratégicas de infarto2 preditivas de CGPA não está disponível. Nesta análise, publicada no The Lancet Neurology, foi identificado que infartos nos lobos3 frontotemporais esquerdos, tálamo4 esquerdo e lobo parietal5 direito foram fortemente associados com CGPA. Foi então desenvolvido um mapa abrangente de localizações estratégicas de infarto2 associadas ao risco de comprometimento cognitivo1 pós-AVC. Uma pontuação de impacto da localização foi derivada deste mapa que previu de forma robusta o CGPA em todas as coortes.
1 Cognitivo: 1. Relativo ao conhecimento, à cognição. 2. Relativo ao processo mental de percepção, memória, juízo e/ou raciocínio. 3. Diz-se de estados e processos relativos à identificação de um saber dedutível e à resolução de tarefas e problemas determinados. 4. Diz-se dos princípios classificatórios derivados de constatações, percepções e/ou ações que norteiam a passagem das representações simbólicas à experiência, e também da organização hierárquica e da utilização no pensamento e linguagem daqueles mesmos princípios.
2 Infarto: Morte de um tecido por irrigação sangüínea insuficiente. O exemplo mais conhecido é o infarto do miocárdio, no qual se produz a obstrução das artérias coronárias com conseqüente lesão irreversível do músculo cardíaco.
3 Lobos: Lobo Frontal Lobo Parietal Lobo Temporal Lobo Occipital
4 Tálamo: Corpos pareados (contendo principalmente substância cinzenta), que formam uma parte da parede lateral do terceiro ventrículo do cérebro. O tálamo é a maior porção do diencéfalo, sendo geralmente dividido em agregados celulares (conhecidos como grupos nucleares).
5 Lobo parietal:
   [Mais...]

Medical Journal - 12/05/21
O traumatismo1 cranioencefálico é o maior fator de risco2 não genético e não relacionado ao envelhecimento para a doença de Alzheimer3. Nessa pesquisa, publicada na revista Cell, foi demonstrado que a lesão4 cerebral induz acetilação da proteína tau neuronal semelhante à doença de Alzheimer3 e que diminuir a acetilação da tau após a lesão4 cerebral em múltiplas vias de sinalização tem efeito neuroprotetor. Dessa forma, os medicamentos inibidores da acetilação da tau estão associados à redução da doença neurodegenerativa.
1 Traumatismo: Lesão produzida pela ação de um agente vulnerante físico, químico ou biológico e etc. sobre uma ou várias partes do organismo.
2 Fator de risco: Qualquer coisa que aumente a chance de uma pessoa desenvolver uma doença.
3 Doença de Alzheimer: É uma doença progressiva, de causa e tratamentos ainda desconhecidos que acomete preferencialmente as pessoas idosas. É uma forma de demência. No início há pequenos esquecimentos, vistos pelos familiares como parte do processo normal de envelhecimento, que se vão agravando gradualmente. Os pacientes tornam-se confusos e por vezes agressivos, passando a apresentar alterações da personalidade, com distúrbios de conduta e acabam por não reconhecer os próprios familiares e até a si mesmos quando colocados frente a um espelho. Tornam-se cada vez mais dependentes de terceiros, iniciam-se as dificuldades de locomoção, a comunicação inviabiliza-se e passam a necessitar de cuidados e supervisão integral, até mesmo para as atividades elementares como alimentação, higiene, vestuário, etc..
4 Lesão: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
   [Mais...]

Medical Journal - 11/05/21
Em um estudo publicado na revista Diabetes1 Care, pesquisadores exploraram as associações entre a idade de início do diabetes tipo 22 e doenças cardiovasculares3 e mortalidade4 por todas as causas na população chinesa. Os participantes com diabetes tipo 22 diagnosticado com idade inferior a 45 anos tiveram os maiores riscos relativos de doença cardiovascular e mortalidade4 por todas as causas em relação aos indivíduos controle pareados. Os riscos foram gradualmente atenuados com cada aumento de década na idade de início do diabetes tipo 22.
1 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
2 Diabetes tipo 2: Condição caracterizada por altos níveis de glicose causada tanto por graus variáveis de resistência à insulina quanto por deficiência relativa na secreção de insulina. O tipo 2 se desenvolve predominantemente em pessoas na fase adulta, mas pode aparecer em jovens.
3 Doenças cardiovasculares: Doença do coração e vasos sangüíneos (artérias, veias e capilares).
4 Mortalidade: A taxa de mortalidade ou coeficiente de mortalidade é um dado demográfico do número de óbitos, geralmente para cada mil habitantes em uma dada região, em um determinado período de tempo.
   [Mais...]

Medical Journal - 11/05/21
As tendências no diabetes tipo 21 mostram um aumento na prevalência2 da doença junto com idade de início mais jovem. Embora as complicações vasculares3 do diabetes tipo 21 de início precoce sejam conhecidas, as associações com a demência4 permanecem obscuras. Neste estudo de coorte5 prospectivo6, publicado no periódico JAMA, foi demonstrado que a idade mais jovem no início do diabetes tipo 21 foi significativamente associada com maior risco de demência4 incidente7; aos 70 anos, a taxa de risco para cada 5 anos mais jovem no início do diabetes tipo 21 era de 1,24.
1 Diabetes tipo 2: Condição caracterizada por altos níveis de glicose causada tanto por graus variáveis de resistência à insulina quanto por deficiência relativa na secreção de insulina. O tipo 2 se desenvolve predominantemente em pessoas na fase adulta, mas pode aparecer em jovens.
2 Prevalência: Número de pessoas em determinado grupo ou população que são portadores de uma doença. Número de casos novos e antigos desta doença.
3 Vasculares: Relativo aos vasos sanguíneos do organismo.
4 Demência: Deterioração irreversível e crônica das funções intelectuais de uma pessoa.
5 Estudo de coorte: Um estudo de coorte é realizado para verificar se indivíduos expostos a um determinado fator apresentam, em relação aos indivíduos não expostos, uma maior propensão a desenvolver uma determinada doença. Um estudo de coorte é constituído, em seu início, de um grupo de indivíduos, denominada coorte, em que todos estão livres da doença sob investigação. Os indivíduos dessa coorte são classificados em expostos e não-expostos ao fator de interesse, obtendo-se assim dois grupos (ou duas coortes de comparação). Essas coortes serão observadas por um período de tempo, verificando-se quais indivíduos desenvolvem a doença em questão. Os indivíduos expostos e não-expostos devem ser comparáveis, ou seja, semelhantes quanto aos demais fatores, que não o de interesse, para que as conclusões obtidas sejam confiáveis.
6 Prospectivo: 1. Relativo ao futuro. 2. Suposto, possível; esperado. 3. Relativo à preparação e/ou à previsão do futuro quanto à economia, à tecnologia, ao plano social etc. 4. Em geologia, é relativo à prospecção.
7 Incidente: 1. Que incide, que sobrevém ou que tem caráter secundário; incidental. 2. Acontecimento imprevisível que modifica o desenrolar normal de uma ação. 3. Dificuldade passageira que não modifica o desenrolar de uma operação, de uma linha de conduta.
   [Mais...]

Medical Journal - 10/05/21
Pesquisa publicada pelo The British Medical Journal teve como objetivo descrever o neurodesenvolvimento aos 5 anos de idade em crianças nascidas prematuras. Resultados mostraram que as taxas de deficiências de neurodesenvolvimento graves / moderadas permaneceram altas aos 5 anos de idade em cada grupo de idade gestacional. Proporções de crianças que recebem assistência escolar ou intervenções complexas de desenvolvimento podem ter um impacto significativo nas organizações educacionais e de saúde1.
1 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
   [Mais...]

Medical Journal - 10/05/21
Neste estudo, publicado pela revista Pediatrics, buscou-se avaliar a relação entre o neurodesenvolvimento de 2 e 10 anos em crianças nascidas extremamente prematuras. Entre as crianças classificadas como tendo comprometimento do neurodesenvolvimento (CND) moderado a grave aos 2 anos, 63% tinham CND nenhum a leve aos 10 anos; entre as crianças classificadas como tendo CND profundo aos 2 anos, 36% tinham CND nenhum a leve aos 10 anos. Assim, o comprometimento do neurodesenvolvimento na infância, conforme definido neste estudo, prevê apenas fracamente o comprometimento do neurodesenvolvimento no meio da infância.   [Mais...]
Medical Journal - 07/05/21
Em dois estudos, ambos publicados na revista Science Translational Medicine, pesquisadores descreveram o desenvolvimento de células1 imunológicas programadas para atacar os tumores de maneira mais inteligente (células1 T-CAR synNotch). Os resultados demonstraram que a terapia com essas células1 T-CAR reduziram tumores cerebrais do tipo glioblastoma e tumores ovarianos em camundongos, nos quais as células1 imunológicas inalteradas haviam falhado. A tecnologia poderia ser usada para tratar câncer2, bem como doenças cerebrais degenerativas3.
1 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
2 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
3 Degenerativas: Relativas a ou que provocam degeneração.
   [Mais...]

Mostrar: 10
< - 1 - 2 - 3 - 4 - 5 - 6 - > - >>
31 a 40 (Total: 2754)
  • Entrar
  • Receber conteúdos