news.med.br  -  Medical Journal
Medical Journal - 12/02/21
Neste estudo de coorte1, publicado pelo JAMA Cardiology, diabetes2 e resistência à insulina3, além de hipertensão4, obesidade5 e tabagismo, pareciam ser os fatores de risco mais fortes para o início prematuro de doença arterial coronariana. Mulheres com diabetes tipo 26, por exemplo, correm um risco dez vezes maior de desenvolver doença coronariana7 nos próximos 20 anos. A maioria dos fatores de risco atenuou as taxas relativas em idades mais avançadas.
1 Estudo de coorte: Um estudo de coorte é realizado para verificar se indivíduos expostos a um determinado fator apresentam, em relação aos indivíduos não expostos, uma maior propensão a desenvolver uma determinada doença. Um estudo de coorte é constituído, em seu início, de um grupo de indivíduos, denominada coorte, em que todos estão livres da doença sob investigação. Os indivíduos dessa coorte são classificados em expostos e não-expostos ao fator de interesse, obtendo-se assim dois grupos (ou duas coortes de comparação). Essas coortes serão observadas por um período de tempo, verificando-se quais indivíduos desenvolvem a doença em questão. Os indivíduos expostos e não-expostos devem ser comparáveis, ou seja, semelhantes quanto aos demais fatores, que não o de interesse, para que as conclusões obtidas sejam confiáveis.
2 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
3 Resistência à insulina: Inabilidade do corpo para responder e usar a insulina produzida. A resistência à insulina pode estar relacionada à obesidade, hipertensão e altos níveis de colesterol no sangue.
4 Hipertensão: Condição presente quando o sangue flui através dos vasos com força maior que a normal. Também chamada de pressão alta. Hipertensão pode causar esforço cardíaco, dano aos vasos sangüíneos e aumento do risco de um ataque cardíaco, derrame ou acidente vascular cerebral, além de problemas renais e morte.
5 Obesidade: Condição em que há acúmulo de gorduras no organismo além do normal, mais severo que o sobrepeso. O índice de massa corporal é igual ou maior que 30.
6 Diabetes tipo 2: Condição caracterizada por altos níveis de glicose causada tanto por graus variáveis de resistência à insulina quanto por deficiência relativa na secreção de insulina. O tipo 2 se desenvolve predominantemente em pessoas na fase adulta, mas pode aparecer em jovens.
7 Doença coronariana: Doença do coração causada por estreitamento das artérias que fornecem sangue ao coração. Se o fluxo é cortado, o resultado é um ataque cardíaco.
   [Mais...]

Medical Journal - 11/02/21
Nesse estudo publicado pela revista Nature Communications, foi encontrada atenuação significativa do ganho de peso e altura durante os primeiros 6 anos de vida após a exposição neonatal a antibióticos em meninos, mas não em meninas. Em contraste, o uso de antibióticos após o período neonatal, mas durante os primeiros 6 anos de vida, está associado a um índice de massa corporal1 significativamente mais alto em meninos e meninas. A exposição neonatal a antibióticos está associada a diferenças significativas no microbioma2 intestinal, particularmente na diminuição da abundância e diversidade de Bifidobactérias fecais até os 2 anos de idade.
1 Índice de massa corporal: Medida usada para avaliar se uma pessoa está abaixo do peso, com peso normal, com sobrepeso ou obesa. É a medida mais usada na prática para saber se você é considerado obeso ou não. Também conhecido como IMC. É calculado dividindo-se o peso corporal em quilogramas pelo quadrado da altura em metros. Existe uma tabela da Organização Mundial de Saúde que classifica as medidas de acordo com o resultado encontrado.
2 Microbioma: Comunidade ecológica de microrganismos comensais, simbióticos e patogênicos que compartilham nosso espaço corporal. Microbioma humano é o conjunto de microrganismos que reside no corpo do Homo sapiens, mantendo uma relação simbiótica com o hospedeiro. O conceito vai além do termo microbiota, incluindo também a relação entre as células microbianas e as células e sistemas humanos, por meio de seus genomas, transcriptomas, proteomas e metabolomas.
   [Mais...]

Medical Journal - 10/02/21
O osteossarcoma é o tumor1 ósseo maligno primário mais comum e seu tratamento padrão é uma combinação de cirurgia e quimioterapia2. Uma resposta pobre à quimioterapia2 causa resultados oncológicos desfavoráveis. Em pesquisa publicada na revista Nature Scientific Reports, o número de osteoclastos3 maduros em amostras de biópsia4 se mostrou um fator simples para prever a eficácia da quimioterapia2 antes do tratamento.
1 Tumor: Termo que literalmente significa massa ou formação de tecido. É utilizado em geral para referir-se a uma formação neoplásica.
2 Quimioterapia: Método que utiliza compostos químicos, chamados quimioterápicos, no tratamento de doenças causadas por agentes biológicos. Quando aplicada ao câncer, a quimioterapia é chamada de quimioterapia antineoplásica ou quimioterapia antiblástica.
3 Osteoclastos: Célula que garante a destruição do tecido ósseo.
4 Biópsia: 1. Retirada de material celular ou de um fragmento de tecido de um ser vivo para determinação de um diagnóstico. 2. Exame histológico e histoquímico. 3. Por metonímia, é o próprio material retirado para exame.
   [Mais...]

Medical Journal - 09/02/21
Estudo publicado pelo The Lancet Diabetes1 & Endocrinology avaliou associações entre saúde2 materna, exposições intrauterinas e perinatais e o risco de câncer3 de tireoide4 na prole. Os resultados mostraram que exposições intrauterinas, particularmente aquelas relacionadas a distúrbios maternos da tireoide4, podem ter uma influência de longo prazo no risco de câncer3 de tireoide4 na prole.
1 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
2 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
3 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
4 Tireoide: Glândula endócrina altamente vascularizada, constituída por dois lobos (um em cada lado da TRAQUÉIA) unidos por um feixe de tecido delgado. Secreta os HORMÔNIOS TIREOIDIANOS (produzidos pelas células foliculares) e CALCITONINA (produzida pelas células para-foliculares), que regulam o metabolismo e o nível de CÁLCIO no sangue, respectivamente.
   [Mais...]

Medical Journal - 08/02/21
A presença de comorbidades1 entre pacientes com asma2 foi mapeada em um estudo realizado por pesquisadores da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, publicado no European Respiratory Journal. Níveis mais elevados de tempo sedentário, sexo feminino e sintomas3 de ansiedade foram associados a maiores chances de risco de exacerbação da asma2, enquanto ser mais ativo apresentou fator protetor para hospitalização. O controle da asma2 esteve associado ao sexo, ocorrência de exacerbação, atividade física e estado de saúde4.
1 Comorbidades: Coexistência de transtornos ou doenças.
2 Asma: Doença das vias aéreas inferiores (brônquios), caracterizada por uma diminuição aguda do calibre bronquial em resposta a um estímulo ambiental. Isto produz obstrução e dificuldade respiratória que pode ser revertida de forma espontânea ou com tratamento médico.
3 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
4 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
   [Mais...]

Medical Journal - 05/02/21
Estudo publicado pelo periódico Diabetes1 Care demonstrou que olhos2 com retinopatia diabética3 não proliferativa moderada, retinopatia diabética3 não proliferativa grave e retinopatia diabética3 proliferativa na data índice foram 2,6, 3,6 e 4,0 vezes mais prováveis, respectivamente, de desenvolver cegueira sustentada após 2 anos de diagnóstico4 de retinopatia diabética3 em comparação a olhos2 com retinopatia diabética3 leve na data índice.
1 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
2 Olhos:
3 Retinopatia diabética: Dano causado aos pequenos vasos da retina dos diabéticos. Pode levar à perda da visão. Retinopatia não proliferativa ou retinopatia background Caracterizada por alterações intra-retinianas associadas ao aumento da permeabilidade capilar e à oclusão vascular que pode ou não ocorrer. São encontrados microaneurismas, edema macular e exsudatos duros (extravasamento de lipoproteínas). Também chamada de retinopatia simples.
4 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
   [Mais...]

Medical Journal - 05/02/21
O diabetes1 está relacionado ao declínio funcional, mas o impacto do pré-diabetes2 na função física é desconhecido. Em uma pesquisa publicada no periódico Diabetes1 Care, foi descoberto que o pré-diabetes2, além do diabetes1, está associado ao declínio funcional e à incapacidade mais rápidos, independentemente do desenvolvimento futuro do diabetes1. Essa associação pode ser em parte mediada por doenças cardiovasculares3.
1 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
2 Pré-diabetes: Condição em que um teste de glicose, feito após 8 a 12 horas de jejum, mostra um nível de glicose mais alto que o normal mas não tão alto para um diagnóstico de diabetes. A medida está entre 100 mg/dL e 125 mg/dL. A maioria das pessoas com pré-diabetes têm um risco aumentado de desenvolver diabetes tipo 2.
3 Doenças cardiovasculares: Doença do coração e vasos sangüíneos (artérias, veias e capilares).
   [Mais...]

Medical Journal - 04/02/21
Os resultados de uma revisão sistemática e metanálise, publicada no Journal of the American Heart Association, de mais de 50 estudos que avaliam o risco cardiovascular com níveis de calcificação1 da aorta abdominal2, indicam que o aumento da calcificação1 da aorta abdominal2 foi associado a um aumento de 80% no risco de eventos cardiovasculares e morte cardiovascular.
1 Calcificação: 1. Ato, processo ou efeito de calcificar(-se). 2. Aplicação de materiais calcíferos básicos para diminuir o grau de acidez dos solos e favorecer seu aproveitamento na agricultura. 3. Depósito de cálcio nos tecidos, que pode ser normal ou patológico. 4. Acúmulo ou depósito de carbonato de cálcio ou de carbonato de magnésio em uma camada de profundidade próxima a do limite de percolação da água no solo, que resulta em certa mobilidade deste e alteração de suas propriedades químicas.
2 Aorta Abdominal: Porção da aorta que tem início no DIAFRAGMA e termina na bifurcação em artérias ílicas comuns direita e esquerda.
   [Mais...]

Medical Journal - 04/02/21
Em publicação do The American Journal of Medicine, buscou-se caracterizar diferenças na apresentação, deficiências funcionais, tratamentos, estado de saúde1 e mortalidade2 entre pacientes idosos de meia idade (75-84 anos) e idosos mais velhos com infarto do miocárdio3. Os idosos mais velhos eram menos propensos a apresentar dor no peito4 como sintoma5 principal ou a receber revascularização coronária, além de serem mais predispostos a ter prejuízos funcionais e apresentarem maior mortalidade2 em 6 meses.
1 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
2 Mortalidade: A taxa de mortalidade ou coeficiente de mortalidade é um dado demográfico do número de óbitos, geralmente para cada mil habitantes em uma dada região, em um determinado período de tempo.
3 Infarto do miocárdio: Interrupção do suprimento sangüíneo para o coração por estreitamento dos vasos ou bloqueio do fluxo. Também conhecido por ataque cardíaco.
4 Peito: Parte superior do tronco entre o PESCOÇO e o ABDOME; contém os principais órgãos dos sistemas circulatório e respiratório. (Tradução livre do original
5 Sintoma: Qualquer alteração da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. O sintoma é a queixa relatada pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
   [Mais...]

Medical Journal - 03/02/21
Em metanálise publicada pelo jornal Heart, comparando participantes com os níveis mais altos de ingestão de alimentos fritos com aqueles com os mais baixos, os resultados sugeriram que o aumento da ingestão estava associado a um aumento de 28% no risco de eventos cardiovasculares maiores, um aumento de 22% no risco de doença arterial coronariana, um aumento de 37% no risco de acidente vascular cerebral1 e um aumento de 37% no risco de insuficiência cardíaca2.
1 Acidente vascular cerebral: Conhecido popularmente como derrame cerebral, o acidente vascular cerebral (AVC) ou encefálico é uma doença que consiste na interrupção súbita do suprimento de sangue com oxigênio e nutrientes para o cérebro, lesando células nervosas, o que pode resultar em graves conseqüências, como inabilidade para falar ou mover partes do corpo. Há dois tipos de derrame, o isquêmico e o hemorrágico.
2 Insuficiência Cardíaca: É uma condição na qual a quantidade de sangue bombeada pelo coração a cada minuto (débito cardíaco) é insuficiente para suprir as demandas normais de oxigênio e de nutrientes do organismo. Refere-se à diminuição da capacidade do coração suportar a carga de trabalho.
   [Mais...]

» 03/02/2021 - Maiores níveis de atividade física, medida por acelerômetro, foram associados a menor risco de incidência de doenças cardiovasculares
» 02/02/2021 - Doenças autoimunes maternas foram associadas ao aumento de transtorno de déficit de atenção e hiperatividade em crianças
» 02/02/2021 - A radioterapia para câncer retal foi associada a um risco aumentado de câncer do corpo do útero e câncer de ovário
» 01/02/2021 - Fumar está diretamente relacionado a um maior risco de hemorragia subaracnóidea
» 29/01/2021 - Novo sistema experimental de circuito fechado híbrido reduziu a hiperglicemia sem aumentar a hipoglicemia em adolescentes e adultos jovens com diabetes tipo 1
» 29/01/2021 - A metástase hepática restringe a eficácia da imunoterapia por meio da eliminação de células T mediada por macrófagos
» 28/01/2021 - Transplante de microbiota fecal promove resposta em pacientes com melanoma refratário à imunoterapia
» 27/01/2021 - A sobrecarga atrial esquerda ajuda a prever a fibrilação atrial em pacientes com insuficiência cardíaca
» 27/01/2021 - Convulsões funcionais foram associadas a transtornos psiquiátricos e doença cerebrovascular, incluindo acidente vascular cerebral
» 26/01/2021 - Novas descobertas ajudam a explicar como a COVID-19 domina o sistema imunológico, sugerindo a dinâmica mitocondrial como mediadora parcial do efeito do SARS-CoV-2 na imunidade inata


Visualizar: Títulos | Resumos
  • Entrar
  • Assinar