news.med.br
A melhora dos níveis de glicose1 para a faixa normal pode ocorrer em algumas pessoas que vivem com diabetes2, espontaneamente ou após intervenções médicas e, em alguns casos, pode persistir após a suspensão da farmacoterapia para redução da glicose1. Essa melhora sustentada pode agora estar ocorrendo com mais frequência devido a novas formas de tratamento. Para atualizar as discussões anteriores sobre este assunto, um grupo internacional de especialistas foi convocado pela American Diabetes2 Association para propor nomenclatura e princípios para coleta e análise de dados, com o objetivo de estabelecer uma base de informações para apoiar futuras orientações clínicas. Este grupo propôs “remissão” como o termo descritivo mais apropriado e HbA1c3 menor que 6,5% (48 mmol/mol) medida pelo menos 3 meses após a interrupção da farmacoterapia para redução da glicose1 como o critério diagnóstico4 usual.
1 Glicose: Uma das formas mais simples de açúcar.
2 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
3 HbA1C: Hemoglobina glicada, hemoglobina glicosilada, glico-hemoglobina ou HbA1C e, mais recentemente, apenas como A1C é uma ferramenta de diagnóstico na avaliação do controle glicêmico em pacientes diabéticos. Atualmente, a manutenção do nível de A1C abaixo de 7% é considerada um dos principais objetivos do controle glicêmico de pacientes diabéticos. Algumas sociedades médicas adotam metas terapêuticas mais rígidas de 6,5% para os valores de A1C.
4 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
   [Mais...]

Existem poucos estudos testando a quantidade de perda de peso necessária para atingir a remissão inicial do diabetes mellitus1 tipo 2 (DM2) após a cirurgia bariátrica2 e nenhum estudo publicado com o uso da perda de peso para prever a remissão inicial do DM2 em pacientes que passaram por gastrectomia vertical, ou sleeve gástrico. Neste estudo, publicado na revista Diabetes3 Care, foi demonstrado que a perda de peso após a cirurgia bariátrica2 está fortemente associada à remissão inicial do diabetes tipo 24; no entanto, acima de um limiar de 20% de perda de peso total, as taxas de remissão inicial do diabetes3 não aumentaram substancialmente. Atingir esse limiar também está associado à remissão inicial, mesmo em pacientes que tradicionalmente apresentam taxas mais baixas de remissão, como pacientes que tomam insulina5.
1 Diabetes mellitus: Distúrbio metabólico originado da incapacidade das células de incorporar glicose. De forma secundária, podem estar afetados o metabolismo de gorduras e proteínas.Este distúrbio é produzido por um déficit absoluto ou relativo de insulina. Suas principais características são aumento da glicose sangüínea (glicemia), poliúria, polidipsia (aumento da ingestão de líquidos) e polifagia (aumento da fome).
2 Cirurgia Bariátrica:
3 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
4 Diabetes tipo 2: Condição caracterizada por altos níveis de glicose causada tanto por graus variáveis de resistência à insulina quanto por deficiência relativa na secreção de insulina. O tipo 2 se desenvolve predominantemente em pessoas na fase adulta, mas pode aparecer em jovens.
5 Insulina: Hormônio que ajuda o organismo a usar glicose como energia. As células-beta do pâncreas produzem insulina. Quando o organismo não pode produzir insulna em quantidade suficiente, ela é usada por injeções ou bomba de insulina.
   [Mais...]

Cortar 20% do açúcar1 dos alimentos embalados e 40% das bebidas poderia prevenir 2,48 milhões de eventos de doenças cardiovasculares2 (como derrames, ataques cardíacos, paradas cardíacas), 490.000 mortes cardiovasculares e 750.000 casos de diabetes3 nos EUA durante a vida da população adulta, e economizar US$ 160,88 bilhões em custos líquidos de uma perspectiva social ao longo da vida, relata um estudo publicado na revista Circulation. Em 2018, a National Salt and Sugar Reduction Initiative (NSSRI) dos EUA propôs que o governo apoiasse metas nacionais voluntárias de redução de açúcar1. O estudo concluiu que implementar e alcançar as metas de reforma do açúcar1 da NSSRI poderia gerar ganhos substanciais em saúde4, ganhos de equidade e economia de custos.
1 Açúcar: 1. Classe de carboidratos com sabor adocicado, incluindo glicose, frutose e sacarose. 2. Termo usado para se referir à glicemia sangüínea.
2 Doenças cardiovasculares: Doença do coração e vasos sangüíneos (artérias, veias e capilares).
3 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
4 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
   [Mais...]

Um implante1 para tratamento do diabetes2, do tamanho de dois pacotes de cartas de baralho, pode carregar sua bateria sem fio e reabastecer a insulina3 sem dor. A equipe que fez o dispositivo afirma que esse modelo de administração de insulina3 intraperitoneal pode revolucionar o tratamento do diabetes tipo 14. O dispositivo foi projetado para ser implantado dentro do abdômen, na parte externa do estômago5. Ele mede constantemente os níveis de insulina3 no sangue6 e libera doses do hormônio7 por meio de um pequeno cateter, conforme necessário. A bateria interna pode ser carregada sem fio por um dispositivo fora do corpo, e a insulina3 é recarregada usando cápsulas magnéticas que podem ser engolidas. O estudo descrevendo o implante1, chamado PILLSID, foi publicado na revista Science Robotics.
1 Implante: 1. Em cirurgia e odontologia é o material retirado do próprio indivíduo, de outrem ou artificialmente elaborado que é inserido ou enxertado em uma estrutura orgânica, de modo a fazer parte integrante dela. 2. Na medicina, é qualquer material natural ou artificial inserido ou enxertado no organismo. 3. Em patologia, é uma célula ou fragmento de tecido, especialmente de tumores, que migra para outro local do organismo, com subsequente crescimento.
2 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
3 Insulina: Hormônio que ajuda o organismo a usar glicose como energia. As células-beta do pâncreas produzem insulina. Quando o organismo não pode produzir insulna em quantidade suficiente, ela é usada por injeções ou bomba de insulina.
4 Diabetes tipo 1: Condição caracterizada por altos níveis de glicose causada por deficiência na produção de insulina. Ocorre quando o próprio sistema imune do organismo produz anticorpos contra as células-beta produtoras de insulina, destruindo-as. O diabetes tipo 1 se desenvolve principalmente em crianças e jovens, mas pode ocorrer em adultos. Há tendência em apresentar cetoacidose diabética.
5 Estômago: Órgão da digestão, localizado no quadrante superior esquerdo do abdome, entre o final do ESÔFAGO e o início do DUODENO.
6 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
7 Hormônio: Substância química produzida por uma parte do corpo e liberada no sangue para desencadear ou regular funções particulares do organismo. Por exemplo, a insulina é um hormônio produzido pelo pâncreas que diz a outras células quando usar a glicose para energia. Hormônios sintéticos, usados como medicamentos, podem ser semelhantes ou diferentes daqueles produzidos pelo organismo.
   [Mais...]

As taxas de diabetes gestacional1 aumentaram significativamente na última década nos EUA, de acordo com uma análise retrospectiva. O diabetes gestacional1 está associado a resultados adversos para a mãe e a prole. Entre mais de 12 milhões de indivíduos incluídos no estudo, a taxa geral padronizada por idade de diabetes gestacional1 aumentou de 47,6 para 63,5 por 1.000 nascidos vivos de 2011 a 2019 – um aumento médio de 3,7% ao ano. Essas taxas aumentaram em todos os grupos raciais, étnicos e etários, escreveram os pesquisadores no artigo publicado no JAMA. A taxa absoluta de diabetes gestacional1 foi mais alta em participantes indianas asiáticas, e este grupo tinha mais do que o dobro de probabilidade de ter diabetes gestacional1 em comparação com mulheres brancas.
1 Diabetes gestacional: Tipo de diabetes melito que se desenvolve durante a gravidez e habitualmente desaparece após o parto, mas aumenta o risco da mãe desenvolver diabetes no futuro. O diabetes gestacional é controlado com planejamento das refeições, atividade física e, em alguns casos, com o uso de insulina.
   [Mais...]

Crianças nascidas de mães com diabetes1 podem ter problemas na visão2 no início da idade adulta, sugeriu um novo estudo. No estudo de coorte3 nacional de pares de mães e filhos dinamarqueses, crianças que foram expostas ao diabetes1 no período pré-natal tiveram um risco aumentado de 39% de desenvolver alto erro de refração nos olhos4 aos 25 anos. Isso incluiu mães com diabetes tipo 15, diabetes tipo 26 e diabetes gestacional7, explicaram os autores no artigo publicado no periódico Diabetologia. Ao olhar para os riscos variáveis para alguns dos tipos específicos de alto erro de refração – hipermetropia8, miopia9 e astigmatismo10 – a exposição ao diabetes1 no útero11 foi associada a riscos significativamente aumentados para todas as três doenças oculares.
1 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
2 Visão: 1. Ato ou efeito de ver. 2. Percepção do mundo exterior pelos órgãos da vista; sentido da vista. 3. Algo visto, percebido. 4. Imagem ou representação que aparece aos olhos ou ao espírito, causada por delírio, ilusão, sonho; fantasma, visagem. 5. No sentido figurado, concepção ou representação, em espírito, de situações, questões etc.; interpretação, ponto de vista. 6. Percepção de fatos futuros ou distantes, como profecia ou advertência divina.
3 Estudo de coorte: Um estudo de coorte é realizado para verificar se indivíduos expostos a um determinado fator apresentam, em relação aos indivíduos não expostos, uma maior propensão a desenvolver uma determinada doença. Um estudo de coorte é constituído, em seu início, de um grupo de indivíduos, denominada coorte, em que todos estão livres da doença sob investigação. Os indivíduos dessa coorte são classificados em expostos e não-expostos ao fator de interesse, obtendo-se assim dois grupos (ou duas coortes de comparação). Essas coortes serão observadas por um período de tempo, verificando-se quais indivíduos desenvolvem a doença em questão. Os indivíduos expostos e não-expostos devem ser comparáveis, ou seja, semelhantes quanto aos demais fatores, que não o de interesse, para que as conclusões obtidas sejam confiáveis.
4 Olhos:
5 Diabetes tipo 1: Condição caracterizada por altos níveis de glicose causada por deficiência na produção de insulina. Ocorre quando o próprio sistema imune do organismo produz anticorpos contra as células-beta produtoras de insulina, destruindo-as. O diabetes tipo 1 se desenvolve principalmente em crianças e jovens, mas pode ocorrer em adultos. Há tendência em apresentar cetoacidose diabética.
6 Diabetes tipo 2: Condição caracterizada por altos níveis de glicose causada tanto por graus variáveis de resistência à insulina quanto por deficiência relativa na secreção de insulina. O tipo 2 se desenvolve predominantemente em pessoas na fase adulta, mas pode aparecer em jovens.
7 Diabetes gestacional: Tipo de diabetes melito que se desenvolve durante a gravidez e habitualmente desaparece após o parto, mas aumenta o risco da mãe desenvolver diabetes no futuro. O diabetes gestacional é controlado com planejamento das refeições, atividade física e, em alguns casos, com o uso de insulina.
8 Hipermetropia: Transtorno ocular em que existe uma dificuldade para ver objetos de perto. Origina-se de uma alteração dos meios de refração do olho, alteração esta que pode ser corrigida com o uso de lentes especiais e, mais recentemente, com o uso de cirurgia a laser.
9 Miopia: Incapacidade para ver de forma clara objetos que se encontram distantes do olho.Origina-se de uma alteração dos meios de refração do olho, alteração esta que pode ser corrigida com o uso de lentes especiais, e mais recentemente com o uso de cirurgia a laser.
10 Astigmatismo: Defeito de curvatura nas superfícies de refração do olho que produz transtornos de acuidade visual.
11 Útero: Orgão muscular oco (de paredes espessas), na pelve feminina. Constituído pelo fundo (corpo), local de IMPLANTAÇÃO DO EMBRIÃO e DESENVOLVIMENTO FETAL. Além do istmo (na extremidade perineal do fundo), encontra-se o COLO DO ÚTERO (pescoço), que se abre para a VAGINA. Além dos istmos (na extremidade abdominal superior do fundo), encontram-se as TUBAS UTERINAS.
   [Mais...]

Em um estudo retrospectivo1, publicado na revista Neurology, os inibidores da dipeptidil peptidase-4 (DPP-4) – agentes hipoglicemiantes2 usados para tratar diabetes tipo 23 – foram associados com carga amiloide baixa e declínio cognitivo4 mais lento. De 282 pacientes com doença de Alzheimer5 com comprometimento cognitivo4 e exame de PET scan positivo para amiloide, as pessoas que usaram inibidores da DPP-4 para tratar diabetes6 tiveram carga amiloide global menor do que as pessoas que usaram outros medicamentos para diabetes6 ou pessoas sem diabetes6. Esses achados sugerem que o uso de inibidores da DPP-4 está associado a uma carga amiloide baixa e a um desfecho cognitivo4 favorável a longo prazo em pacientes diabéticos com comprometimento cognitivo4 relacionado à doença de Alzheimer5.
1 Retrospectivo: Relativo a fatos passados, que se volta para o passado.
2 Hipoglicemiantes: Medicamentos que contribuem para manter a glicose sangüínea dentro dos limites normais, sendo capazes de diminuir níveis de glicose previamente elevados.
3 Diabetes tipo 2: Condição caracterizada por altos níveis de glicose causada tanto por graus variáveis de resistência à insulina quanto por deficiência relativa na secreção de insulina. O tipo 2 se desenvolve predominantemente em pessoas na fase adulta, mas pode aparecer em jovens.
4 Cognitivo: 1. Relativo ao conhecimento, à cognição. 2. Relativo ao processo mental de percepção, memória, juízo e/ou raciocínio. 3. Diz-se de estados e processos relativos à identificação de um saber dedutível e à resolução de tarefas e problemas determinados. 4. Diz-se dos princípios classificatórios derivados de constatações, percepções e/ou ações que norteiam a passagem das representações simbólicas à experiência, e também da organização hierárquica e da utilização no pensamento e linguagem daqueles mesmos princípios.
5 Doença de Alzheimer: É uma doença progressiva, de causa e tratamentos ainda desconhecidos que acomete preferencialmente as pessoas idosas. É uma forma de demência. No início há pequenos esquecimentos, vistos pelos familiares como parte do processo normal de envelhecimento, que se vão agravando gradualmente. Os pacientes tornam-se confusos e por vezes agressivos, passando a apresentar alterações da personalidade, com distúrbios de conduta e acabam por não reconhecer os próprios familiares e até a si mesmos quando colocados frente a um espelho. Tornam-se cada vez mais dependentes de terceiros, iniciam-se as dificuldades de locomoção, a comunicação inviabiliza-se e passam a necessitar de cuidados e supervisão integral, até mesmo para as atividades elementares como alimentação, higiene, vestuário, etc..
6 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
   [Mais...]

Crianças com diabetes tipo 21 correm alto risco de desenvolver complicações graves – variando de hipertensão2 a doença renal3 – por volta dos 20 ou 30 anos, de acordo com um estudo de 15 anos com centenas de jovens com a doença, publicado no The New England Journal of Medicine. Os pesquisadores descobriram que, ao final do período de estudo, 60% dos participantes – que tinham em média 26 anos na época – desenvolveram pelo menos uma complicação relacionada ao diabetes4. Assim, o estudo concluiu que, para pessoas que tiveram início de diabetes tipo 21 na juventude, o risco de complicações, incluindo complicações microvasculares, aumentou de forma constante ao longo do tempo e afetou a maioria dos participantes no início da idade adulta.
1 Diabetes tipo 2: Condição caracterizada por altos níveis de glicose causada tanto por graus variáveis de resistência à insulina quanto por deficiência relativa na secreção de insulina. O tipo 2 se desenvolve predominantemente em pessoas na fase adulta, mas pode aparecer em jovens.
2 Hipertensão: Condição presente quando o sangue flui através dos vasos com força maior que a normal. Também chamada de pressão alta. Hipertensão pode causar esforço cardíaco, dano aos vasos sangüíneos e aumento do risco de um ataque cardíaco, derrame ou acidente vascular cerebral, além de problemas renais e morte.
3 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
4 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
   [Mais...]

O diabetes tipo 21 é um fator de risco2 estabelecido para demência3. No entanto, os papéis do controle glicêmico e das complicações diabéticas no desenvolvimento da demência3 foram menos fundamentados. Este estudo, publicado na revista Diabetes4 Care, examinou as associações de níveis longitudinais de HbA1c5 e complicações diabéticas com o risco de incidência6 de demência3 entre pacientes com diabetes tipo 21. Os resultados mostraram que níveis de HbA1c5 mais altos ou instáveis e a presença de complicações diabéticas em pacientes com diabetes tipo 21 estão associados a um risco aumentado de demência3. Assim, o controle eficaz da glicemia7 pode ter um papel significativo na manutenção da saúde8 cognitiva9 entre idosos com diabetes4.
1 Diabetes tipo 2: Condição caracterizada por altos níveis de glicose causada tanto por graus variáveis de resistência à insulina quanto por deficiência relativa na secreção de insulina. O tipo 2 se desenvolve predominantemente em pessoas na fase adulta, mas pode aparecer em jovens.
2 Fator de risco: Qualquer coisa que aumente a chance de uma pessoa desenvolver uma doença.
3 Demência: Deterioração irreversível e crônica das funções intelectuais de uma pessoa.
4 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
5 HbA1C: Hemoglobina glicada, hemoglobina glicosilada, glico-hemoglobina ou HbA1C e, mais recentemente, apenas como A1C é uma ferramenta de diagnóstico na avaliação do controle glicêmico em pacientes diabéticos. Atualmente, a manutenção do nível de A1C abaixo de 7% é considerada um dos principais objetivos do controle glicêmico de pacientes diabéticos. Algumas sociedades médicas adotam metas terapêuticas mais rígidas de 6,5% para os valores de A1C.
6 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
7 Glicemia: Valor de concentração da glicose do sangue. Seus valores normais oscilam entre 70 e 110 miligramas por decilitro de sangue (mg/dl).
8 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
9 Cognitiva: 1. Relativa ao conhecimento, à cognição. 2. Relativa ao processo mental de percepção, memória, juízo e/ou raciocínio. 3. Diz-se de estados e processos relativos à identificação de um saber dedutível e à resolução de tarefas e problemas determinados. 4. Diz-se dos princípios classificatórios derivados de constatações, percepções e/ou ações que norteiam a passagem das representações simbólicas à experiência, e também da organização hierárquica e da utilização no pensamento e linguagem daqueles mesmos princípios.
   [Mais...]

O diabetes tipo 11 resulta da destruição autoimune2 de células3 β. O inibidor da tirosina4 quinase imatinibe pode afetar as vias imunológicas e metabólicas relevantes, e estudos pré-clínicos mostram que ele reverte e previne o diabetes5. Neste estudo, publicado pelo The Lancet Diabetes5 & Endocrinology, um curso de 26 semanas com imatinibe preservou a função das células3 β em 12 meses em adultos com diabetes tipo 11 de início recente. Dessa forma, o imatinibe pode oferecer um novo meio de alterar o curso do diabetes tipo 11. Considerações futuras são definir a dose ideal e a duração da terapia, entre outras avaliações; no entanto, é necessário um monitoramento cuidadoso para possíveis toxicidades.
1 Diabetes tipo 1: Condição caracterizada por altos níveis de glicose causada por deficiência na produção de insulina. Ocorre quando o próprio sistema imune do organismo produz anticorpos contra as células-beta produtoras de insulina, destruindo-as. O diabetes tipo 1 se desenvolve principalmente em crianças e jovens, mas pode ocorrer em adultos. Há tendência em apresentar cetoacidose diabética.
2 Autoimune: 1. Relativo à autoimunidade (estado patológico de um organismo atingido por suas próprias defesas imunitárias). 2. Produzido por autoimunidade. 3. Autoalergia.
3 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
4 Tirosina: É um dos aminoácidos polares, sem carga elétrica, que compõem as proteínas, caracterizado pela cadeia lateral curta na qual está presente um anel aromático e um grupamento hidroxila.
5 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
   [Mais...]

Mostrar: 10
« Anteriores - 1 - 2 - 3 - 4 - 5 - 6 - Próximos » - >>
31 a 40 (Total: 308)
  • Entrar
  • Receber conteúdos