news.med.br
Saúde - 24/08/21
A apneia obstrutiva do sono1, uma forma de distúrbio respiratório do sono, é comum em crianças e adolescentes e pode estar associada à elevação da pressão arterial2 e a alterações na estrutura do coração3, de acordo com uma nova declaração científica da American Heart Association, publicada no Journal of the American Heart Association. Uma declaração científica é uma análise especializada da pesquisa atual e pode informar diretrizes futuras. A pesquisa revisada para a declaração revela três pontos importantes: (1) a apneia obstrutiva do sono1 interrompe o sono restaurador normal, o que pode afetar a saúde4 emocional, bem como os sistemas imunológico, metabólico e cardiovascular em crianças e adolescentes; (2) estima-se que 1-6% de todas as crianças e adolescentes têm apneia obstrutiva do sono1; e (3) cerca de 30-60% dos adolescentes que preenchem os critérios de obesidade5 também têm apneia obstrutiva do sono1.
1 Apnéia obstrutiva do sono: Pausas na respiração durante o sono.
2 Pressão arterial: A relação que define a pressão arterial é o produto do fluxo sanguíneo pela resistência. Considerando-se a circulação como um todo, o fluxo total é denominado débito cardíaco, enquanto a resistência é denominada de resistência vascular periférica total.
3 Coração: Órgão muscular, oco, que mantém a circulação sangüínea.
4 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
5 Obesidade: Condição em que há acúmulo de gorduras no organismo além do normal, mais severo que o sobrepeso. O índice de massa corporal é igual ou maior que 30.
   [Mais...]

Saúde - 11/08/20
Em estudo realizado por pesquisadores da Universidade Johns Hopkins, tomografias de 750 indivíduos mostram que as pessoas obesas têm órgãos maiores e, portanto, mais células1. Isso pode explicar por que as pessoas obesas têm um risco maior de muitos tipos de câncer2.
1 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
2 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
   [Mais...]

Pharma News - 13/01/16
Pesquisadores vinculados ao projeto Repurposing Drugs in Oncology analisaram a literatura disponível e acreditam que os dados disponíveis são suficientes para que se dê início a ensaios clínicos1 de uso do diclofenaco no tratamento de vários tipos de câncer2.
1 Ensaios clínicos: Há três fases diferentes em um ensaio clínico. A Fase 1 é o primeiro teste de um tratamento em seres humanos para determinar se ele é seguro. A Fase 2 concentra-se em saber se um tratamento é eficaz. E a Fase 3 é o teste final antes da aprovação para determinar se o tratamento tem vantagens sobre os tratamentos padrões disponíveis.
2 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
   [Mais...]

Medical Journal - 01/10/21
Um teste barato de 5 minutos pode determinar com precisão se uma pessoa teve covid-19 no passado ou determinar se ela tem proteção de uma vacina1 detectando anticorpos2 no sangue3 ou saliva. Em um estudo publicado na revista Science Advances, pesquisadores relatam uma plataforma de detecção de imunoglobulina4 G (IgG) para SARS-CoV-2 ultrarrápida, de baixo custo e portátil baseada em transistores eletroquímicos orgânicos, que podem ser controlados remotamente por um telefone celular. O teste provou ser altamente preciso na medição de anticorpos2 contra o coronavírus quando foi testado em amostras de sangue3 e saliva que foram enriquecidas com diferentes níveis de anticorpos2 no laboratório, incluindo níveis muito baixos.
1 Vacina: Tratamento à base de bactérias, vírus vivos atenuados ou seus produtos celulares, que têm o objetivo de produzir uma imunização ativa no organismo para uma determinada infecção.
2 Anticorpos: Proteínas produzidas pelo organismo para se proteger de substâncias estranhas como bactérias ou vírus. As pessoas que têm diabetes tipo 1 produzem anticorpos que destroem as células beta produtoras de insulina do próprio organismo.
3 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
4 Imunoglobulina: Proteína do soro sanguíneo, sintetizada pelos plasmócitos provenientes dos linfócitos B como reação à entrada de uma substância estranha (antígeno) no organismo; anticorpo.
   [Mais...]

Medical Journal - 23/09/21
Novo estudo, publicado na revista Science, revelou um mecanismo cerebral específico da cocaína, que tem a particularidade de desencadear um aumento maciço da serotonina além do aumento da dopamina1 comum a todas as drogas. A serotonina atua como um freio intrínseco à superexcitação do sistema de recompensa provocado pela dopamina1, o neurotransmissor que causa o vício. O estudo mostrou que níveis elevados de serotonina podem prevenir o desenvolvimento da busca compulsiva de cocaína e do vício em camundongos. Assim, os resultados sugerem que a serotonina desempenha um papel essencial na modulação do risco de desenvolver dependência.
1 Dopamina: É um mediador químico presente nas glândulas suprarrenais, indispensável para a atividade normal do cérebro.
   [Mais...]

Medical Journal - 01/09/21
O sobrepeso1 e a obesidade2 nas mães durante a gravidez3 aumentam o risco de câncer4 colorretal (CCR) em seus filhos mais tarde na vida, de acordo com um estudo de base populacional publicado na revista científica Gut. O ganho de peso durante o início da gravidez3 também aumentou esse risco, mas apenas se o ganho de peso durante toda a gestação foi baixo. Isso sugere que um padrão discordante de crescimento fetal do início ao fim da gravidez3 pode afetar os resultados mais tarde na vida. Assim, os resultados sugerem que eventos dentro do útero5 são importantes fatores de risco para câncer4 colorretal e podem contribuir para o aumento das taxas de incidência6 em adultos jovens.
1 Sobrepeso: Peso acima do normal, índice de massa corporal entre 25 e 29,9.
2 Obesidade: Condição em que há acúmulo de gorduras no organismo além do normal, mais severo que o sobrepeso. O índice de massa corporal é igual ou maior que 30.
3 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
4 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
5 Útero: Orgão muscular oco (de paredes espessas), na pelve feminina. Constituído pelo fundo (corpo), local de IMPLANTAÇÃO DO EMBRIÃO e DESENVOLVIMENTO FETAL. Além do istmo (na extremidade perineal do fundo), encontra-se o COLO DO ÚTERO (pescoço), que se abre para a VAGINA. Além dos istmos (na extremidade abdominal superior do fundo), encontram-se as TUBAS UTERINAS.
6 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
   [Mais...]

Saúde - 31/08/21
Novas diretrizes para o controle da pressão arterial1 divulgadas pela Organização Mundial da Saúde2 (OMS) recomendam 130 mmHg como o limite máximo para o início de medicamentos para qualquer pessoa com fatores de risco ou histórico de doença cardiovascular e 140/90 mmHg para outras pessoas. A diretriz fornece as orientações de saúde2 pública global mais atuais e relevantes baseadas em evidências sobre o início do tratamento com agentes farmacológicos para hipertensão3 em adultos, e traz novas recomendações sobre o limite para o início do tratamento farmacológico para hipertensão3, bem como recomendações sobre intervalos de acompanhamento, pressão arterial1 alvo a ser atingida para controle e quadro de profissionais de saúde2 que podem iniciar o tratamento.
1 Pressão arterial: A relação que define a pressão arterial é o produto do fluxo sanguíneo pela resistência. Considerando-se a circulação como um todo, o fluxo total é denominado débito cardíaco, enquanto a resistência é denominada de resistência vascular periférica total.
2 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
3 Hipertensão: Condição presente quando o sangue flui através dos vasos com força maior que a normal. Também chamada de pressão alta. Hipertensão pode causar esforço cardíaco, dano aos vasos sangüíneos e aumento do risco de um ataque cardíaco, derrame ou acidente vascular cerebral, além de problemas renais e morte.
   [Mais...]

Medical Journal - 25/08/21
Em um estudo retrospectivo1, publicado na revista Neurology, os inibidores da dipeptidil peptidase-4 (DPP-4) – agentes hipoglicemiantes2 usados para tratar diabetes tipo 23 – foram associados com carga amiloide baixa e declínio cognitivo4 mais lento. De 282 pacientes com doença de Alzheimer5 com comprometimento cognitivo4 e exame de PET scan positivo para amiloide, as pessoas que usaram inibidores da DPP-4 para tratar diabetes6 tiveram carga amiloide global menor do que as pessoas que usaram outros medicamentos para diabetes6 ou pessoas sem diabetes6. Esses achados sugerem que o uso de inibidores da DPP-4 está associado a uma carga amiloide baixa e a um desfecho cognitivo4 favorável a longo prazo em pacientes diabéticos com comprometimento cognitivo4 relacionado à doença de Alzheimer5.
1 Retrospectivo: Relativo a fatos passados, que se volta para o passado.
2 Hipoglicemiantes: Medicamentos que contribuem para manter a glicose sangüínea dentro dos limites normais, sendo capazes de diminuir níveis de glicose previamente elevados.
3 Diabetes tipo 2: Condição caracterizada por altos níveis de glicose causada tanto por graus variáveis de resistência à insulina quanto por deficiência relativa na secreção de insulina. O tipo 2 se desenvolve predominantemente em pessoas na fase adulta, mas pode aparecer em jovens.
4 Cognitivo: 1. Relativo ao conhecimento, à cognição. 2. Relativo ao processo mental de percepção, memória, juízo e/ou raciocínio. 3. Diz-se de estados e processos relativos à identificação de um saber dedutível e à resolução de tarefas e problemas determinados. 4. Diz-se dos princípios classificatórios derivados de constatações, percepções e/ou ações que norteiam a passagem das representações simbólicas à experiência, e também da organização hierárquica e da utilização no pensamento e linguagem daqueles mesmos princípios.
5 Doença de Alzheimer: É uma doença progressiva, de causa e tratamentos ainda desconhecidos que acomete preferencialmente as pessoas idosas. É uma forma de demência. No início há pequenos esquecimentos, vistos pelos familiares como parte do processo normal de envelhecimento, que se vão agravando gradualmente. Os pacientes tornam-se confusos e por vezes agressivos, passando a apresentar alterações da personalidade, com distúrbios de conduta e acabam por não reconhecer os próprios familiares e até a si mesmos quando colocados frente a um espelho. Tornam-se cada vez mais dependentes de terceiros, iniciam-se as dificuldades de locomoção, a comunicação inviabiliza-se e passam a necessitar de cuidados e supervisão integral, até mesmo para as atividades elementares como alimentação, higiene, vestuário, etc..
6 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
   [Mais...]

Medical Journal - 24/08/21
O sono interrompido geralmente ocorre com a progressão da doença neurodegenerativa. Estudos de neuroimagem grandes e bem caracterizados de adultos sem comprometimento cognitivo1 são necessários para esclarecer a magnitude e o início da associação entre o sono e a patologia2 β-amiloide (Aβ) emergente. Neste estudo, publicado pelo JAMA Network Open, demonstrou-se um risco aumentado de deposição de Aβ com a redução da duração do sono noturno, que ocorreu precocemente, antes do comprometimento cognitivo1 ou deposição significativa de Aβ. O sono diurno pode estar associado a um aumento no risco de acúmulo precoce de Aβ e não parece ser corretivo para a perda de sono noturno, demonstrando uma dependência do ritmo circadiano3 do sono na prevenção do acúmulo de Aβ.
1 Cognitivo: 1. Relativo ao conhecimento, à cognição. 2. Relativo ao processo mental de percepção, memória, juízo e/ou raciocínio. 3. Diz-se de estados e processos relativos à identificação de um saber dedutível e à resolução de tarefas e problemas determinados. 4. Diz-se dos princípios classificatórios derivados de constatações, percepções e/ou ações que norteiam a passagem das representações simbólicas à experiência, e também da organização hierárquica e da utilização no pensamento e linguagem daqueles mesmos princípios.
2 Patologia: 1. Especialidade médica que estuda as doenças e as alterações que estas provocam no organismo. 2. Qualquer desvio anatômico e/ou fisiológico, em relação à normalidade, que constitua uma doença ou caracterize determinada doença. 3. Por extensão de sentido, é o desvio em relação ao que é próprio ou adequado ou em relação ao que é considerado como o estado normal de uma coisa inanimada ou imaterial.
3 Ritmo circadiano: Também conhecido como ciclo circadiano, o ritmo circadiano representa o período de um dia (24 horas) no qual se completam as atividades do ciclo biológico dos seres vivos. Uma das funções deste sistema é o ajuste do relógio biológico, controlando o sono e o apetite. Através de um marca-passo interno que se encontra no cérebro, o ritmo circadiano regula tanto os ritmos materiais quanto os psicológicos, o que pode influenciar em atividade como: digestão em vigília, renovação de células e controle de temperatura corporal.
   [Mais...]

Medical Journal - 22/07/21
Tomar uma estatina profilática durante o final da gravidez1 não ajudou as mulheres que esperavam reduzir o risco de pré-eclâmpsia2 a termo, descobriu um estudo randomizado3, publicado no periódico Circulation. Uma incidência4 semelhante de parto com pré-eclâmpsia2 foi observada se grávidas de alto risco receberam terapia com pravastatina (de 35-37 semanas de gestação até o parto ou até 41 semanas) ou se receberam placebo5 correspondente. Também não houve diferença significativa entre os grupos na incidência4 de quaisquer resultados secundários. Assim, as grávidas permanecem sem uma intervenção profilática eficaz para reduzir a pré-eclâmpsia2 a termo.
1 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
2 Pré-eclâmpsia: É caracterizada por hipertensão, edema (retenção de líquidos) e proteinúria (presença de proteína na urina). Manifesta-se na segunda metade da gravidez (após a 20a semana de gestação) e pode evoluir para convulsão e coma, mas essas condições melhoram com a saída do feto e da placenta. No meio médico, o termo usado é Moléstia Hipertensiva Específica da Gravidez. É a principal causa de morte materna no Brasil atualmente.
3 Estudo randomizado: Ensaios clínicos comparativos randomizados são considerados o melhor delineamento experimental para avaliar questões relacionadas a tratamento e prevenção. Classicamente, são definidos como experimentos médicos projetados para determinar qual de duas ou mais intervenções é a mais eficaz mediante a alocação aleatória, isto é, randomizada, dos pacientes aos diferentes grupos de estudo. Em geral, um dos grupos é considerado controle - o que algumas vezes pode ser ausência de tratamento, placebo, ou mais frequentemente, um tratamento de eficácia reconhecida. Recursos estatísticos são disponíveis para validar conclusões e maximizar a chance de identificar o melhor tratamento. Esses modelos são chamados de estudos de superioridade, cujo objetivo é determinar se um tratamento em investigação é superior ao agente comparativo.
4 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
5 Placebo: Preparação neutra quanto a efeitos farmacológicos, ministrada em substituição a um medicamento, com a finalidade de suscitar ou controlar as reações, geralmente de natureza psicológica, que acompanham tal procedimento terapêutico.
   [Mais...]

Mostrar: 10
<< - « Anteriores - 4 - 5 - 6 - 7 - 8 - 9 - Próximos » - >>
61 a 70 (Total: 1799)
  • Entrar
  • Receber conteúdos