news.med.br
Medical Journal - 23/12/21
O prognóstico1 de pacientes com linfoma2 de grandes células3 B recidivante4 ou refratário precoce após o recebimento de quimioimunoterapia de primeira linha é ruim. Neste ensaio, publicado pelo The New England Journal of Medicine, avaliou-se os resultados de axicabtagene ciloleucel (axi-cel, uma terapia de células3 T com receptor de antígeno5 quimérico anti-CD19 autólogo) como uma terapia de segunda linha. A análise do desfecho primário de sobrevida6 livre de eventos mostrou que a terapia com axi-cel foi superior ao tratamento padrão. A sobrevida6 livre de eventos em 24 meses foi de 41% para axi-cel e 16% para tratamento padrão. O estudo concluiu que a terapia com axi-cel levou a melhorias significativas, em comparação com o tratamento padrão, na sobrevida6 livre de eventos e na resposta, com o nível esperado de efeitos tóxicos de alto grau.
1 Prognóstico: 1. Juízo médico, baseado no diagnóstico e nas possibilidades terapêuticas, em relação à duração, à evolução e ao termo de uma doença. Em medicina, predição do curso ou do resultado provável de uma doença; prognose. 2. Predição, presságio, profecia relativos a qualquer assunto. 3. Relativo a prognose. 4. Que traça o provável desenvolvimento futuro ou o resultado de um processo. 5. Que pode indicar acontecimentos futuros (diz-se de sinal, sintoma, indício, etc.). 6. No uso pejorativo, pernóstico, doutoral, professoral; prognóstico.
2 Linfoma: Doença maligna que se caracteriza pela proliferação descontrolada de linfócitos ou seus precursores. A pessoa com linfoma pode apresentar um aumento de tamanho dos gânglios linfáticos, do baço, do fígado e desenvolver febre, perda de peso e debilidade geral.
3 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
4 Recidivante: Característica da doença que recidiva, que acontece de forma recorrente ou repetitiva.
5 Antígeno: 1. Partícula ou molécula capaz de deflagrar a produção de anticorpo específico. 2. Substância que, introduzida no organismo, provoca a formação de anticorpo.
6 Sobrevida: Prolongamento da vida além de certo limite; prolongamento da existência além da morte, vida futura.
   [Mais...]

Medical Journal - 22/12/21
Um produto químico isolado do extrato de semente de uva prolonga a expectativa de vida1 de ratos velhos em 9% ao limpar suas células2 velhas e gastas. O tratamento também parece deixar os ratos em boa forma física e reduzir o tamanho dos tumores quando usado junto com a quimioterapia3 para tratar o câncer4, segundo estudo publicado na revista Nature Metabolism. O estudo descobriu que o flavonoide procianidina C1 tem atividade senoterapêutica e aumenta o tempo de vida em camundongos, identificando-o como um agente senoterapêutico natural com atividade in vivo e alto potencial para desenvolvimento posterior como uma intervenção clínica para retardar, aliviar ou prevenir patologias relacionadas à idade. A descoberta fortalece o caso para futuras terapias anti-envelhecimento que tenham como alvo as células2 senescentes5.
1 Expectativa de vida: A expectativa de vida ao nascer é o número de anos que se calcula que um recém-nascido pode viver caso as taxas de mortalidade registradas da população residente, no ano de seu nascimento, permaneçam as mesmas ao longo de sua vida.
2 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
3 Quimioterapia: Método que utiliza compostos químicos, chamados quimioterápicos, no tratamento de doenças causadas por agentes biológicos. Quando aplicada ao câncer, a quimioterapia é chamada de quimioterapia antineoplásica ou quimioterapia antiblástica.
4 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
5 Senescentes: Que está em processo de envelhecimento.
   [Mais...]

Medical Journal - 21/12/21
Estudo publicado na revista Diabetes1 Care teve como objetivo avaliar a associação de um estilo de vida saudável, envolvendo sete fatores de baixo risco mencionados nas diretrizes de gerenciamento de diabetes1 (não fumar, consumo moderado de álcool, atividade física regular, dieta saudável, comportamento menos sedentário, duração adequada do sono e conexão social adequada), com mortalidade2 por todas as causas e por causa específica entre indivíduos com diabetes tipo 23. Foi demonstrado que um estilo de vida saudável foi associado a um menor risco de mortalidade2 por todas as causas e mortalidade2 devido a doenças cardiovasculares4, câncer5, doenças respiratórias e doenças digestivas entre indivíduos com diabetes tipo 23. Na análise de risco atribuível à população, 29,4% das mortes foram atribuídas a um estilo de vida ruim.
1 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
2 Mortalidade: A taxa de mortalidade ou coeficiente de mortalidade é um dado demográfico do número de óbitos, geralmente para cada mil habitantes em uma dada região, em um determinado período de tempo.
3 Diabetes tipo 2: Condição caracterizada por altos níveis de glicose causada tanto por graus variáveis de resistência à insulina quanto por deficiência relativa na secreção de insulina. O tipo 2 se desenvolve predominantemente em pessoas na fase adulta, mas pode aparecer em jovens.
4 Doenças cardiovasculares: Doença do coração e vasos sangüíneos (artérias, veias e capilares).
5 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
   [Mais...]

Medical Journal - 20/12/21
Pesquisa realizada com células1 de camundongos aponta um caminho promissor para novas linhas de estudo com foco no tratamento do câncer2 de mama3 triplo-negativo, um tumor4 agressivo e com alta probabilidade de metástase5. Um grupo de pesquisadores identificou um pequeno conjunto de aminoácidos (um peptídeo com a sequência CSSTRESAC) capaz de se ligar a um receptor alternativo para a vitamina6 D. Chamado de PDIA3, esse receptor é encontrado na membrana de macrófagos7 (importantes células1 de defesa do organismo) que se infiltram nos tumores de mama3 triplo-negativo e causam imunossupressão8. De acordo com a pesquisa, a administração sistêmica de CSSTRESAC levou à elevada expressão de citocinas9 antitumorais e à modulação da resposta celular. Em conjunto, esses dois fatores ativaram a resposta imune e reduziram o crescimento dos tumores nos camundongos. O resultado do trabalho foi publicado na revista científica eLife.
1 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
2 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
3 Mama: Em humanos, uma das regiões pareadas na porção anterior do TÓRAX. As mamas consistem das GLÂNDULAS MAMÁRIAS, PELE, MÚSCULOS, TECIDO ADIPOSO e os TECIDOS CONJUNTIVOS.
4 Tumor: Termo que literalmente significa massa ou formação de tecido. É utilizado em geral para referir-se a uma formação neoplásica.
5 Metástase: Formação de tecido tumoral, localizada em um lugar distante do sítio de origem. Por exemplo, pode se formar uma metástase no cérebro originário de um câncer no pulmão. Sua gravidade depende da localização e da resposta ao tratamento instaurado.
6 Vitamina: Compostos presentes em pequenas quantidades nos diversos alimentos e nutrientes e que são indispensáveis para o desenvolvimento dos processos biológicos normais.
7 Macrófagos: É uma célula grande, derivada do monócito do sangue. Ela tem a função de englobar e destruir, por fagocitose, corpos estranhos e volumosos.
8 Imunossupressão: Supressão das reações imunitárias do organismo, induzida por medicamentos (corticosteroides, ciclosporina A, etc.) ou agentes imunoterápicos (anticorpos monoclonais, por exemplo); que é utilizada em alergias, doenças autoimunes, etc. A imunossupressão é impropriamente tomada por alguns como sinônimo de imunodepressão.
9 Citocinas: Citoquina ou citocina é a designação genérica de certas substâncias segregadas por células do sistema imunitário que controlam as reações imunes do organismo.
   [Mais...]

Medical Journal - 20/12/21
A adição de um novo anticorpo1 anti-GD2 (hu14.18K322A) à quimioterapia2 de indução para crianças com neuroblastoma de alto risco recém-diagnosticado produziu resultados de sobrevida3 impressionantes e respostas precoces melhoradas em relação aos pontos de referência históricos, relataram os pesquisadores. Em um estudo de fase II de braço único, a taxa de sobrevida3 livre de eventos em 3 anos atingiu 73,7% entre os pacientes avaliáveis, enquanto a sobrevida3 global foi de 86,0%, de acordo com o estudo publicado no Journal of Clinical Oncology. Essas descobertas foram acompanhadas por resultados que mostraram resposta em dois terços dos pacientes após os dois primeiros ciclos de quimioimunoterapia, uma melhora significativa quando comparada com um grupo histórico de crianças tratadas apenas com quimioterapia2 idêntica. Esses resultados, se validados em um estudo maior, podem mudar a prática atual.
1 Anticorpo: Proteína circulante liberada pelos linfócitos em reação à presença no organismo de uma substância estranha (antígeno).
2 Quimioterapia: Método que utiliza compostos químicos, chamados quimioterápicos, no tratamento de doenças causadas por agentes biológicos. Quando aplicada ao câncer, a quimioterapia é chamada de quimioterapia antineoplásica ou quimioterapia antiblástica.
3 Sobrevida: Prolongamento da vida além de certo limite; prolongamento da existência além da morte, vida futura.
   [Mais...]

Medical Journal - 17/12/21
A síndrome1 de Sjögren é uma doença autoimune2 caracterizada por boca3 e olhos4 secos, características sistêmicas e redução da qualidade de vida. Não existem tratamentos modificadores da doença. Um novo produto biológico, o ianalumabe (VAY736), com dois modos de suprimir as células5 B, já havia demonstrado eficácia preliminar. Este ensaio de determinação de dose, publicado no The Lancet, teve como objetivo avaliar a segurança e eficácia de diferentes doses subcutâneas de ianalumabe em pacientes com síndrome1 de Sjögren primária moderada a grave. A pontuação do Índice de Atividade da Doença da Síndrome1 de Sjögren diminuiu desde a linha de base em todos os grupos de ianalumabe, com a alteração máxima da pontuação observada no grupo de 300 mg de ianalumabe. O estudo atingiu seu objetivo principal, mostrando uma diminuição relacionada à dose na atividade da doença. No geral, o ianalumabe foi bem tolerado e seguro, sem aumento de infecções6.
1 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
2 Autoimune: 1. Relativo à autoimunidade (estado patológico de um organismo atingido por suas próprias defesas imunitárias). 2. Produzido por autoimunidade. 3. Autoalergia.
3 Boca: Cavidade oral ovalada (localizada no ápice do trato digestivo) composta de duas partes
4 Olhos:
5 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
6 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
   [Mais...]

Medical Journal - 16/12/21
Um experimento em cultura de células1 mostrou ser possível estimular o sistema imune2 de recém-nascidos a combater o HIV3, vírus4 causador da AIDS. A descoberta amplia a possibilidade de novas intervenções terapêuticas para a proteção contra doenças infecciosas nesse período da vida. O estudo foi conduzido na Faculdade de Medicina da USP e publicado no Journal of Infectious Diseases. Os pesquisadores avaliaram os efeitos imunomoduladores e antivirais de adjuvantes de interferon tipo I (IFN-I) em macrófagos5 derivados de monócitos6 do cordão umbilical7 após infecção8 por HIV3-1. Os resultados sugerem que os macrófagos5 do cordão umbilical7 são capazes de estabelecer respostas antivirais induzidas por adjuvantes de IFN-I semelhantes aos de seus homólogos adultos, revelando um potencial candidato a adjuvante para aumentar a resposta imune neonatal.
1 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
2 Sistema imune: Sistema de defesa do organismo contra infecções e outros ataques de micro-organismos que enfraquecem o nosso corpo.
3 HIV: Abreviatura em inglês do vírus da imunodeficiência humana. É o agente causador da AIDS.
4 Vírus: Pequeno microorganismo capaz de infectar uma célula de um organismo superior e replicar-se utilizando os elementos celulares do hospedeiro. São capazes de causar múltiplas doenças, desde um resfriado comum até a AIDS.
5 Macrófagos: É uma célula grande, derivada do monócito do sangue. Ela tem a função de englobar e destruir, por fagocitose, corpos estranhos e volumosos.
6 Monócitos: É um tipo de leucócito mononuclear fagocitário, que se forma na medula óssea e é posteriormente transportado para os tecidos, onde se desenvolve em macrófagos.
7 Cordão Umbilical: Estrutura flexível semelhante a corda, que conecta um FETO em desenvolvimento à PLACENTA, em mamíferos. O cordão contém vasos sanguíneos que transportam oxigênio e nutrientes da mãe ao feto e resíduos para longe do feto.
8 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
   [Mais...]

Medical Journal - 15/12/21
Idosos submetidos à cirurgia de catarata1 para melhorar a visão2 têm menor probabilidade de desenvolver demência3 posteriormente, segundo um novo estudo publicado no JAMA Internal Medicine. No estudo de coorte4 avaliando 3.038 adultos de 65 anos de idade ou mais com catarata1, os participantes que se submeteram à extração de catarata1 tiveram, em média, 71 por cento da chance de desenvolver demência3 do que aqueles que não fizeram cirurgia de catarata1 após controlar vários riscos adicionais. Em comparação, o risco de demência3 não diferiu entre os participantes que se submeteram ou não à cirurgia de glaucoma5, que não restaura a visão2. Se validada em estudos futuros, a cirurgia de catarata1 pode ter relevância clínica em idosos com risco de desenvolver demência3.
1 Catarata: Opacificação das lentes dos olhos (opacificação do cristalino).
2 Visão: 1. Ato ou efeito de ver. 2. Percepção do mundo exterior pelos órgãos da vista; sentido da vista. 3. Algo visto, percebido. 4. Imagem ou representação que aparece aos olhos ou ao espírito, causada por delírio, ilusão, sonho; fantasma, visagem. 5. No sentido figurado, concepção ou representação, em espírito, de situações, questões etc.; interpretação, ponto de vista. 6. Percepção de fatos futuros ou distantes, como profecia ou advertência divina.
3 Demência: Deterioração irreversível e crônica das funções intelectuais de uma pessoa.
4 Estudo de coorte: Um estudo de coorte é realizado para verificar se indivíduos expostos a um determinado fator apresentam, em relação aos indivíduos não expostos, uma maior propensão a desenvolver uma determinada doença. Um estudo de coorte é constituído, em seu início, de um grupo de indivíduos, denominada coorte, em que todos estão livres da doença sob investigação. Os indivíduos dessa coorte são classificados em expostos e não-expostos ao fator de interesse, obtendo-se assim dois grupos (ou duas coortes de comparação). Essas coortes serão observadas por um período de tempo, verificando-se quais indivíduos desenvolvem a doença em questão. Os indivíduos expostos e não-expostos devem ser comparáveis, ou seja, semelhantes quanto aos demais fatores, que não o de interesse, para que as conclusões obtidas sejam confiáveis.
5 Glaucoma: É quando há aumento da pressão intra-ocular e danos ao nervo óptico decorrentes desse aumento de pressão. Esses danos se expressam no exame de fundo de olho e por alterações no campo de visão.
   [Mais...]

Medical Journal - 15/12/21
O citrato de sildenafila (Viagra, Revatio) pode ser um candidato a medicamento para prevenir ou tratar a doença de Alzheimer1, sugeriu uma nova pesquisa. Ao longo de 6 anos de acompanhamento, os usuários de citrato de sildenafila foram 69% menos propensos a desenvolver a doença de Alzheimer1 do que os não usuários, mostrou um estudo publicado na revista Nature Aging. O viagra também emergiu como um potencial modificador do risco da doença em uma análise de medicamentos que podem ser reaproveitados para o Alzheimer2. Além disso, o medicamento, que é aprovado para tratar disfunção erétil e hipertensão arterial3 pulmonar, aumentou o crescimento de neuritos e diminuiu a expressão de fosfo-tau em modelos de neurônios4 derivados de células-tronco5 pluripotentes induzidas. Entender os endofenótipos pode revelar mecanismos subjacentes comuns e levar a medicamentos que podem ser reaproveitados para doenças como Alzheimer2, observaram os pesquisadores.
1 Doença de Alzheimer: É uma doença progressiva, de causa e tratamentos ainda desconhecidos que acomete preferencialmente as pessoas idosas. É uma forma de demência. No início há pequenos esquecimentos, vistos pelos familiares como parte do processo normal de envelhecimento, que se vão agravando gradualmente. Os pacientes tornam-se confusos e por vezes agressivos, passando a apresentar alterações da personalidade, com distúrbios de conduta e acabam por não reconhecer os próprios familiares e até a si mesmos quando colocados frente a um espelho. Tornam-se cada vez mais dependentes de terceiros, iniciam-se as dificuldades de locomoção, a comunicação inviabiliza-se e passam a necessitar de cuidados e supervisão integral, até mesmo para as atividades elementares como alimentação, higiene, vestuário, etc..
2 Alzheimer: Doença degenerativa crônica que produz uma deterioração insidiosa e progressiva das funções intelectuais superiores. É uma das causas mais freqüentes de demência. Geralmente começa a partir dos 50 anos de idade e tem incidência similar entre homens e mulheres.
3 Hipertensão arterial: Aumento dos valores de pressão arterial acima dos valores considerados normais, que no adulto são de 140 milímetros de mercúrio de pressão sistólica e 85 milímetros de pressão diastólica.
4 Neurônios: Unidades celulares básicas do tecido nervoso. Cada neurônio é formado por corpo, axônio e dendritos. Sua função é receber, conduzir e transmitir impulsos no SISTEMA NERVOSO. Sinônimos: Células Nervosas
5 Células-tronco: São células primárias encontradas em todos os organismos multicelulares que retêm a habilidade de se renovar por meio da divisão celular mitótica e podem se diferenciar em uma vasta gama de tipos de células especializadas.
   [Mais...]

Medical Journal - 14/12/21
Estudo publicado no European Heart Journal avaliou a associação da ingestão de alimentos ultraprocessados (AUP) e mortalidade1 entre indivíduos com história de doença cardiovascular (DCV) e analisou algumas vias biológicas que possivelmente relacionam a ingestão de AUP à morte. Maior ingestão de AUP, em oposição à menor ingestão, foi associada a maiores riscos de mortalidade1 por todas as causas e mortalidade1 por DCV. Níveis alterados de cistatina C explicaram 18,3% e 16,6% da relação entre AUP com mortalidade1 por todas as causas e mortalidade1 por DCV, respectivamente. O estudo concluiu que uma dieta rica em alimentos ultraprocessados está associada a riscos aumentados de mortalidade1 por todas as causas e por doenças cardiovasculares2 entre indivíduos com eventos cardiovasculares prévios, possivelmente por meio de uma função renal3 alterada.
1 Mortalidade: A taxa de mortalidade ou coeficiente de mortalidade é um dado demográfico do número de óbitos, geralmente para cada mil habitantes em uma dada região, em um determinado período de tempo.
2 Doenças cardiovasculares: Doença do coração e vasos sangüíneos (artérias, veias e capilares).
3 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
   [Mais...]

Mostrar: 10
« Anteriores - 1 - 2 - 3 - 4 - 5 - 6 - Próximos » - >>
21 a 30 (Total: 2998)
  • Entrar
  • Receber conteúdos