Gostou do artigo? Compartilhe!

Anvisa aprova uso emergencial do medicamento Regdanvimabe para tratamento da COVID-19

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Na quarta-feira, 11 de agosto, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou a autorização temporária de uso emergencial, em caráter experimental, do medicamento Regdanvimabe para tratamento da COVID-19.

Esse é o quarto medicamento autorizado no Brasil para tratamento da Covid, sendo o terceiro em uso emergencial. De nome comercial Regkirona, o medicamento é um anticorpo1 monoclonal, ou seja, um produto biológico produzido em laboratórios e que reproduz anticorpos2 que ajudam o organismo no combate a alguma doença específica. É importante destacar que esses anticorpos2 não previnem a doença.

Leia sobre "Tratamentos medicamentosos para covid-19" e "Anticorpos2 anti-SARS-COV-2".

O regdanvimabe é indicado para o tratamento de Covid-19 leve a moderada em pacientes adultos que não necessitam de suplementação3 de oxigênio, com infecção4 por Sars-CoV-2 confirmada por laboratório e que apresentam alto risco de progressão para a doença em sua forma mais grave. O alto risco, na bula do medicamento, envolve pacientes que atendam a pelo menos um dos seguintes critérios:

  • Tenham índice de massa corporal5 (IMC6) ≥35.
  • Tenham doença renal7 crônica.
  • Tenham diabetes8.
  • Tenham doença imunossupressora.
  • Estejam recebendo tratamento imunossupressor9 no momento.
  • Possuam 65 anos de idade ou mais.
  • Possuam 55 anos de idade ou mais e tenham: 1. doença cardiovascular ou hipertensão10; OU 2. doença pulmonar obstrutiva crônica OU outra doença respiratória crônica.

O medicamento não está indicado para uso em pacientes que: 1) estejam hospitalizados devido a complicações da Covid-19; 2) necessitem de oxigenoterapia devido à Covid-19; e 3) requeiram um aumento na taxa de fluxo de oxigênio basal devido à Covid-19, em pacientes submetidos à oxigenoterapia crônica devido a comorbidade11 subjacente não relacionada à Covid-19.

No caso das grávidas, segundo a Anvisa, os anticorpos2 gerados pelo Regdanvimabe são conhecidos por cruzar a barreira placentária e, portanto, teria potencial para ser transferido da mãe para o feto12.  É desconhecido, porém, se essa transferência fornece qualquer benefício ou risco. Tendo em vista o limitado conhecimento sobre o produto, seu uso na gravidez13 só deve ser considerado se o possível benefício para a paciente for superior a eventuais riscos para o feto12.

O produto é injetável e de uso restrito a hospitais, preferencialmente para uso em programas de saúde14 pública no combate ao coronavírus. A dose recomendada é uma dose única de 40 mg/kg. Este medicamento deve ser administrado após teste viral positivo para Sars-CoV-2 e dentro de sete dias após o início dos sintomas15.

Veja também sobre "Uso emergencial do remdesivir contra a COVID-19", "Coquetel de anticorpos2 REGEN-COV" e "Terapia de nanopartículas contra a COVID-19".

 

Fontes:
Agência Brasil, notícia publicada em 11 de agosto de 2021.
Anvisa, publicação em 11 de agosto de 2021.

 

NEWS.MED.BR, 2021. Anvisa aprova uso emergencial do medicamento Regdanvimabe para tratamento da COVID-19. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/pharma-news/1399395/anvisa-aprova-uso-emergencial-do-medicamento-regdanvimabe-para-tratamento-da-covid-19.htm>. Acesso em: 18 out. 2021.

Complementos

1 Anticorpo: Proteína circulante liberada pelos linfócitos em reação à presença no organismo de uma substância estranha (antígeno).
2 Anticorpos: Proteínas produzidas pelo organismo para se proteger de substâncias estranhas como bactérias ou vírus. As pessoas que têm diabetes tipo 1 produzem anticorpos que destroem as células beta produtoras de insulina do próprio organismo.
3 Suplementação: Que serve de suplemento para suprir o que falta, que completa ou amplia.
4 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
5 Índice de massa corporal: Medida usada para avaliar se uma pessoa está abaixo do peso, com peso normal, com sobrepeso ou obesa. É a medida mais usada na prática para saber se você é considerado obeso ou não. Também conhecido como IMC. É calculado dividindo-se o peso corporal em quilogramas pelo quadrado da altura em metros. Existe uma tabela da Organização Mundial de Saúde que classifica as medidas de acordo com o resultado encontrado.
6 IMC: Medida usada para avaliar se uma pessoa está abaixo do peso, com peso normal, com sobrepeso ou obesa. É a medida mais usada na prática para saber se você é considerado obeso ou não. Também conhecido como IMC. É calculado dividindo-se o peso corporal em quilogramas pelo quadrado da altura em metros. Existe uma tabela da Organização Mundial de Saúde que classifica as medidas de acordo com o resultado encontrado.
7 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
8 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
9 Imunossupressor: Medicamento que suprime a resposta imune natural do organismo. Os imunossupressores são dados aos pacientes transplantados para evitar a rejeição de órgãos ou para pacientes com doenças autoimunes.
10 Hipertensão: Condição presente quando o sangue flui através dos vasos com força maior que a normal. Também chamada de pressão alta. Hipertensão pode causar esforço cardíaco, dano aos vasos sangüíneos e aumento do risco de um ataque cardíaco, derrame ou acidente vascular cerebral, além de problemas renais e morte.
11 Comorbidade: Coexistência de transtornos ou doenças.
12 Feto: Filhote por nascer de um mamífero vivíparo no período pós-embrionário, depois que as principais estruturas foram delineadas. Em humanos, do filhote por nascer vai do final da oitava semana após a CONCEPÇÃO até o NASCIMENTO, diferente do EMBRIÃO DE MAMÍFERO prematuro.
13 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
14 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
15 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
Gostou do artigo? Compartilhe!