Gostou do artigo? Compartilhe!

Uma terapia de nanopartículas contra a COVID-19 usando pequeno RNA de interferência inibiu efetivamente o SARS-CoV-2 em mais de 90%

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

A COVID-19 é causada por infecção1 pelo coronavírus SARS-CoV-2 em humanos. Apesar de várias vacinas emergentes, ainda não existe uma terapêutica2 verificável direcionada especificamente para o vírus3.

Agora, em uma pesquisa publicada na revista Molecular Therapy, pesquisadores descrevem o desenvolvimento de uma droga experimental contra a COVID-19, que se mostrou capaz de reduzir em mais de 90% a carga viral em testes. Em ensaios com camundongos, o medicamento intravenoso conseguiu atacar o genoma do coronavírus e impedir sua replicação no órgão respiratório dos animais, através de uma abordagem chamada “silenciamento de genes”.

Leia sobre "Coquetel de anticorpos4 REGEN-COV contra COVID-19" e "Novos alvos para o desenvolvimento de medicamentos contra a COVID-19".

“É uma tecnologia que trabalha com pequenos fragmentos5 de RNA que podem se ligar especificamente ao genoma do vírus3. Essa ligação faz com que o genoma não funcione mais e, de fato, faz com que as células6 o destruam, cortando-o”, explica, em vídeo, Nigel McMillan, diretor do Programa de Doenças Infecciosas e Imunologia do Menzies Health Institute Queensland e coautor da pesquisa.

No estudo, os pesquisadores apresentam uma terapêutica2 com pequeno RNA de interferência (siRNA) altamente eficaz contra a infecção1 por SARS-CoV-2 usando um novo sistema de entrega de nanopartículas lipídicas (NPL).

Múltiplos siRNAs direcionados a regiões altamente conservadas do vírus3 SARS-CoV-2 foram rastreados, e três siRNAs candidatos emergiram que inibem efetivamente o vírus3 em mais de 90%, isoladamente ou em combinação um com o outro.

Simultaneamente, os pesquisadores desenvolveram e rastrearam duas novas formulações de NPL para a entrega dessa candidata a terapêutica2 de siRNA aos pulmões7, um órgão que sofre danos imensos durante a infecção1 por SARS-CoV-2.

O encapsulamento de siRNAs nessas NPLs seguido por injeção8 in vivo demonstrou uma repressão robusta do vírus3 nos pulmões7 e uma vantagem de sobrevivência9 pronunciada para os camundongos tratados.

“Essas nanopartículas furtivas podem alcançar uma ampla gama de células6 pulmonares e silenciar genes virais”, afirma McMillan, em comunicado.

Essas abordagens de nanopartículas lipídicas de pequeno RNA de interferência são escalonáveis ​​e podem ser administradas ao primeiro sinal10 de infecção1 por SARS-CoV-2 em humanos.

O estudo sugere que uma abordagem terapêutica2 de nanopartículas lipídicas de pequeno RNA de interferência poderia se provar altamente útil no tratamento da doença COVID-19 como uma terapia adjuvante para estratégias de vacinas atuais.

Veja também sobre "Eficácia das vacinas atualmente em uso contra a COVID-19" e "Tratamentos medicamentosos para covid-19".

 

Fontes:
Molecular Therapy, publicação em 13 de maio de 2021.
Revista Galileu, notícia publicada em 18 de maio de 2021.

 

NEWS.MED.BR, 2021. Uma terapia de nanopartículas contra a COVID-19 usando pequeno RNA de interferência inibiu efetivamente o SARS-CoV-2 em mais de 90%. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1394620/uma-terapia-de-nanoparticulas-contra-a-covid-19-usando-pequeno-rna-de-interferencia-inibiu-efetivamente-o-sars-cov-2-em-mais-de-90.htm>. Acesso em: 20 set. 2021.

Complementos

1 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
2 Terapêutica: Terapia, tratamento de doentes.
3 Vírus: Pequeno microorganismo capaz de infectar uma célula de um organismo superior e replicar-se utilizando os elementos celulares do hospedeiro. São capazes de causar múltiplas doenças, desde um resfriado comum até a AIDS.
4 Anticorpos: Proteínas produzidas pelo organismo para se proteger de substâncias estranhas como bactérias ou vírus. As pessoas que têm diabetes tipo 1 produzem anticorpos que destroem as células beta produtoras de insulina do próprio organismo.
5 Fragmentos: 1. Pedaço de coisa que se quebrou, cortou, rasgou etc. É parte de um todo; fração. 2. No sentido figurado, é o resto de uma obra literária ou artística cuja maior parte se perdeu ou foi destruída. Ou um trecho extraído de uma obra.
6 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
7 Pulmões: Órgãos do sistema respiratório situados na cavidade torácica e responsáveis pelas trocas gasosas entre o ambiente e o sangue. São em número de dois, possuem forma piramidal, têm consistência esponjosa e medem cerca de 25 cm de comprimento. Os pulmões humanos são divididos em segmentos denominados lobos. O pulmão esquerdo possui dois lobos e o direito possui três. Os pulmões são compostos de brônquios que se dividem em bronquíolos e alvéolos pulmonares. Nos alvéolos se dão as trocas gasosas ou hematose pulmonar entre o meio ambiente e o corpo, com a entrada de oxigênio na hemoglobina do sangue (formando a oxiemoglobina) e saída do gás carbônico ou dióxido de carbono (que vem da célula como carboemoglobina) dos capilares para o alvéolo.
8 Injeção: Infiltração de medicação ou nutrientes líquidos no corpo através de uma agulha e seringa.
9 Sobrevivência: 1. Ato ou efeito de sobreviver, de continuar a viver ou a existir. 2. Característica, condição ou virtude daquele ou daquilo que subsiste a um outro. Condição ou qualidade de quem ainda vive após a morte de outra pessoa. 3. Sequência ininterrupta de algo; o que subsiste de (alguma coisa remota no tempo); continuidade, persistência, duração.
10 Sinal: 1. É uma alteração percebida ou medida por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida. 2. Som ou gesto que indica algo, indício. 3. Dinheiro que se dá para garantir um contrato.
Gostou do artigo? Compartilhe!