Gostou do artigo? Compartilhe!

Dieta rica em carboidrato pode estar associada à aceleração da idade da menopausa: publicado pelo Journal of Epidemiology & Community

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Yashvee Dunneram e colaboradores do grupo de Epidemiologia Nutricional, Escola de Ciência Alimentar e Nutrição1, da Universidade de Leeds, em Leeds, no Reino Unido, publicaram um estudo de coorte2 que diz que uma dieta rica em carboidratos pode colaborar para que a menopausa3 natural ocorra mais precocemente.

Saiba mais sobre "Menopausa3".

A idade da menopausa3 natural é motivo de preocupação para as mulheres em idade reprodutiva, já que tanto a menopausa3 precoce quanto a tardia podem ter implicações para os resultados de saúde4.

As participantes do estudo UK Women's Cohort Study eram mulheres com idades entre 40 e 65 anos que haviam experimentado uma menopausa3 natural entre a linha de base e o primeiro acompanhamento do estudo. A menopausa3 natural foi definida como a cessação permanente dos períodos menstruais por pelo menos 12 meses consecutivos. Um questionário de frequência alimentar foi utilizado para estimar a dieta no início do estudo. A história reprodutiva das participantes também foi registrada. Modelagem de regressão, com ajustes para fatores de confusão, foi usada para avaliar as associações entre dieta e idade na menopausa3 natural.

Durante o período de acompanhamento de quatro anos, 914 mulheres experimentaram uma menopausa3 natural. A alta ingestão de peixes oleosos e leguminosas frescas foi associada ao início tardio da menopausa3 natural por 3,3 anos por porção/dia (IC 99% 0,8 a 5,8) e 0,9 anos por porção/dia (IC 99% 0,0 a 1,8), respectivamente.

Massas e arroz refinados foram associados à menopausa3 precoce (por porção/dia: −1,5 anos, IC 99% −2,8 a −0,2). Uma maior ingestão de vitamina5 B6 (por mg/dia: 0,6 anos; IC 99% 0,1 a 1,2) e zinco (por mg/dia: 0,3 anos; IC 99% −0,0 a 0,6) também foi associada com idade posterior da menopausa3. A estratificação por idade no início do estudo levou a resultados atenuados.

Uma dieta rica em leguminosas, que inclui ervilhas, feijões, lentilhas e grão-de-bico, atrasou a menopausa3 em um ano e meio, em média. Os ácidos graxos ômega-3, que estão em peixes oleosos, também estimulam a capacidade antioxidante no organismo. Já comer muitos carboidratos refinados, particularmente arroz e macarrão, estava ligado à menopausa3 que começou mais cedo por um ano e meio.

Estes resultados sugerem que alguns grupos de alimentos (peixes oleosos, leguminosas frescas, macarrão e arroz refinado) e nutrientes específicos são preditores individuais de idade na menopausa3 natural. Os cientistas alertam ser fundamental levar em conta os fatores genéticos individuais.

Também é importante lembrar que uma grande limitação de estudos observacionais, como este, é sua incapacidade de provar que o comportamento alimentar realmente causa a menopausa3 precoce, pois este tipo de estudo não estabelece uma relação causal. Até que se tenha uma prova científica desta hipótese, não se justifica que as pessoas mudem a sua dieta.

Leia também sobre "Menstruação6", "Climatério7 e menopausa3", "Osteoporose8" e "Amenorreia9".

 

Fonte: Journal of Epidemiology & Community Health, publicação online em 30 de abril de 2018

 

NEWS.MED.BR, 2018. Dieta rica em carboidrato pode estar associada à aceleração da idade da menopausa: publicado pelo Journal of Epidemiology & Community. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/saude/1318008/dieta-rica-em-carboidrato-pode-estar-associada-a-aceleracao-da-idade-da-menopausa-publicado-pelo-journal-of-epidemiology-amp-community.htm>. Acesso em: 22 nov. 2019.

Complementos

1 Nutrição: Incorporação de vitaminas, minerais, proteínas, lipídios, carboidratos, oligoelementos, etc. indispensáveis para o desenvolvimento e manutenção de um indivíduo normal.
2 Estudo de coorte: Um estudo de coorte é realizado para verificar se indivíduos expostos a um determinado fator apresentam, em relação aos indivíduos não expostos, uma maior propensão a desenvolver uma determinada doença. Um estudo de coorte é constituído, em seu início, de um grupo de indivíduos, denominada coorte, em que todos estão livres da doença sob investigação. Os indivíduos dessa coorte são classificados em expostos e não-expostos ao fator de interesse, obtendo-se assim dois grupos (ou duas coortes de comparação). Essas coortes serão observadas por um período de tempo, verificando-se quais indivíduos desenvolvem a doença em questão. Os indivíduos expostos e não-expostos devem ser comparáveis, ou seja, semelhantes quanto aos demais fatores, que não o de interesse, para que as conclusões obtidas sejam confiáveis.
3 Menopausa: Estado fisiológico caracterizado pela interrupção dos ciclos menstruais normais, acompanhada de alterações hormonais em mulheres após os 45 anos.
4 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
5 Vitamina: Compostos presentes em pequenas quantidades nos diversos alimentos e nutrientes e que são indispensáveis para o desenvolvimento dos processos biológicos normais.
6 Menstruação: Sangramento cíclico através da vagina, que é produzido após um ciclo ovulatório normal e que corresponde à perda da camada mais superficial do endométrio uterino.
7 Climatério: Conjunto de mudanças adaptativas que são produzidas na mulher como conseqüência do declínio da função ovariana na menopausa. Consiste em aumento de peso, “calores” freqüentes, alterações da distribuição dos pêlos corporais, dispareunia.
8 Osteoporose: Doença óssea caracterizada pela diminuição da formação de matriz óssea que predispõe a pessoa a sofrer fraturas com traumatismos mínimos ou mesmo na ausência deles. É influenciada por hormônios, sendo comum nas mulheres pós-menopausa. A terapia de reposição hormonal, que administra estrógenos a mulheres que não mais o produzem, tem como um dos seus objetivos minimizar esta doença.
9 Amenorréia: É a ausência de menstruação pelo período equivalente a 3 ciclos menstruais ou 6 meses (o que ocorrer primeiro). Para períodos inferiores, utiliza-se o termo atraso menstrual.
Gostou do artigo? Compartilhe!