Atalho: 5JB6VJI
Gostou do artigo? Compartilhe!

Hepatite C: antiviral boceprevir dobra taxa de cura da hepatite C, de acordo com estudo publicado no The Lancet

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Estudo randomizado1, multicêntrico, na fase 2 de triagem clínica do The Lancet avaliou a eficácia do boceprevir, um inibidor NS3 da protease, em combinação com o peginterferon alfa-2b e o ribavirin em pacientes com hepatite2 C genótipo3 1 (SPRINT-1).

O peginterferon alfa-2b e o ribavirin dão resposta sustentável em menos de 50% dos pacientes com hepatite2 C genótipo3 1 tratados por 48 semanas.

O presente estudo avaliou o uso de boceprevir combinado ao tratamento convencional. Na primeira parte, 520 pacientes de 67 locais dos Estados Unidos, Canadá e Europa foram randomizados para receber:

  • Peginterferon alfa-2b 1,5 microgramas mais ribavirin 800-1400 mg diariamente por 48 semanas (PR48; n=104);
  • Peginterferon alfa-2b e ribavirin diariamente por 4 semanas, seguidos de peginterferon alfa-2b, ribavirin e boceprevir 800 mg, três vezes ao dia, por 24 semanas (PR4/PRB24; n=103) ou 44 semanas (PR4/PRB44; n=103);

ou

  • Peginterferon alfa-2b e ribavirin e boceprevir, 3 vezes ao dia, por 28 semanas (PRB28; n=107) ou 48 semanas (PRB48;n=103).

Na segunda parte do estudo, 75 pacientes foram randomizados para receber PRB48 (n=16) ou baixas doses de ribavirin (400-1000 mg) mais peginterferon alfa-2b e boceprevir, 3 vezes ao dia, por 48 semanas (baixa dose PRB48; n=59).

Os pacientes dos grupos que receberam boceprevir tiveram as taxas mais altas de resposta sustentável do vírus4 ao tratamento, comparados ao grupo controle. Mas também apresentaram mais anemia5 e disestesia6.

Como resultado, encontrou-se que a associação do boceprevir ao tratamento convencional, depois de 4 semanas de duração, parece ter o potencial de dobrar a resposta sustentável do vírus4.

Fonte: The Lancet, de 9 de agosto de 2010

NEWS.MED.BR, 2010. Hepatite C: antiviral boceprevir dobra taxa de cura da hepatite C, de acordo com estudo publicado no The Lancet. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/pharma-news/64262/hepatite-c-antiviral-boceprevir-dobra-taxa-de-cura-da-hepatite-c-de-acordo-com-estudo-publicado-no-the-lancet.htm>. Acesso em: 13 nov. 2019.

Complementos

1 Estudo randomizado: Ensaios clínicos comparativos randomizados são considerados o melhor delineamento experimental para avaliar questões relacionadas a tratamento e prevenção. Classicamente, são definidos como experimentos médicos projetados para determinar qual de duas ou mais intervenções é a mais eficaz mediante a alocação aleatória, isto é, randomizada, dos pacientes aos diferentes grupos de estudo. Em geral, um dos grupos é considerado controle - o que algumas vezes pode ser ausência de tratamento, placebo, ou mais frequentemente, um tratamento de eficácia reconhecida. Recursos estatísticos são disponíveis para validar conclusões e maximizar a chance de identificar o melhor tratamento. Esses modelos são chamados de estudos de superioridade, cujo objetivo é determinar se um tratamento em investigação é superior ao agente comparativo.
2 Hepatite: Inflamação do fígado, caracterizada por coloração amarela da pele e mucosas (icterícia), dor na região superior direita do abdome, cansaço generalizado, aumento do tamanho do fígado, etc. Pode ser produzida por múltiplas causas como infecções virais, toxicidade por drogas, doenças imunológicas, etc.
3 Genótipo: Composição genética de um indivíduo, ou seja, os genes que ele tem.
4 Vírus: Pequeno microorganismo capaz de infectar uma célula de um organismo superior e replicar-se utilizando os elementos celulares do hospedeiro. São capazes de causar múltiplas doenças, desde um resfriado comum até a AIDS.
5 Anemia: Condição na qual o número de células vermelhas do sangue está abaixo do considerado normal para a idade, resultando em menor oxigenação para as células do organismo.
6 Disestesia: Distúrbio da sensibilidade superficial tátil.
Gostou do artigo? Compartilhe!