Gostou do artigo? Compartilhe!

Estudo relata eficácia das vacinas da Pfizer e da AstraZeneca contra a variante Delta do coronavírus

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

A variante B.1.617.2 (delta) do SARS-CoV-2, o vírus1 que causa a Covid-19, contribuiu para um aumento de casos na Índia e já foi agora detectado em todo o mundo, sendo inclusive responsável por um aumento notável de casos no Reino Unido.

A eficácia das vacinas BNT162b2 (Pfizer) e ChAdOx1 nCoV-19 (AstraZeneca) contra esta variante ainda não está clara.

Saiba mais sobre "Vacina2 da Johnson & Johnson pode ser menos eficaz contra a variante delta do coronavírus" e "As novas cepas3 (variantes) do coronavírus".

Neste estudo, publicado pelo The New England Journal of Medicine, pesquisadores usaram um desenho de caso-controle com teste negativo para estimar a eficácia da vacinação contra a doença sintomática4 causada pela variante delta ou pela cepa5 predominante (B.1.1.7, ou variante alfa) durante o período em que a variante delta começou a circular.

As variantes foram identificadas com o uso de sequenciamento e com base no status do gene spike (S). Os dados de todos os casos sequenciados sintomáticos de Covid-19 na Inglaterra foram usados ​​para estimar a proporção de casos com qualquer uma das variantes de acordo com o estado de vacinação dos pacientes.

A eficácia após uma dose da vacina2 (BNT162b2 ou ChAdOx1 nCoV-19) foi notavelmente menor entre as pessoas com a variante delta (30,7%; intervalo de confiança [IC] de 95%, 25,2 a 35,7) do que entre aqueles com a variante alfa (48,7%; IC 95%, 45,5 a 51,7); os resultados foram semelhantes para ambas as vacinas.

Com a vacina2 BNT162b2, a eficácia de duas doses foi de 93,7% (IC 95%, 91,6 a 95,3) entre as pessoas com a variante alfa e 88,0% (IC 95%, 85,3 a 90,1) entre aquelas com a variante delta.

Com a vacina2 ChAdOx1 nCoV-19, a eficácia de duas doses foi de 74,5% (IC 95%, 68,4 a 79,4) entre as pessoas com a variante alfa e 67,0% (IC 95%, 61,3 a 71,8) entre aquelas com a variante delta.

Apenas diferenças modestas na eficácia das vacinas foram observadas com a variante delta em comparação com a variante alfa após o recebimento de duas doses das vacinas. As diferenças absolutas na eficácia das vacinas foram mais marcadas após o recebimento da primeira dose.

Essa descoberta apoiaria os esforços para maximizar a adesão às duas doses das vacinas entre as populações vulneráveis.

Leia sobre "Eficácia das vacinas atualmente em uso contra a COVID-19" e "Vacina2 da Pfizer como 2ª dose em indivíduos que receberam 1ª dose da AstraZeneca".

 

Fonte: The New England Journal of Medicine, publicação em 21 de julho de 2021.

 

NEWS.MED.BR, 2021. Estudo relata eficácia das vacinas da Pfizer e da AstraZeneca contra a variante Delta do coronavírus. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/pharma-news/1398030/estudo-relata-eficacia-das-vacinas-da-pfizer-e-da-astrazeneca-contra-a-variante-delta-do-coronavirus.htm>. Acesso em: 19 set. 2021.

Complementos

1 Vírus: Pequeno microorganismo capaz de infectar uma célula de um organismo superior e replicar-se utilizando os elementos celulares do hospedeiro. São capazes de causar múltiplas doenças, desde um resfriado comum até a AIDS.
2 Vacina: Tratamento à base de bactérias, vírus vivos atenuados ou seus produtos celulares, que têm o objetivo de produzir uma imunização ativa no organismo para uma determinada infecção.
3 Cepas: Cepa ou estirpe é um termo da biologia e da genética que se refere a um grupo de descendentes com um ancestral comum que compartilham semelhanças morfológicas e/ou fisiológicas.
4 Sintomática: 1. Relativo a ou que constitui sintoma. 2. Que é efeito de alguma doença. 3. Por extensão de sentido, é o que indica um particular estado de coisas, de espírito; revelador, significativo.
5 Cepa: Cepa ou estirpe é um termo da biologia e da genética que se refere a um grupo de descendentes com um ancestral comum que compartilham semelhanças morfológicas e/ou fisiológicas.
Gostou do artigo? Compartilhe!