Gostou do artigo? Compartilhe!

Vacina da Pfizer como 2ª dose em indivíduos que receberam 1ª dose da vacina da AstraZeneca induziu resposta imune robusta, com perfil de reatogenicidade aceitável

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Até o momento, não foram relatados dados imunológicos sobre esquemas de vacinação heteróloga de COVID-19 em humanos.

Neste estudo, publicado no The Lancet, avaliou-se a imunogenicidade e a reatogenicidade da vacina1 BNT162b2 (Comirnaty, BioNTech, Mainz, Alemanha) administrada como segunda dose em participantes que receberam a primeira dose de ChAdOx1-S (Vaxzevria, AstraZeneca, Oxford, Reino Unido).

Foi feito um ensaio clínico de fase 2, aberto, randomizado2 e controlado em adultos de 18 a 60 anos, vacinados com uma dose única de ChAdOx1-S, 8 a 12 semanas antes da triagem e sem histórico de infecção3 por SARS-CoV-2.

Saiba mais sobre "Eficácia das vacinas atualmente em uso contra a COVID-19" e "Reações às vacinas contra a covid-19".

Os participantes foram designados aleatoriamente (2:1) para receber BNT162b2 (0,3 mL) por meio de uma única injeção intramuscular4 (grupo de intervenção) ou continuar a observação (grupo de controle).

O resultado primário foi a imunogenicidade de 14 dias, medida por imunoensaios para a proteína spike trimérica do SARS-CoV-2 e o domínio de ligação ao receptor (RBD). A funcionalidade do anticorpo5 foi avaliada usando um ensaio de neutralização de pseudovírus e a resposta imune celular usando um imunoensaio de interferon-γ.

O resultado de segurança foi a reatogenicidade de 7 dias, medida como eventos adversos locais e sistêmicos6 solicitados.

A análise primária incluiu todos os participantes que receberam pelo menos uma dose de BNT162b2 e que tiveram pelo menos uma avaliação de eficácia após o início do estudo. A análise de segurança incluiu todos os participantes que receberam BNT162b2.

Entre 24 e 30 de abril de 2021, 676 indivíduos foram inscritos e atribuídos aleatoriamente ao grupo de intervenção (n = 450) ou ao grupo de controle (n = 226) em cinco hospitais universitários na Espanha (idade média de 44 anos [DP 9]; 382 [57%] mulheres e 294 [43%] homens). 663 (98%) participantes (n = 441 intervenção, n = 222 controle) completaram o estudo até o dia 14.

No grupo de intervenção, as concentrações médias geométricas de anticorpos7 do RBD aumentaram de 71,46 BAU/mL (IC 95% 59,84-85,33) na linha de base para 7.756,68 BAU/mL (7.371,53-8161,96) no dia 14 (p <0 · 0001).

A IgG contra a proteína spike trimérica aumentou de 98,40 BAU/mL (IC 95% 85,69-112,99) para 3.684,87 BAU/mL (3.429,87-3.958,83).

A proporção intervenção:controle foi de 77,69 (IC 95% 59,57-101,32) para a proteína do RBD e 36,41 (29,31-45,23) para a IgG da proteína spike trimérica.

As reações foram leves (n = 1.210 [68%]) ou moderadas (n = 530 [30%]), com dor no local da injeção8 (n = 395 [88%]), endurecimento (n = 159 [35%]), dor de cabeça9 (n = 199 [44%]) e mialgia10 (n = 194 [43%]) os eventos adversos mais comumente relatados. Não foram relatados eventos adversos graves.

O estudo concluiu que a vacina1 BNT162b2 administrada como uma segunda dose em indivíduos vacinados com ChAdOx1-S induziu uma resposta imune robusta, com um perfil de reatogenicidade aceitável e administrável.

Leia sobre "Anticorpos7 anti-SARS-COV-2" e "Vacinas contra o coronavírus".

 

Fonte: The Lancet, publicação em 25 de junho de 2021.

 

NEWS.MED.BR, 2021. Vacina da Pfizer como 2ª dose em indivíduos que receberam 1ª dose da vacina da AstraZeneca induziu resposta imune robusta, com perfil de reatogenicidade aceitável. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1397305/vacina-da-pfizer-como-2-dose-em-individuos-que-receberam-1-dose-da-vacina-da-astrazeneca-induziu-resposta-imune-robusta-com-perfil-de-reatogenicidade-aceitavel.htm>. Acesso em: 2 dez. 2021.

Complementos

1 Vacina: Tratamento à base de bactérias, vírus vivos atenuados ou seus produtos celulares, que têm o objetivo de produzir uma imunização ativa no organismo para uma determinada infecção.
2 Randomizado: Ensaios clínicos comparativos randomizados são considerados o melhor delineamento experimental para avaliar questões relacionadas a tratamento e prevenção. Classicamente, são definidos como experimentos médicos projetados para determinar qual de duas ou mais intervenções é a mais eficaz mediante a alocação aleatória, isto é, randomizada, dos pacientes aos diferentes grupos de estudo. Em geral, um dos grupos é considerado controle – o que algumas vezes pode ser ausência de tratamento, placebo, ou mais frequentemente, um tratamento de eficácia reconhecida. Recursos estatísticos são disponíveis para validar conclusões e maximizar a chance de identificar o melhor tratamento. Esses modelos são chamados de estudos de superioridade, cujo objetivo é determinar se um tratamento em investigação é superior ao agente comparativo.
3 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
4 Injeção intramuscular: Injetar medicamento em forma líquida no músculo através do uso de uma agulha e seringa.
5 Anticorpo: Proteína circulante liberada pelos linfócitos em reação à presença no organismo de uma substância estranha (antígeno).
6 Sistêmicos: 1. Relativo a sistema ou a sistemática. 2. Relativo à visão conspectiva, estrutural de um sistema; que se refere ou segue um sistema em seu conjunto. 3. Disposto de modo ordenado, metódico, coerente. 4. Em medicina, é o que envolve o organismo como um todo ou em grande parte.
7 Anticorpos: Proteínas produzidas pelo organismo para se proteger de substâncias estranhas como bactérias ou vírus. As pessoas que têm diabetes tipo 1 produzem anticorpos que destroem as células beta produtoras de insulina do próprio organismo.
8 Injeção: Infiltração de medicação ou nutrientes líquidos no corpo através de uma agulha e seringa.
9 Cabeça:
10 Mialgia: Dor que se origina nos músculos. Pode acompanhar outros sintomas como queda no estado geral, febre e dor de cabeça nas doenças infecciosas. Também pode estar associada a diferentes doenças imunológicas.
Gostou do artigo? Compartilhe!