Gostou do artigo? Compartilhe!

JACC: adiposidade na vida adulta e risco de morte súbita cardíaca em mulheres

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Este estudo, divulgado pelo JACC Clinical Electrophysiology, examinou a associação entre o índice de massa corporal1 (IMC2) medido várias vezes ao longo de 32 anos e o IMC2 durante o início da idade adulta com o risco de morte súbita cardíaca (MSC) em participantes do estudo Nurses’ Health Study.

A morte súbita cardíaca (MSC) é muitas vezes a primeira manifestação de doença coronariana3 entre as mulheres. Os dados referentes ao índice de massa corporal1 (IMC2) e o risco de MSC são limitados e conflitantes.

Foram acompanhadas prospectivamente 72.484 mulheres, livres de doença crônica, de 1980 a 2012. Foram apurados os seguintes dados: altura na vida adulta, peso atual, peso aos 18 anos (no início do estudo) e atualização do peso a cada dois anos. O resultado primário foi a MSC (n=445).

Quando atualizado a cada dois anos, o IMC2 mais elevado foi associado a maior risco de MSC após ajustes para fatores de confusão (tendência linear p<0,001). Comparado com um IMC2 de 21,0 a 22,9 kg/m², o risco relativo multivariado (RR) de MSC foi de 1,46 (intervalo de confiança [IC] de 95%: 1,05-2,04) para o IMC2 de 25,0 a 29,9 kg/m²; 1,46 (IC 95% : 1,00 a 2,13) para o IMC2 de 30,0-34,9 kg/m² e 2,18 (IC 95%: 1,44-3,28) para o IMC2 ≥ 35,0 kg/m².

Entre as mulheres com um IMC2 ≥ 35,0 kg/m², a MSC permaneceu elevada mesmo após o ajuste para o desenvolvimento interino de doença coronariana3 e outros mediadores (RR: 1,72; IC 95%: 1,13-2,60). Em contraste, a associação entre IMC2 e risco de doença coronariana3 fatal foi completamente atenuado após o ajuste para mediadores. A magnitude da associação entre IMC2 e MSC foi maior quando o IMC2 foi avaliado no início do estudo ou aos 18 anos, quando o risco de MSC permaneceu significativamente elevado em IMC2 ≥30 kg/m² após o ajuste para mediadores.

As conclusões do estudo mostram que IMC2 maiores foram associados ao maior risco de MSC, especialmente quando avaliada no início na idade adulta. Estratégias para manter um peso saudável durante a vida adulta podem minimizar a incidência4 de morte súbita cardíaca.

Fonte: JACC Clinical Electrophysiology, de 25 de novembro de 2015

NEWS.MED.BR, 2015. JACC: adiposidade na vida adulta e risco de morte súbita cardíaca em mulheres. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/812444/jacc-adiposidade-na-vida-adulta-e-risco-de-morte-subita-cardiaca-em-mulheres.htm>. Acesso em: 17 set. 2019.

Complementos

1 Índice de massa corporal: Medida usada para avaliar se uma pessoa está abaixo do peso, com peso normal, com sobrepeso ou obesa. É a medida mais usada na prática para saber se você é considerado obeso ou não. Também conhecido como IMC. É calculado dividindo-se o peso corporal em quilogramas pelo quadrado da altura em metros. Existe uma tabela da Organização Mundial de Saúde que classifica as medidas de acordo com o resultado encontrado.
2 IMC: Medida usada para avaliar se uma pessoa está abaixo do peso, com peso normal, com sobrepeso ou obesa. É a medida mais usada na prática para saber se você é considerado obeso ou não. Também conhecido como IMC. É calculado dividindo-se o peso corporal em quilogramas pelo quadrado da altura em metros. Existe uma tabela da Organização Mundial de Saúde que classifica as medidas de acordo com o resultado encontrado.
3 Doença coronariana: Doença do coração causada por estreitamento das artérias que fornecem sangue ao coração. Se o fluxo é cortado, o resultado é um ataque cardíaco.
4 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
Gostou do artigo? Compartilhe!