Gostou do artigo? Compartilhe!

Mais de 1 em cada 4 pacientes com doença coronariana crônica relataram não adesão à medicação

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

O ensaio clínico ISCHEMIA (International Study of Comparative Health Effectiveness With Medical and Invasive Approaches) randomizou participantes com doença coronariana1 crônica (DCC) para receberem terapia médica direcionada por diretrizes com ou sem angiografia2 e revascularização. Este estudo, publicado no Journal of the American College of Cardiology, examinou a associação da não adesão com os resultados do estado de saúde3.

O estudo procurou comparar os resultados do estado de saúde3 de 12 meses de participantes aderentes e não aderentes com DCC, com uma hipótese a priori de que pacientes não aderentes teriam melhor estado de saúde3 se randomizados para tratamento invasivo.

O comportamento autorrelatado de uso de medicamentos foi avaliado na randomização com uma escala de adesão de Morisky-Green-Levine modificada de 4 itens, e os participantes foram classificados como aderentes ou não aderentes.

O estado de saúde3 de doze meses foi avaliado com o escore resumido (ER) do Questionário de Angina4 de Seattle de 7 itens (SAQ-7), que varia de 0 a 100 (maior pontuação = melhor).

A associação da adesão com os resultados foi avaliada usando modelos de probabilidades proporcionais Bayesianas, incluindo uma interação por braço do estudo (conservador vs invasivo).

Entre 4.480 participantes randomizados, 1.245 (27,8%) eram não aderentes no início do estudo. Os participantes não aderentes apresentaram pior ER do SAQ-7 basal nos braços conservador (72,9 ± 19,3 vs 75,6 ± 18,4) e invasivo (71,0 ± 19,8 vs 74,2 ± 18,7).

Em análises ajustadas, a adesão foi associada a maior ER do SAQ-7 de 12 meses em ambos os grupos de tratamento (diferença média no ER do SAQ-7 com tratamento conservador = 1,6 [intervalo de credibilidade de 95%: 0,3-2,9] vs com manejo invasivo = 1,9 [intervalo de credibilidade de 95%: 0,8-3,1]), sem interação por tratamento.

Mais de 1 em cada 4 participantes relataram não adesão à medicação, o que foi associado a pior estado de saúde3 nas estratégias de tratamento conservadora e invasiva no início e em 12 meses.

Estratégias para melhorar a adesão à medicação são necessárias para melhorar os resultados do estado de saúde3 na doença coronariana1 crônica, independentemente da estratégia de tratamento.

Saiba mais sobre "Doença arterial coronariana", "Doenças cardiovasculares5" e "Você está tomando seus remédios como devia?"

 

Fonte: Journal of the American College of Cardiology, Vol. 80, Nº 8, em agosto de 2022.

 

NEWS.MED.BR, 2022. Mais de 1 em cada 4 pacientes com doença coronariana crônica relataram não adesão à medicação. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1424290/mais-de-1-em-cada-4-pacientes-com-doenca-coronariana-cronica-relataram-nao-adesao-a-medicacao.htm>. Acesso em: 2 out. 2022.

Complementos

1 Doença coronariana: Doença do coração causada por estreitamento das artérias que fornecem sangue ao coração. Se o fluxo é cortado, o resultado é um ataque cardíaco.
2 Angiografia: Método diagnóstico que, através do uso de uma substância de contraste, permite observar a morfologia dos vasos sangüíneos. O contraste é injetado dentro do vaso sangüíneo e o trajeto deste é acompanhado através de radiografias seriadas da área a ser estudada.
3 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
4 Angina: Inflamação dos elementos linfáticos da garganta (amígdalas, úvula). Também é um termo utilizado para se referir à sensação opressiva que decorre da isquemia (falta de oxigênio) do músculo cardíaco (angina do peito).
5 Doenças cardiovasculares: Doença do coração e vasos sangüíneos (artérias, veias e capilares).
Gostou do artigo? Compartilhe!