Gostou do artigo? Compartilhe!

Perfil do metaboloma e do microbioma revela fatores de risco personalizados para doença arterial coronariana

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Doenças complexas, como a doença arterial coronariana (DAC), são frequentemente multifatoriais, causadas por múltiplos mecanismos patológicos subjacentes.

Neste estudo publicado na revista Nature Medicine, para estudar a natureza multifatorial da DAC, pesquisadores realizaram perfis clínicos e multiômicos abrangentes, incluindo metabolômica sérica e dados do microbioma1 intestinal, para 199 pacientes com síndrome2 coronariana aguda (SCA) recrutados em dois grandes hospitais israelenses. Os resultados foram validados em uma coorte3 geograficamente distinta.

Pacientes com SCA tinham assinaturas microbianas intestinais e do metaboloma4 sérico distintas em comparação com indivíduos controle, e estavam esgotados em uma espécie bacteriana previamente desconhecida da família Clostridiaceae. Esta espécie bacteriana foi associada a níveis de múltiplos metabólitos5 circulantes em indivíduos controle, vários dos quais foram previamente associados a um risco aumentado de DAC.

Desvios metabólicos em pacientes com SCA foram considerados específicos da pessoa em relação à sua origem genética ou ambiental potencial e correlacionados com parâmetros clínicos e desfechos cardiovasculares.

Além disso, aberrações metabólicas em pacientes com SCA ligadas ao microbioma1 e à dieta também foram observadas em menor grau em indivíduos controle com comprometimento metabólico, sugerindo o envolvimento dessas aberrações em fases dismetabólicas anteriores que antecedem a DAC clinicamente evidente.

Finalmente, um modelo de índice de massa corporal6 (IMC7) baseado em metabolômica treinado na coorte3 sem SCA previu IMC7 maior do que o real quando aplicado a pacientes com SCA, e as previsões de IMC7 em excesso se correlacionaram independentemente com diabetes mellitus8 (DM) e gravidade da DAC, definida pelo número de vasos sanguíneos9 envolvidos.

Esses resultados destacam a utilidade do metaboloma4 sérico na compreensão da base da heterogeneidade dos fatores de risco na doença arterial coronariana.

Veja mais sobre "Doenças cardiovasculares10", "Doença arterial coronariana" e "Microbioma1 intestinal humano".

 

Fonte: Nature Medicine, publicação em 17 de fevereiro de 2022.

 

NEWS.MED.BR, 2022. Perfil do metaboloma e do microbioma revela fatores de risco personalizados para doença arterial coronariana. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1410865/perfil-do-metaboloma-e-do-microbioma-revela-fatores-de-risco-personalizados-para-doenca-arterial-coronariana.htm>. Acesso em: 10 ago. 2022.

Complementos

1 Microbioma: Comunidade ecológica de microrganismos comensais, simbióticos e patogênicos que compartilham nosso espaço corporal. Microbioma humano é o conjunto de microrganismos que reside no corpo do Homo sapiens, mantendo uma relação simbiótica com o hospedeiro. O conceito vai além do termo microbiota, incluindo também a relação entre as células microbianas e as células e sistemas humanos, por meio de seus genomas, transcriptomas, proteomas e metabolomas.
2 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
3 Coorte: Grupo de indivíduos que têm algo em comum ao serem reunidos e que são observados por um determinado período de tempo para que se possa avaliar o que ocorre com eles. É importante que todos os indivíduos sejam observados por todo o período de seguimento, já que informações de uma coorte incompleta podem distorcer o verdadeiro estado das coisas. Por outro lado, o período de tempo em que os indivíduos serão observados deve ser significativo na história natural da doença em questão, para que haja tempo suficiente do risco se manifestar.
4 Metaboloma: É o conjunto de todos os metabólitos em uma célula, fluido biológico, tecido ou organismo. Estas substâncias são consideradas os produtos finais dos processos celulares.
5 Metabólitos: Qualquer composto intermediário das reações enzimáticas do metabolismo.
6 Índice de massa corporal: Medida usada para avaliar se uma pessoa está abaixo do peso, com peso normal, com sobrepeso ou obesa. É a medida mais usada na prática para saber se você é considerado obeso ou não. Também conhecido como IMC. É calculado dividindo-se o peso corporal em quilogramas pelo quadrado da altura em metros. Existe uma tabela da Organização Mundial de Saúde que classifica as medidas de acordo com o resultado encontrado.
7 IMC: Medida usada para avaliar se uma pessoa está abaixo do peso, com peso normal, com sobrepeso ou obesa. É a medida mais usada na prática para saber se você é considerado obeso ou não. Também conhecido como IMC. É calculado dividindo-se o peso corporal em quilogramas pelo quadrado da altura em metros. Existe uma tabela da Organização Mundial de Saúde que classifica as medidas de acordo com o resultado encontrado.
8 Diabetes mellitus: Distúrbio metabólico originado da incapacidade das células de incorporar glicose. De forma secundária, podem estar afetados o metabolismo de gorduras e proteínas.Este distúrbio é produzido por um déficit absoluto ou relativo de insulina. Suas principais características são aumento da glicose sangüínea (glicemia), poliúria, polidipsia (aumento da ingestão de líquidos) e polifagia (aumento da fome).
9 Vasos Sanguíneos: Qualquer vaso tubular que transporta o sangue (artérias, arteríolas, capilares, vênulas e veias).
10 Doenças cardiovasculares: Doença do coração e vasos sangüíneos (artérias, veias e capilares).
Gostou do artigo? Compartilhe!