Gostou do artigo? Compartilhe!

Variantes genéticas do hospedeiro, como ausência de receptores de células NK antivirais, podem contribuir para a gravidade da COVID-19

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Variantes genéticas do hospedeiro podem contribuir para a gravidade da COVID-19. Pesquisadores do Centro de Virologia da Universidade Médica de Viena, na Áustria, descobriram uma relação entre a ausência de receptores de células1 exterminadoras naturais, as células1 NK, e a ocorrência de casos graves de Covid-19. A pesquisa foi publicada na revista científica Genetics in Medicine.

Os resultados apontam que quem foi hospitalizado com Covid-19, em geral, fica mais propenso a ter uma variação genética que causa a falta dos receptores NKG2C, que ajudam no combate de infecções2 virais. Os NKG2C se comunicam com as células1 infectadas através do HLA-E, uma de suas estruturas de superfície. Essa interação resulta na destruição de células1 infectadas.

Leia também: "Estudo de associação ampla do genoma com Covid-19 grave e insuficiência respiratória3".

Entretanto, algumas pessoas têm uma deficiência natural desses receptores. Essa falha é decorrente de uma variação genética que é encontrada em cerca de 4% da população, em que a expressão desses receptores está ausente, e outros 30% que apresentam nível de expressão significativamente menor dos receptores.

As células1 NK NKG2C+ são células1 efetoras antivirais potentes, potencialmente limitando a extensão das infecções2 por SARS-CoV-2. O NKG2C é um receptor de células1 NK de ativação codificado pelo gene KLRC2, que se liga ao HLA-E nas células1 infectadas, levando à ativação das células1 NK.

A deleção do KLRC2 (KLRC2del) heterozigótica ou homozigótica4 pode ocorrer naturalmente e está associada a um nível de expressão de NKG2C significativamente menor ou ausente. Além disso, ocorrem variantes genéticas HLA-E*0101/0103, causadas por um polimorfismo de nucleotídeo único5. Portanto, o estudo investigou se a gravidade da COVID-19 está associada a essas variantes genéticas.

Foi investigada a distribuição da deleção do KLRC2 e de variantes alélicas HLA-E*0101/0103 em uma coorte6 de estudo de 361 pacientes com COVID-19 leve (N = 92) ou grave (N = 269).

Especialmente o alelo7 com KLRC2del, e em menor grau o alelo7 com HLA-E*0101, foram significativamente super representados em pacientes hospitalizados (p = 0,0006 e p = 0,01), particularmente em pacientes que requerem cuidados intensivos (p <0,0001 e p = 0,01), em comparação com pacientes com sintomas8 leves. Ambas as variantes genéticas foram fatores de risco independentes para COVID-19 grave.

Os dados mostram que essas variantes genéticas no eixo NKG2C / HLA-E têm um impacto significativo no desenvolvimento de infecções2 graves por SARS-CoV-2 e podem ajudar a identificar pacientes de alto risco para COVID-19 grave.

Veja sobre "Mutações genéticas" e "Associação da ativação dos inflamassomas e gravidade da COVID-19".

 

Fontes:
Genetics in Medicine, publicação em 26 de janeiro de 2021.
Olhar Digital, notícia publicada em 23 de fevereiro de 2021.

 

NEWS.MED.BR, 2021. Variantes genéticas do hospedeiro, como ausência de receptores de células NK antivirais, podem contribuir para a gravidade da COVID-19. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1388765/variantes-geneticas-do-hospedeiro-como-ausencia-de-receptores-de-celulas-nk-antivirais-podem-contribuir-para-a-gravidade-da-covid-19.htm>. Acesso em: 12 abr. 2021.

Complementos

1 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
2 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
3 Insuficiência respiratória: Condição clínica na qual o sistema respiratório não consegue manter os valores da pressão arterial de oxigênio (PaO2) e/ou da pressão arterial de gás carbônico (PaCO2) dentro dos limites da normalidade, para determinada demanda metabólica. Como a definição está relacionada à incapacidade do sistema respiratório em manter níveis adequados de oxigenação e gás carbônico, foram estabelecidos, para sua caracterização, pontos de corte na gasometria arterial: PaO2 50 mmHg.
4 Homozigótica: Referente a homozigoto. Homozigoto é quando os alelos de um ou mais genes são idênticos. Alelos são genes que ocupam os mesmos loci (locais) nos cromossomos.
5 Polimorfismo de nucleotídeo único: Do inglês “single nucleotide polymorphism“, significa uma variação na sequência de DNA que afeta somente uma base [adenina (A), timina (T), citosina (C) ou guanina (G)] na sequência do genoma entre indivíduos de uma espécie ou entre pares de cromossomos de um indivíduo.
6 Coorte: Grupo de indivíduos que têm algo em comum ao serem reunidos e que são observados por um determinado período de tempo para que se possa avaliar o que ocorre com eles. É importante que todos os indivíduos sejam observados por todo o período de seguimento, já que informações de uma coorte incompleta podem distorcer o verdadeiro estado das coisas. Por outro lado, o período de tempo em que os indivíduos serão observados deve ser significativo na história natural da doença em questão, para que haja tempo suficiente do risco se manifestar.
7 Alelo: 1. Que ocupa os mesmos loci (locais) nos cromossomos (diz-se de gene). 2. Em genética, é cada uma das formas que um gene pode apresentar e que determina características diferentes.
8 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
Gostou do artigo? Compartilhe!