Gostou do artigo? Compartilhe!

Estudo de associação ampla do genoma com Covid-19 grave e insuficiência respiratória

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Há uma variação considerável no comportamento da doença entre pacientes infectados com coronavírus 2 da síndrome1 respiratória aguda grave (SARS-CoV-2), o vírus2 que causa a doença do coronavírus 2019 (Covid-19). A análise de associação genômica pode permitir a identificação de possíveis fatores genéticos envolvidos no desenvolvimento da Covid-19.

Foi realizado um estudo da associação ampla do genoma, publicado no The New England Journal of Medicine (NEJM), envolvendo 1.980 pacientes com Covid-19 e doença grave (definida como insuficiência respiratória3) em sete hospitais nos epicentros italiano e espanhol da pandemia4 de SARS-CoV-2 na Europa.

Após o controle de qualidade e a exclusão de valores discrepantes da população, 835 pacientes e 1.255 participantes controle da Itália, e 775 pacientes e 950 participantes controle da Espanha foram incluídos na análise final. No total, foram analisados 8.582.968 polimorfismos de nucleotídeo único e realizou-se uma meta-análise dos dois painéis de controle de caso.

Foram detectadas associações de replicação cruzada com rs11385942 no locus 3p21.31 e com rs657152 no locus 9q34.2, que foram significativas no nível amplo do genoma (P <5 × 10−8) na meta-análise dos dois painéis de controle de caso (odds ratio, 1,77; intervalo de confiança [IC] de 95%, 1,48 a 2,11; P = 1,15 × 10-10; e odds ratio, 1,32; IC 95%, 1,20 a 1,47; P = 4,95 × 10−8, respectivamente).

No locus 3p21.31, o sinal5 de associação abrangeu os genes SLC6A20, LZTFL1, CCR9, FYCO1, CXCR6 e XCR1. O sinal5 de associação no locus 9q34.2 coincidiu com o locus do grupo sanguíneo ABO; nesta coorte6, uma análise específica do grupo sanguíneo mostrou um risco maior no grupo sanguíneo A do que em outros grupos sanguíneos (odds ratio 1,45; IC 95%, 1,20 a 1,75; P = 1,48 × 10−4) e efeito protetor no grupo sanguíneo O em comparação com outros grupos sanguíneos (odds ratio, 0,65; IC 95%, 0,53 a 0,79; P = 1,06 × 10-5).

Identificou-se um agrupamento de genes 3p21.31 como um locus de suscetibilidade genética em pacientes com Covid-19 com insuficiência respiratória3 e confirmou-se um envolvimento potencial do sistema de grupos sanguíneos ABO.

Leia sobre "Quem é mais provável de ser infectado pelo SARS-CoV-2" e "Insuficiência respiratória3".

 

Fonte: NEJM, publicação em 17 de junho de 2020.

 

NEWS.MED.BR, 2020. Estudo de associação ampla do genoma com Covid-19 grave e insuficiência respiratória. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1371453/estudo-de-associacao-ampla-do-genoma-com-covid-19-grave-e-insuficiencia-respiratoria.htm>. Acesso em: 5 ago. 2020.

Complementos

1 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
2 Vírus: Pequeno microorganismo capaz de infectar uma célula de um organismo superior e replicar-se utilizando os elementos celulares do hospedeiro. São capazes de causar múltiplas doenças, desde um resfriado comum até a AIDS.
3 Insuficiência respiratória: Condição clínica na qual o sistema respiratório não consegue manter os valores da pressão arterial de oxigênio (PaO2) e/ou da pressão arterial de gás carbônico (PaCO2) dentro dos limites da normalidade, para determinada demanda metabólica. Como a definição está relacionada à incapacidade do sistema respiratório em manter níveis adequados de oxigenação e gás carbônico, foram estabelecidos, para sua caracterização, pontos de corte na gasometria arterial: PaO2 50 mmHg.
4 Pandemia: É uma epidemia de doença infecciosa que se espalha por um ou mais continentes ou por todo o mundo, causando inúmeras mortes. De acordo com a Organização Mundial da Saúde, a pandemia pode se iniciar com o aparecimento de uma nova doença na população, quando o agente infecta os humanos, causando doença séria ou quando o agente dissemina facilmente e sustentavelmente entre humanos. Epidemia global.
5 Sinal: 1. É uma alteração percebida ou medida por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida. 2. Som ou gesto que indica algo, indício. 3. Dinheiro que se dá para garantir um contrato.
6 Coorte: Grupo de indivíduos que têm algo em comum ao serem reunidos e que são observados por um determinado período de tempo para que se possa avaliar o que ocorre com eles. É importante que todos os indivíduos sejam observados por todo o período de seguimento, já que informações de uma coorte incompleta podem distorcer o verdadeiro estado das coisas. Por outro lado, o período de tempo em que os indivíduos serão observados deve ser significativo na história natural da doença em questão, para que haja tempo suficiente do risco se manifestar.
Gostou do artigo? Compartilhe!