Gostou do artigo? Compartilhe!

Os inflamassomas são ativados em resposta à infecção por SARS-CoV-2 e estão associados à gravidade da COVID-19 nos pacientes

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Os casos graves de COVID-19 são caracterizados por um forte processo inflamatório que pode levar à falência de órgãos e à morte do paciente. O inflamassoma NLRP3 é uma plataforma molecular que promove a inflamação1 por meio da clivagem e ativação de moléculas inflamatórias importantes, incluindo caspase-1 ativa (Casp1p20), IL-1β e IL-18.

Embora a participação do inflamassoma na COVID-19 seja altamente especulada, a ativação do inflamassoma e a participação no desfecho da doença são desconhecidas.

Em estudo realizado por cientistas da USP, publicado no Journal of Experimental Medicine, foi demonstrado que o inflamassoma NLRP3 é ativado em resposta à infecção2 por SARS-CoV-2 e está ativo em pacientes com COVID-19.

“Se os inflamassomas estão ativos, eles vão levar a um processo inflamatório que pode promover o controle de algumas infecções3. Mas se o processo inflamatório for muito forte, descontrolado, ele pode levar a uma resposta exacerbada, causar danos aos tecidos e piorar o quadro clínico em algumas doenças. Esse parece ser o caso de pacientes com quadros moderados e graves de covid-19, aqueles que procuram atendimento hospitalar”, revela o professor Dario Zamboni, do Departamento de Biologia Celular e Molecular e Bioagentes Patogênicos da FMRP e do Centro de Pesquisas em Doenças Inflamatórias (Crid), líder do estudo.

Estudando pacientes com COVID-19 moderada e grave, os pesquisadores encontraram inflamassoma NLRP3 ativo nas células4 mononucleares sanguíneas periféricas e tecidos de pacientes pós-morte na autópsia5.

Produtos derivados do inflamassoma, como Casp1p20 e IL-18 no soro6, correlacionaram-se com os marcadores de gravidade de COVID-19, incluindo IL-6 e LDH. Além disso, níveis mais elevados de IL-18 e Casp1p20 estão associados à gravidade da doença e ao desfecho clínico insatisfatório.

Os resultados sugerem que os inflamassomas participam da fisiopatologia7 da doença, indicando que essas plataformas podem ser um marcador de gravidade da doença e um potencial alvo terapêutico para COVID-19.

Leia sobre "Como o coronavírus entra no tecido8 respiratório e explora as defesas" e "Exame de sangue9 identifica pacientes com maior risco de COVID-19 grave".

 

Fontes:
Journal of Experimental Medicine, publicação em 24 de novembro de 2020.
Jornal da USP, notícia publicada em 24 de novembro de 2020.

 

NEWS.MED.BR, 2020. Os inflamassomas são ativados em resposta à infecção por SARS-CoV-2 e estão associados à gravidade da COVID-19 nos pacientes. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1383718/os-inflamassomas-sao-ativados-em-resposta-a-infeccao-por-sars-cov-2-e-estao-associados-a-gravidade-da-covid-19-nos-pacientes.htm>. Acesso em: 23 jan. 2021.

Complementos

1 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
2 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
3 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
4 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
5 Autópsia: 1. Em medicina legal, necropsia ou autópsia é o exame minucioso de um cadáver, realizado por especialista qualificado, para determinar o momento e a causa da morte. 2. Exame, inspeção de si próprio. No sentido figurado, é uma análise minuciosa; crítica severa.
6 Soro: Chama-se assim qualquer líquido de características cristalinas e incolor.
7 Fisiopatologia: Estudo do conjunto de alterações fisiológicas que acontecem no organismo e estão associadas a uma doença.
8 Tecido: Conjunto de células de características semelhantes, organizadas em estruturas complexas para cumprir uma determinada função. Exemplo de tecido: o tecido ósseo encontra-se formado por osteócitos dispostos em uma matriz mineral para cumprir funções de sustentação.
9 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
Gostou do artigo? Compartilhe!