Gostou do artigo? Compartilhe!

Segurança, tolerabilidade e imunogenicidade de uma vacina para COVID-19 vetorizada para adenovírus recombinante do tipo 5

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Uma vacina1 para proteger contra a COVID-19 é urgentemente necessária. O objetivo desse estudo, publicado pelo The Lancet, foi avaliar a segurança, tolerabilidade e imunogenicidade de uma vacina1 para COVID-19 vetorizada para adenovírus tipo 5 (Ad5) que expressa a glicoproteína spike de uma cepa2 de coronavírus 2 da síndrome3 respiratória aguda grave (SARS-CoV-2).

Foi feito um estudo de fase 1 de escalonamento de dose, de centro único, aberto, não randomizado4, de uma vacina1 para COVID-19 vetorizada para Ad5, em Wuhan, China. Adultos saudáveis ​​com idade entre 18 e 60 anos foram sequencialmente matriculados e alocados em um dos três grupos de doses (5 × 1010, 1 × 1011 e 1,5 × 1011 partículas virais) para receber uma injeção intramuscular5 da vacina1.

O desfecho primário foi eventos adversos nos 7 dias após a vacinação. A segurança foi avaliada 28 dias após a vacinação. Os anticorpos6 específicos foram medidos com ELISA, e as respostas de anticorpos6 neutralizantes induzidas pela vacinação foram detectadas com testes de neutralização do vírus7 SARS-CoV-2 e neutralização de pseudovírus. As respostas das células8 T foram avaliadas por imunospot enzimático e ensaios de citometria de fluxo.

Entre 16 e 27 de março de 2020, foram examinados 195 indivíduos quanto à elegibilidade. Desses, 108 participantes (51% do sexo masculino, 49% do sexo feminino; idade média de 36,3 anos) foram recrutados e receberam a dose baixa (n = 36), dose média (n = 36) ou alta (n = 36) da vacina1. Todos os participantes inscritos foram incluídos na análise.

Pelo menos uma reação adversa nos primeiros 7 dias após a vacinação foi relatada em 30 (83%) participantes no grupo de doses baixas, 30 (83%) participantes no grupo de doses médias e 27 (75%) participantes no grupo de alta dose. A reação adversa mais comum no local da injeção9 foi a dor, relatada em 58 (54%) receptores da vacina1, e as reações adversas sistemáticas mais comumente relatadas foram febre10 (50 [46%]), fadiga11 (47 [44%]), dor de cabeça12 (42 [39%]) e dores musculares (18 [17%]).

A maioria das reações adversas relatadas em todos os grupos de doses foram de gravidade leve ou moderada. Nenhum evento adverso grave foi observado dentro de 28 dias após a vacinação. Os anticorpos6 medidos com ELISA e os anticorpos6 neutralizantes aumentaram significativamente no dia 14 e atingiram o pico 28 dias após a vacinação. A resposta específica das células8 T atingiu o pico no dia 14 após a vacinação.

A vacina1 para COVID-19 vetorizada para Ad5 é tolerável e imunogênica 28 dias após a vacinação. As respostas humorais contra o SARS-CoV-2 atingiram o pico no dia 28 após a vacinação em adultos saudáveis ​​e as respostas rápidas específicas das células8 T foram observadas a partir do dia 14 após a vacinação. As descobertas sugerem que a vacina1 contra COVID-19 vetorizada para Ad5 merece mais investigação.

Leia sobre "Vacina1 para COVID-19 - o que se sabe", "Quem é mais provável de ser infectado com o SARS-CoV-2" e "Orientações para isolamento domiciliar de casos de COVID-19".

 

Fonte: The Lancet, publicação em 22 de maio de 2020.

 

NEWS.MED.BR, 2020. Segurança, tolerabilidade e imunogenicidade de uma vacina para COVID-19 vetorizada para adenovírus recombinante do tipo 5. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1367988/seguranca-tolerabilidade-e-imunogenicidade-de-uma-vacina-para-covid-19-vetorizada-para-adenovirus-recombinante-do-tipo-5.htm>. Acesso em: 23 nov. 2020.

Complementos

1 Vacina: Tratamento à base de bactérias, vírus vivos atenuados ou seus produtos celulares, que têm o objetivo de produzir uma imunização ativa no organismo para uma determinada infecção.
2 Cepa: Cepa ou estirpe é um termo da biologia e da genética que se refere a um grupo de descendentes com um ancestral comum que compartilham semelhanças morfológicas e/ou fisiológicas.
3 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
4 Randomizado: Ensaios clínicos comparativos randomizados são considerados o melhor delineamento experimental para avaliar questões relacionadas a tratamento e prevenção. Classicamente, são definidos como experimentos médicos projetados para determinar qual de duas ou mais intervenções é a mais eficaz mediante a alocação aleatória, isto é, randomizada, dos pacientes aos diferentes grupos de estudo. Em geral, um dos grupos é considerado controle – o que algumas vezes pode ser ausência de tratamento, placebo, ou mais frequentemente, um tratamento de eficácia reconhecida. Recursos estatísticos são disponíveis para validar conclusões e maximizar a chance de identificar o melhor tratamento. Esses modelos são chamados de estudos de superioridade, cujo objetivo é determinar se um tratamento em investigação é superior ao agente comparativo.
5 Injeção intramuscular: Injetar medicamento em forma líquida no músculo através do uso de uma agulha e seringa.
6 Anticorpos: Proteínas produzidas pelo organismo para se proteger de substâncias estranhas como bactérias ou vírus. As pessoas que têm diabetes tipo 1 produzem anticorpos que destroem as células beta produtoras de insulina do próprio organismo.
7 Vírus: Pequeno microorganismo capaz de infectar uma célula de um organismo superior e replicar-se utilizando os elementos celulares do hospedeiro. São capazes de causar múltiplas doenças, desde um resfriado comum até a AIDS.
8 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
9 Injeção: Infiltração de medicação ou nutrientes líquidos no corpo através de uma agulha e seringa.
10 Febre: É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
11 Fadiga: 1. Sensação de enfraquecimento resultante de esforço físico. 2. Trabalho cansativo. 3. Redução gradual da resistência de um material ou da sensibilidade de um equipamento devido ao uso continuado.
12 Cabeça:
Gostou do artigo? Compartilhe!