Gostou do artigo? Compartilhe!

Consumo de alimentos orgânicos pode ajudar a reduzir o risco de câncer, artigo do JAMA Internal Medicine

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Qual é a associação entre uma dieta baseada em alimentos orgânicos (ou seja, uma dieta com menor probabilidade de conter resíduos de pesticidas) e o risco de câncer1?

Embora os alimentos orgânicos tenham menos probabilidade de conter resíduos de pesticidas do que os convencionais, poucos estudos examinaram a associação do consumo de alimentos orgânicos com o risco de câncer1.

O objetivo desse estudo, publicado pelo JAMA Internal Medicine, foi investigar prospectivamente a associação entre o consumo de alimentos orgânicos e o risco de câncer1 em uma grande coorte2 de adultos franceses.

Saiba mais sobre "Vantagens dos alimentos orgânicos" e "Informações importantes sobre o câncer1".

Neste estudo de coorte3 prospectivo4 de base populacional entre voluntários adultos franceses, foram incluídos dados de participantes com informações disponíveis sobre a frequência de consumo de alimentos orgânicos e a ingestão alimentar. Para 16 produtos, os participantes relataram sua frequência de consumo de alimentos orgânicos rotulados (nunca, ocasionalmente ou na maioria das vezes). Uma pontuação de alimentos orgânicos foi então calculada (variação de 0 a 32 pontos). As datas de acompanhamento foram de 10 de maio de 2009 a 30 de novembro de 2016.

Este estudo estimou o risco de câncer1 associado ao escore de alimentos orgânicos (modelado em quartis) usando modelos de regressão de riscos proporcionais de Cox ajustados para possíveis fatores de risco de câncer1.

Entre 68.946 participantes (78,0% do sexo feminino; idade média [DP] na linha de base, 44,2 [14,5] anos), 1.340 casos de câncer1 incidentes5 foram identificados durante o acompanhamento, sendo os mais prevalentes 459 cânceres de mama6, 180 cânceres de próstata7, 135 cânceres de pele8, 99 cânceres colorretal, 47 linfomas não-Hodgkin e 15 outros linfomas.

Altos escores de alimentos orgânicos foram inversamente associados ao risco geral de câncer1 (taxa de risco para o quartil 4 vs quartil 1, 0,75; IC 95%, 0,63-0,88; P para tendência = 0,001; redução absoluta de risco 0,6%; taxa de risco para aumento de 5 pontos, 0,92; IC 95%, 0,88-0,96).

Uma maior frequência de consumo de alimentos orgânicos foi associada a um risco reduzido de câncer1. Se esses achados forem confirmados, mais pesquisas são necessárias para determinar os fatores subjacentes envolvidos nessa associação.

Leia sobre "Alimentação saudável", "Prevenção do câncer1" e "Envelhecimento saudável".

 

Fonte: JAMA Internal Medicine, publicação de dezembro de 2018.

 

NEWS.MED.BR, 2020. Consumo de alimentos orgânicos pode ajudar a reduzir o risco de câncer, artigo do JAMA Internal Medicine. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1367498/consumo-de-alimentos-organicos-pode-ajudar-a-reduzir-o-risco-de-cancer-artigo-do-jama-internal-medicine.htm>. Acesso em: 31 mai. 2020.

Complementos

1 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
2 Coorte: Grupo de indivíduos que têm algo em comum ao serem reunidos e que são observados por um determinado período de tempo para que se possa avaliar o que ocorre com eles. É importante que todos os indivíduos sejam observados por todo o período de seguimento, já que informações de uma coorte incompleta podem distorcer o verdadeiro estado das coisas. Por outro lado, o período de tempo em que os indivíduos serão observados deve ser significativo na história natural da doença em questão, para que haja tempo suficiente do risco se manifestar.
3 Estudo de coorte: Um estudo de coorte é realizado para verificar se indivíduos expostos a um determinado fator apresentam, em relação aos indivíduos não expostos, uma maior propensão a desenvolver uma determinada doença. Um estudo de coorte é constituído, em seu início, de um grupo de indivíduos, denominada coorte, em que todos estão livres da doença sob investigação. Os indivíduos dessa coorte são classificados em expostos e não-expostos ao fator de interesse, obtendo-se assim dois grupos (ou duas coortes de comparação). Essas coortes serão observadas por um período de tempo, verificando-se quais indivíduos desenvolvem a doença em questão. Os indivíduos expostos e não-expostos devem ser comparáveis, ou seja, semelhantes quanto aos demais fatores, que não o de interesse, para que as conclusões obtidas sejam confiáveis.
4 Prospectivo: 1. Relativo ao futuro. 2. Suposto, possível; esperado. 3. Relativo à preparação e/ou à previsão do futuro quanto à economia, à tecnologia, ao plano social etc. 4. Em geologia, é relativo à prospecção.
5 Incidentes: 1. Que incide, que sobrevém ou que tem caráter secundário; incidental. 2. Acontecimento imprevisível que modifica o desenrolar normal de uma ação. 3. Dificuldade passageira que não modifica o desenrolar de uma operação, de uma linha de conduta.
6 Mama: Em humanos, uma das regiões pareadas na porção anterior do TÓRAX. As mamas consistem das GLÂNDULAS MAMÁRIAS, PELE, MÚSCULOS, TECIDO ADIPOSO e os TECIDOS CONJUNTIVOS.
7 Próstata: Glândula que (nos machos) circunda o colo da BEXIGA e da URETRA. Secreta uma substância que liquefaz o sêmem coagulado. Está situada na cavidade pélvica (atrás da parte inferior da SÍNFISE PÚBICA, acima da camada profunda do ligamento triangular) e está assentada sobre o RETO.
8 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
Gostou do artigo? Compartilhe!