Gostou do artigo? Compartilhe!

JAMA: para prevenir a artrite reumatoide acompanhe a história das doenças gengivais

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Os resultados de um trabalho publicado no Science Translational Medicine parecem confirmar que, em alguns casos, a doença periodontal1 causada por bactérias orais pode desencadear uma cascata de eventos que leva à forma autoimune2 de artrite3.

Sabe-se há muito tempo que os pacientes com artrite reumatoide4 (AR) são mais propensos à periodontite. Em uma amostra representativa, os participantes que preencheram 4 dos 6 critérios do American College of Rheumatology para AR tiveram um risco quatro vezes maior de periodontite em comparação com aqueles que não atingiram esse limite.

Saiba mais sobre "Periodontite" e "Artrite reumatoide4".

Em ambas as condições, a inflamação5 crônica destrói o tecido ósseo6 - arcada dentária7 na periodontite e articulações8 na AR. Várias espécies de bactérias estão envolvidas na doença gengival, mas o que causa a AR ainda é um mistério. Como a periodontite e a AR frequentemente andam de mãos9 dadas, os pesquisadores suspeitam que as bactérias orais possam estar envolvidas na AR.

Para identificar o ponto exato da questão, os estudiosos têm procurado uma bactéria10 oral que pode desencadear a produção de auto-anticorpos11 observados em pacientes com AR, segundo Maximilian F. Konig, autor principal da nova pesquisa e médico residente no Massachusetts General Hospital.

O marcador mais preciso para a AR - encontrado no sangue12 de 76% dos pacientes com AR - são os anticorpos11 proteína/peptídeos anticitrulinados (ACPAs) que se direcionam para proteínas13 citrulinadas que são expressas por células14 imunitárias tais como neutrófilos15.

Veja também sobre "Artrite3", "Artrite3 séptica", "Artralgia16" e "Osteoartrite17".

A citrulinação é um processo normal que altera a estrutura das proteínas13, alterando sua função. Felipe Andrade, autor sênior18 do estudo e professor associado de medicina na divisão de Reumatologia da Faculdade de Medicina da Universidade Johns Hopkins, comparou a citrulinação a pequenas mudanças de figurino - a adição de um chapéu, por exemplo. Essas mudanças transformam os papeis exercidos pelas proteínas13. "Como você está vestido define sua função", explicou.

Estas modificações nas proteínas13 são necessárias e acontecem sob o radar do sistema imunológico19. Mas em excesso podem dar sinais20 de alarme.

Em pacientes com AR, a hipercitrulinação, um acúmulo anormal de proteínas13 citrulinadas, desencadeia a geração de auto-anticorpos11 pelo sistema imunológico19, os quais atacam essas auto-proteínas13 modificadas, induzindo inflamação5 e destruindo as articulações8.

Konig, Andrade e seus colaboradores encontraram uma bactéria10 Gram-negativa que coloniza a cavidade bucal e possui um nome complicado - Aggregatibacter actinomycetemcomitans (Aa). Ela pode causar estas mudanças nas proteínas13 e acionar a produção de auto-anticorpos11 específicos de AR, etapa-chave no desenvolvimento da AR.

A investigação começou na Johns Hopkins, onde o grupo de Andrade tem estudado possíveis ligações entre a doença periodontal1 e a AR. Em colaboração com o National Institute of Dental and Craniofacial Research no National Institutes of Health, os pesquisadores coletaram amostras de saliva de pacientes com e sem periodontite.

Usando a espectrometria de massa, eles observaram padrões de citrulinação nessas amostras espelhando aqueles encontrados em articulações8 afetadas pela AR, mas apenas em participantes com doença gengival. Das seis espécies de bactérias associadas à doença da gengiva que foram detectadas em amostras de periodontite, apenas uma - a Aa - tinha a capacidade de induzir hipercitrulinação em neutrófilos15.

O cálcio é necessário para a citrulinação. No estudo, a Aa produziu uma toxina21 que perfurou buracos em membranas de neutrófilos15, permitindo que o cálcio fluísse para as células14 em quantidades maiores do que o normal. O excesso de cálcio ampliou a citrulinação, resultando nos padrões de hipercitrulinação observados na AR.

Outra descoberta reforçou os achados do estudo: dezenove das proteínas13 modificadas induzidas pela toxina21 são autoantígenos conhecidos que são alvo de auto-anticorpos11 na AR.

Os pesquisadores também descobriram que 47% dos pacientes com AR de longa duração tinham anticorpos11 de toxina21 Aa no sangue12, em comparação com apenas 11% dos controles saudáveis.

Em conjunto, os resultados sugerem que a bactéria10 pode ser o "elo perdido" entre a doença periodontal1, a geração de anticorpos11 associados à AR e o desenvolvimento de AR, disse Gary S. Firestein, diretor do Clinical and Translational Research Institute, na University of California San Diego Health Sciences, que não está envolvido no estudo.

Os pesquisadores disseram que as descobertas devem ser replicadas por diferentes grupos e em diferentes coortes de pacientes. Serão necessários estudos em animais para demonstrar diretamente que a Aa pode induzir auto-anticorpos11 na AR e levar ao desenvolvimento da AR. E mais trabalho deve ser feito para analisar a associação temporal entre as bactérias e a AR.

Será que a Aa desencadeia a doença ou apenas piora a patologia22 já estabelecida? O tempo dirá se a segmentação de Aa pode modificar a AR estabelecida. Existem dados que sugerem que o tratamento da periodontite pode diminuir a gravidade da doença AR e Konig observou que vários grandes estudos prospectivos estão atualmente em curso para investigar esta possibilidade.

Outros caminhos parecem estar envolvidos na patogênese23 da AR. Afinal, apenas cerca de metade dos pacientes com AR tinha sinais20 de Aa no sangue12 no presente estudo. A genética também emergiu como outro fator importante neste estudo.

Identificar as pessoas que têm a predisposição genética para desenvolver a doença e ao mesmo tempo estão infectadas com as bactérias pode ser um excelente grupo no qual talvez seja possível modificar a evolução da doença. Mas, por enquanto, é muito cedo para prescrever antibióticos para tratar ou prevenir a AR, isso seria um grande erro. Até o momento, um bom conselho é cuidar da saúde24 bucal e ver o que acontece.

Conheça também sobre "Gengivite25", "Higiene dental infantil" e "Retração gengival".

 

Fonte: JAMA, publicação online, em 8 de março de 2017

 

NEWS.MED.BR, 2017. JAMA: para prevenir a artrite reumatoide acompanhe a história das doenças gengivais. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1290998/jama-para-prevenir-a-artrite-reumatoide-acompanhe-a-historia-das-doencas-gengivais.htm>. Acesso em: 15 nov. 2019.

Complementos

1 Periodontal: Relativo ao ou próprio do tecido em torno dos dentes, o periodonto. O periodonto é o tecido conjuntivo que fixa o dente no alvéolo.
2 Autoimune: 1. Relativo à autoimunidade (estado patológico de um organismo atingido por suas próprias defesas imunitárias). 2. Produzido por autoimunidade. 3. Autoalergia.
3 Artrite: Inflamação de uma articulação, caracterizada por dor, aumento da temperatura, dificuldade de movimentação, inchaço e vermelhidão da área afetada.
4 Artrite reumatóide: Doença auto-imune de etiologia desconhecida, caracterizada por poliartrite periférica, simétrica, que leva à deformidade e à destruição das articulações por erosão do osso e cartilagem. Afeta mulheres duas vezes mais do que os homens e sua incidência aumenta com a idade. Em geral, acomete grandes e pequenas articulações em associação com manifestações sistêmicas como rigidez matinal, fadiga e perda de peso. Quando envolve outros órgãos, a morbidade e a gravidade da doença são maiores, podendo diminuir a expectativa de vida em cinco a dez anos.
5 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
6 Tecido Ósseo: TECIDO CONJUNTIVO especializado, principal constituinte do ESQUELETO. O componente celular básico (principle) do osso é constituído por OSTEOBLASTOS, OSTEÓCITOS e OSTEOCLASTOS, enquanto COLÁGENOS FIBRILARES e cristais de hidroxiapatita formam a MATRIZ ÓSSEA.
7 Arcada Dentária: A estrutura composta curva da dentição natural e as cristas residuais ou resquícios destas depois da perda de alguns ou de todos os dentes naturais. (Dicionário Médico Stedman. 27a. ed. Rio de Janeiro DF
8 Articulações:
9 Mãos: Articulação entre os ossos do metacarpo e as falanges.
10 Bactéria: Organismo unicelular, capaz de auto-reproduzir-se. Existem diferentes tipos de bactérias, classificadas segundo suas características de crescimento (aeróbicas ou anaeróbicas, etc.), sua capacidade de absorver corantes especiais (Gram positivas, Gram negativas), segundo sua forma (bacilos, cocos, espiroquetas, etc.). Algumas produzem infecções no ser humano, que podem ser bastante graves.
11 Anticorpos: Proteínas produzidas pelo organismo para se proteger de substâncias estranhas como bactérias ou vírus. As pessoas que têm diabetes tipo 1 produzem anticorpos que destroem as células beta produtoras de insulina do próprio organismo.
12 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
13 Proteínas: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Alimentos que fornecem proteína incluem carne vermelha, frango, peixe, queijos, leite, derivados do leite, ovos.
14 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
15 Neutrófilos: Leucócitos granulares que apresentam um núcleo composto de três a cinco lóbulos conectados por filamenos delgados de cromatina. O citoplasma contém grânulos finos e inconspícuos que coram-se com corantes neutros.
16 Artralgia: Dor em uma articulação.
17 Osteoartrite: Termo geral que se emprega para referir-se ao processo degenerativo da cartilagem articular, manifestado por dor ao movimento, derrame articular, etc. Também denominado artrose.
18 Sênior: 1. Que é o mais velho. 2. Diz-se de desportistas que já ganharam primeiros prêmios: um piloto sênior. 3. Diz-se de profissionais experientes que já exercem, há algum tempo, determinada atividade.
19 Sistema imunológico: Sistema de defesa do organismo contra infecções e outros ataques de micro-organismos que enfraquecem o nosso corpo.
20 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
21 Toxina: Substância tóxica, especialmente uma proteína, produzida durante o metabolismo e o crescimento de certos microrganismos, animais e plantas, capaz de provocar a formação de anticorpos ou antitoxinas.
22 Patologia: 1. Especialidade médica que estuda as doenças e as alterações que estas provocam no organismo. 2. Qualquer desvio anatômico e/ou fisiológico, em relação à normalidade, que constitua uma doença ou caracterize determinada doença. 3. Por extensão de sentido, é o desvio em relação ao que é próprio ou adequado ou em relação ao que é considerado como o estado normal de uma coisa inanimada ou imaterial.
23 Patogênese: Modo de origem ou de evolução de qualquer processo mórbido; nosogenia, patogênese, patogenesia.
24 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
25 Gengivite: Condição em que as gengivas apresentam-se com sinais inflamatórios e sangramentos.
Gostou do artigo? Compartilhe!