Gostou do artigo? Compartilhe!

Mais de 3 milhões de alunos do ensino fundamental e médio dos EUA reportaram usar produtos de tabaco em 2022

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Mais de 11% dos alunos do ensino fundamental e médio dos EUA – quase 3,1 milhões – usam atualmente 1 ou mais produtos de tabaco, especialmente cigarros eletrônicos, de acordo com um novo relatório da Food and Drug Administration (FDA) e do Centers for Disease Control and Prevention (CDC) dos Estados Unidos.

O uso comercial de tabaco é a principal causa de doenças e mortes evitáveis nos Estados Unidos. O uso de produtos de tabaco por jovens em qualquer forma não é seguro.

Com base em uma amostra nacionalmente representativa de alunos de escolas públicas e privadas de ensino fundamental (middle schools [séries 6-8]) e de ensino médio (high schools [séries 9-12]), os pesquisadores estimam que os usuários atuais — definidos como o uso nos últimos 30 dias — incluíram 16,5% dos alunos do ensino médio (mais de 2,5 milhões de indivíduos) e 4,5% dos alunos do ensino fundamental (530.000 indivíduos).

Quase todo o uso de tabaco – um hábito que é a principal causa de doenças, incapacidades e mortes evitáveis entre os adultos americanos – começa durante a juventude e a idade adulta, observam os autores.

As descobertas, publicadas no Relatório Semanal de Morbidade1 e Mortalidade2 do CDC, usaram dados da última Pesquisa Nacional de Tabaco entre Jovens, administrada online de 18 de janeiro a 31 de maio de 2022.

O estudo avaliou 8 produtos de tabaco comercial, descobrindo que, pelo nono ano consecutivo, os cigarros eletrônicos foram o produto de tabaco mais usado entre todos os estudantes (quase 2,6 milhões), seguido por charutos (500.000), cigarros (440.000), formas não fumáveis de tabaco (330.000), narguilés (290.000), bolsas de nicotina (280.000), produtos de tabaco aquecido (260.000) e tabaco para cachimbo (150.000).

Os autores observam que os resultados da pesquisa sugerem disparidades no uso de produtos de tabaco entre os estudantes dos EUA, com prevalência3 variando de acordo com certos fatores demográficos, bem como indicadores de determinantes sociais da saúde4, como educação e renda familiar.

No geral, meninas eram mais propensas do que os meninos (12,3% vs 10,3%) a relatar o uso atual de qualquer produto de tabaco. Esse uso também foi maior entre certos grupos, incluindo estudantes de origem indígena americana ou nativos do Alasca não hispânicos (13,5%) e estudantes multirraciais não hispânicos (13,0%); alunos que se identificaram como lésbicas, gays ou bissexuais (16,0%); alunos que se identificaram como transexuais (16,6%); alunos que reportaram sofrimento psicológico grave (18,3%); alunos com baixa renda familiar (12,5%); e alunos com notas baixas (principalmente notas F) na escola (27,2%).

Os grupos também variaram com relação aos tipos de produtos de tabaco que usavam. Por exemplo, estudantes negros relataram o maior uso atual de qualquer produto de tabaco combustível (5,7%), particularmente charutos (3,3%) e narguilés (2,3%).

Saiba mais sobre "Tabagismo - como as pessoas se viciam e mantêm o vício no tabaco" e "Cigarro eletrônico".

“O uso comercial de produtos de tabaco continua a ameaçar a saúde4 dos jovens de nossa nação, e as disparidades no uso de produtos de tabaco persistem”, disse Deirdre Lawrence Kittner, PhD, diretora do CDC's Office on Smoking and Health, em um comunicado.

Entre todos os estudantes que relataram uso de qualquer produto de tabaco, quase um terço (31%) disse ter usado vários produtos de tabaco nos últimos 30 dias. “O uso de vários produtos de tabaco entre os jovens é particularmente preocupante porque está associado à dependência da nicotina, o que aumenta a probabilidade de uso prolongado do tabaco na idade adulta”, disse o relatório.

O uso de cigarros comuns entre os jovens nos EUA tem diminuído constantemente nas últimas 2 décadas, embora as mudanças na metodologia tenham limitado a capacidade dos autores de comparar as estimativas de 2022 com as de anos anteriores. Cerca de 3,7% dos alunos do ensino fundamental e médio relataram uso atual de qualquer produto de tabaco combustível em 2022, incluindo cigarros, charutos, narguilé e tabaco para cachimbo.

Os autores disseram que suas descobertas sugerem disparidades contínuas no uso de produtos de tabaco, o que pode ser atribuído em parte a uma maior exposição à promoção e publicidade do tabaco e a uma maior densidade de pontos de venda de produtos de tabaco em comunidades de minorias raciais e étnicas, entre outros fatores ambientais sistêmicos5.

Outros fatores que contribuem para o uso de produtos de tabaco por jovens incluem percepções errôneas de danos e sabores e marketing direcionados a indivíduos mais jovens, observa o CDC. No início deste mês, a FDA disse que emitiu cartas de advertência para várias empresas de cigarros eletrônicos a respeito de produtos embalados para se parecerem com brinquedos, comida ou personagens de desenhos animados.

“A FDA criticou as cinco empresas relativamente desconhecidas – Wizman Limited, Shenzhen Fumot Technology, Shenzhen Quawins Technology, Ruthless Vapor e Moti Global – por venderem cigarros eletrônicos projetados para se parecerem com itens como bastões luminosos, Nintendo Game Boys e walkie-talkies, ou imitar alimentos como picolés”, disse a agência. As empresas também vendem cigarros eletrônicos com personagens de programas de televisão como “Os Simpsons”, “Family Guy”, “Squid Game”, “Rick and Morty”, “Minions” e “Baby Bus”, que são espetáculos voltados para o público infantil.

Para ajudar os jovens a reconhecer e evitar os perigos do uso do tabaco, são necessários regulamentos da FDA e esforços conjuntos de pais, escolas e pessoas que trabalham com jovens, disse o relatório.

Alguns esforços nos níveis nacional, estadual e local incluem a aplicação da idade mínima federal de venda de 21 anos para todos os produtos de tabaco, restringindo as vendas de produtos com sabor em alguns estados e comunidades e uma proposta de proibição federal de cigarros mentolados e charutos com sabor para ajudar a prevenir que os jovens comecem a fumar. Outras abordagens incluem esforços para aumentar o preço dos produtos de tabaco e campanhas na mídia de massa, além de outras iniciativas educacionais para alertar sobre os perigos do uso de produtos de tabaco.

“Esforços contínuos de vigilância de todos os tipos de produtos de tabaco, incluindo novos produtos, e implementação sustentada de estratégias de controle do tabaco baseadas na população, combinadas com a regulamentação da FDA, são garantidos para prevenir e reduzir o uso de produtos de tabaco por jovens”, disse o relatório.

Leia sobre "Parar de fumar" e "Quinze sinais6 que apontam para a dependência às drogas".

 

Fontes:
Centers for Disease Control and Prevention, relatório publicado em 11 de novembro de 2022.
JAMA Health Forum, notícia publicada em 29 de novembro de 2022.

 

NEWS.MED.BR, 2022. Mais de 3 milhões de alunos do ensino fundamental e médio dos EUA reportaram usar produtos de tabaco em 2022. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/saude/1430705/mais-de-3-milhoes-de-alunos-do-ensino-fundamental-e-medio-dos-eua-reportaram-usar-produtos-de-tabaco-em-2022.htm>. Acesso em: 5 fev. 2023.

Complementos

1 Morbidade: Morbidade ou morbilidade é a taxa de portadores de determinada doença em relação à população total estudada, em determinado local e em determinado momento.
2 Mortalidade: A taxa de mortalidade ou coeficiente de mortalidade é um dado demográfico do número de óbitos, geralmente para cada mil habitantes em uma dada região, em um determinado período de tempo.
3 Prevalência: Número de pessoas em determinado grupo ou população que são portadores de uma doença. Número de casos novos e antigos desta doença.
4 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
5 Sistêmicos: 1. Relativo a sistema ou a sistemática. 2. Relativo à visão conspectiva, estrutural de um sistema; que se refere ou segue um sistema em seu conjunto. 3. Disposto de modo ordenado, metódico, coerente. 4. Em medicina, é o que envolve o organismo como um todo ou em grande parte.
6 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
Gostou do artigo? Compartilhe!