Gostou do artigo? Compartilhe!

Cientistas do Reino Unido testam medicamento para prevenir a infecção que leva à Covid, conferindo imunidade instantânea

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Cientistas britânicos estão testando um novo medicamento que pode impedir que alguém exposto ao coronavírus desenvolva a doença Covid-19, o que, segundo especialistas, pode salvar muitas vidas. A terapia com anticorpos1 conferiria imunidade2 instantânea contra a doença e poderia ser administrada como um tratamento de emergência3 para pacientes4 internados em hospitais e residentes de lares comunitários para ajudar a conter os surtos. A notícia foi dada pelo The Guardian, em 25 de dezembro de 2020.

Pessoas que vivem em lares nos quais alguém contraiu Covid podem receber a droga para garantir que elas também não sejam infectadas. O medicamento também pode ser ministrado a estudantes universitários, entre os quais o vírus5 se espalhou rapidamente porque vivem e estudam em alojamentos.

A Dra. Catherine Houlihan, virologista da University College London Hospitals NHS Trust (UCLH), que está liderando um estudo sobre a droga, entitulada Storm Chaser, declarou: “Se pudermos provar que este tratamento funciona e evitar que as pessoas que estão expostas ao vírus5 continuem a desenvolver a Covid-19, seria uma colaboração importante para combater esse vírus5 terrível.”

Leia sobre "Tratamentos medicamentosos para covid-19" e "Revisão de tratamentos farmacológicos para o coronavírus".

A droga foi desenvolvida pela UCLH e AstraZeneca (a mesma empresa farmacêutica que, junto à Universidade de Oxford, criou uma vacina6 que a Agência Reguladora de Medicamentos e Produtos de Saúde7 do Reino Unido aprovou em 30 de dezembro de 2020 para uso na Grã-Bretanha) e espera-se que seja aprovada em breve.

A equipe espera que o teste mostre que o coquetel de anticorpos1 confira proteção contra a Covid-19 por um período entre seis e 12 meses. Os participantes do ensaio estão recebendo o coquetel em duas doses. Se for aprovado, poderá ser oferecido a alguém que foi exposto à Covid até o 8º dia após a infecção8.

Ele pode estar disponível em março ou abril de 2021, se for aprovado pelo órgão regulador de medicamentos após a análise das evidências do estudo. O teste envolve a própria UCLH, vários outros hospitais britânicos e uma rede de 100 locais em todo o mundo. Este mês, o hospital da University College tornou-se o primeiro local no mundo a recrutar pacientes para o ensaio clínico randomizado9.

“Até o momento, injetamos 10 participantes – funcionários, alunos e outras pessoas – que foram expostos ao vírus5 em casa, em um ambiente de saúde7 ou em salas de estudantes”, disse Houlihan. Ela e seus colegas acompanharão de perto os participantes para ver qual deles desenvolve a Covid-19.

A proteção imediata que o medicamento promete pode desempenhar um papel vital na redução do impacto do vírus5 até que todos estejam imunizados. O programa de vacinação está em andamento com a vacina6 da Pfizer/BioNTech e deve durar até o próximo verão. 

A droga envolve uma combinação de anticorpos1 de longa ação conhecida como AZD7442, que foi desenvolvida pela AstraZeneca. Em vez de anticorpos1 produzidos pelo corpo para ajudar a combater uma infecção8, o AZD7442 usa anticorpos1 monoclonais, que foram criados em um laboratório.

Em documentos sobre um ensaio clínico que a AstraZeneca registrou nos EUA, a empresa explica que está investigando “a eficácia do AZD7442 para a profilaxia pós-exposição de Covid-19 em adultos. A proteína spike do Sars-CoV-2 contém o RBD [domínio de ligação ao receptor] do vírus5, que permite que o vírus5 se ligue a receptores em células10 humanas. Ao alvejar esta região da proteína spike do vírus5, os anticorpos1 podem bloquear a ligação do vírus5 às células10 humanas e, portanto, espera-se que bloqueiem a infecção8.”

Leia também sobre “Vitamina11 D e Coronavírus”, “Coronavírus - como é e como evitar a contaminação” e “Orientações para isolamento de casos de COVID-19”.

 

Fonte: The Guardian, notícia publicada em 25 de dezembro de 2020.

 

 

NEWS.MED.BR, 2020. Cientistas do Reino Unido testam medicamento para prevenir a infecção que leva à Covid, conferindo imunidade instantânea. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/saude/1384689/cientistas-do-reino-unido-testam-medicamento-para-prevenir-a-infeccao-que-leva-a-covid-conferindo-imunidade-instantanea.htm>. Acesso em: 19 jan. 2021.

Complementos

1 Anticorpos: Proteínas produzidas pelo organismo para se proteger de substâncias estranhas como bactérias ou vírus. As pessoas que têm diabetes tipo 1 produzem anticorpos que destroem as células beta produtoras de insulina do próprio organismo.
2 Imunidade: Capacidade que um indivíduo tem de defender-se perante uma agressão bacteriana, viral ou perante qualquer tecido anormal (tumores, enxertos, etc.).
3 Emergência: 1. Ato ou efeito de emergir. 2. Situação grave, perigosa, momento crítico ou fortuito. 3. Setor de uma instituição hospitalar onde são atendidos pacientes que requerem tratamento imediato; pronto-socorro. 4. Eclosão. 5. Qualquer excrescência especializada ou parcial em um ramo ou outro órgão, formada por tecido epidérmico (ou da camada cortical) e um ou mais estratos de tecido subepidérmico, e que pode originar nectários, acúleos, etc. ou não se desenvolver em um órgão definido.
4 Para pacientes: Você pode utilizar este texto livremente com seus pacientes, inclusive alterando-o, de acordo com a sua prática e experiência. Conheça todos os materiais Para Pacientes disponíveis para auxiliar, educar e esclarecer seus pacientes, colaborando para a melhoria da relação médico-paciente, reunidos no canal Para Pacientes . As informações contidas neste texto são baseadas em uma compilação feita pela equipe médica da Centralx. Você deve checar e confirmar as informações e divulgá-las para seus pacientes de acordo com seus conhecimentos médicos.
5 Vírus: Pequeno microorganismo capaz de infectar uma célula de um organismo superior e replicar-se utilizando os elementos celulares do hospedeiro. São capazes de causar múltiplas doenças, desde um resfriado comum até a AIDS.
6 Vacina: Tratamento à base de bactérias, vírus vivos atenuados ou seus produtos celulares, que têm o objetivo de produzir uma imunização ativa no organismo para uma determinada infecção.
7 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
8 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
9 Randomizado: Ensaios clínicos comparativos randomizados são considerados o melhor delineamento experimental para avaliar questões relacionadas a tratamento e prevenção. Classicamente, são definidos como experimentos médicos projetados para determinar qual de duas ou mais intervenções é a mais eficaz mediante a alocação aleatória, isto é, randomizada, dos pacientes aos diferentes grupos de estudo. Em geral, um dos grupos é considerado controle – o que algumas vezes pode ser ausência de tratamento, placebo, ou mais frequentemente, um tratamento de eficácia reconhecida. Recursos estatísticos são disponíveis para validar conclusões e maximizar a chance de identificar o melhor tratamento. Esses modelos são chamados de estudos de superioridade, cujo objetivo é determinar se um tratamento em investigação é superior ao agente comparativo.
10 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
11 Vitamina: Compostos presentes em pequenas quantidades nos diversos alimentos e nutrientes e que são indispensáveis para o desenvolvimento dos processos biológicos normais.
Gostou do artigo? Compartilhe!