Gostou do artigo? Compartilhe!

Crianças devem consumir no máximo 25 gramas de açúcar adicionado por dia, segundo nova recomendação da American Heart Association

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

A adoção de um estilo de vida não saudável é uma das principais causas de doenças preveníveis no mundo. Açúcares adicionados aos alimentos contribuem para uma dieta rica em energia, mas pobre em nutrientes, o que leva à obesidade1, às doenças cardiovasculares2, hipertensão arterial3, cânceres relacionados com a obesidade1 e cárie dentária.

Para fazer esta afirmação científica, um grupo de pesquisadores da American Heart Association revisou e classificou a evidência científica atual em estudos que examinaram os efeitos sobre a saúde4 cardiovascular infantil de açúcares adicionados aos alimentos. A literatura disponível foi subdividida em cinco grandes subáreas: efeitos sobre a pressão arterial5, sobre os lipídios, resistência à insulina6 e diabetes mellitus7, doença hepática8 gordurosa não alcoólica e obesidade1.

Saiba mais sobre "Obesidade1", "Hipertensão arterial3", "Cáries9 dentárias", "Colesterol10 alto", "Diabetes Mellitus7" e "Esteatose hepática11".

Associações entre açúcares adicionados e aumento dos fatores de risco para doenças cardiovasculares2 entre as crianças norte-americanas estão presentes em níveis muito abaixo dos níveis atuais de consumo praticado por estas crianças. Fortes evidências sustentam a associação de açúcares adicionados com o aumento do risco de doença cardiovascular em crianças através do aumento da ingestão de calorias12, aumento da adiposidade e dislipidemias.

A comissão de pesquisa descobriu que é razoável recomendar que as crianças consumam ≤25 gramas (100 calorias12 ou aproximadamente seis colheres de chá) de açúcares adicionados por dia e evitem açúcares adicionados para crianças menores de 2 anos de idade. Apesar dos açúcares adicionados provavelmente poderem ser consumidos com segurança em baixas quantidades, como parte de uma dieta saudável, poucas crianças atingem tais níveis, tornando este um alvo importante para a saúde4 pública.

Leia também: "O que é uma alimentação saudável?", "O que afeta o comportamento da sua glicemia13?" e "O que fazer para prevenir o câncer14?".

 

Fonte: Circulation, volume 134, número 8, de 23 de agosto de 2016

 

NEWS.MED.BR, 2016. Crianças devem consumir no máximo 25 gramas de açúcar adicionado por dia, segundo nova recomendação da American Heart Association. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/saude/1274103/criancas-devem-consumir-no-maximo-25-gramas-de-acucar-adicionado-por-dia-segundo-nova-recomendacao-da-american-heart-association.htm>. Acesso em: 21 set. 2020.

Complementos

1 Obesidade: Condição em que há acúmulo de gorduras no organismo além do normal, mais severo que o sobrepeso. O índice de massa corporal é igual ou maior que 30.
2 Doenças cardiovasculares: Doença do coração e vasos sangüíneos (artérias, veias e capilares).
3 Hipertensão arterial: Aumento dos valores de pressão arterial acima dos valores considerados normais, que no adulto são de 140 milímetros de mercúrio de pressão sistólica e 85 milímetros de pressão diastólica.
4 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
5 Pressão arterial: A relação que define a pressão arterial é o produto do fluxo sanguíneo pela resistência. Considerando-se a circulação como um todo, o fluxo total é denominado débito cardíaco, enquanto a resistência é denominada de resistência vascular periférica total.
6 Resistência à insulina: Inabilidade do corpo para responder e usar a insulina produzida. A resistência à insulina pode estar relacionada à obesidade, hipertensão e altos níveis de colesterol no sangue.
7 Diabetes mellitus: Distúrbio metabólico originado da incapacidade das células de incorporar glicose. De forma secundária, podem estar afetados o metabolismo de gorduras e proteínas.Este distúrbio é produzido por um déficit absoluto ou relativo de insulina. Suas principais características são aumento da glicose sangüínea (glicemia), poliúria, polidipsia (aumento da ingestão de líquidos) e polifagia (aumento da fome).
8 Hepática: Relativa a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
9 Cáries: Destruição do esmalte dental produzida pela proliferação de bactérias na cavidade oral.
10 Colesterol: Tipo de gordura produzida pelo fígado e encontrada no sangue, músculos, fígado e outros tecidos. O colesterol é usado pelo corpo para a produção de hormônios esteróides (testosterona, estrógeno, cortisol e progesterona). O excesso de colesterol pode causar depósito de gordura nos vasos sangüíneos. Seus componentes são: HDL-Colesterol: tem efeito protetor para as artérias, é considerado o bom colesterol. LDL-Colesterol: relacionado às doenças cardiovasculares, é o mau colesterol. VLDL-Colesterol: representa os triglicérides (um quinto destes).
11 Esteatose hepática: Esteatose hepática ou “fígado gorduroso“ é o acúmulo de gorduras nas células do fígado.
12 Calorias: Dizemos que um alimento tem “x“ calorias, para nos referirmos à quantidade de energia que ele pode fornecer ao organismo, ou seja, à energia que será utilizada para o corpo realizar suas funções de respiração, digestão, prática de atividades físicas, etc.
13 Glicemia: Valor de concentração da glicose do sangue. Seus valores normais oscilam entre 70 e 110 miligramas por decilitro de sangue (mg/dl).
14 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
Gostou do artigo? Compartilhe!