Gostou do artigo? Compartilhe!

Estudo sugere possível ligação entre eritritol, um substituto do açúcar, e problemas cardíacos

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Em um estudo publicado na revista Nature Medicine, pesquisadores relataram ligações entre o eritritol, popular substituto do açúcar1 sem calorias2, e um risco aumentado de eventos cardiovasculares, incluindo ataque cardíaco e AVC. O adoçante, que costuma ser adicionado a muitos alimentos e bebidas de baixa ou zero caloria3, é apenas um dos muitos substitutos do açúcar1 que pesquisadores têm questionado em termos de seus riscos de segurança a longo prazo.

Análises metabolômicas direcionadas mostraram um risco aproximadamente dobrado de eventos cardiovasculares adversos maiores entre pessoas com os níveis plasmáticos mais altos de eritritol em duas coortes de validação independentes, uma nos EUA e outra na Europa.

Como ocorre com o que é chamado de “pesquisa observacional”, os estudos não provaram que o eritritol estava causando o maior risco – outra coisa poderia explicar a correlação. Assim, os pesquisadores exploraram os efeitos do eritritol no sangue4, já que tanto ataques cardíacos quanto AVCs podem ser causados pela formação de coágulos sanguíneos.

Eles então descobriram que, quando alimentavam camundongos com eritritol, isso promovia a formação de coágulos sanguíneos. O eritritol ainda parece induzir a coagulação5 no sangue4 e no plasma6 humanos. Entre oito pessoas que consumiram eritritol em níveis típicos presentes em meio litro de sorvete keto ou uma lata de bebida adoçada artificialmente (30 gramas), a substância permaneceu no sangue4 por mais de dois dias, em concentrações bem acima dos limites associados com reatividade plaquetária elevada e potencial de trombose7. Os níveis sanguíneos do adoçante saltaram de cerca de 4 micromoles (uma medida de concentração) para cerca de 6.000 micromoles.

“Após a exposição ao eritritol dietético, pode ocorrer um período prolongado de risco trombótico8 potencialmente aumentado. Isso é preocupante, uma vez que os mesmos indivíduos para os quais os adoçantes artificiais são comercializados (pacientes com diabetes9, obesidade10, histórico de DCV e insuficiência renal11), são aqueles normalmente com maior risco de eventos cardiovasculares futuros”, escreveu Stanley Hazen, MD, PhD, endocrinologista12 da Cleveland Clinic e autor do estudo.

Saiba mais sobre "Adoçantes: prós e contras", "Doenças cardiovasculares13" e "Trombose7 arterial".

O conselho médico padrão é que devemos tentar comer menos açúcar1 para manter um peso saudável, e que alimentos e bebidas que contenham adoçantes são melhores para nós do que produtos que contenham açúcares naturais.

O eritritol só recentemente se tornou um aditivo artificial em alimentos. É um tipo de álcool de açúcar1 que é cerca de 70 por cento tão doce quanto o mesmo peso de açúcar1, mas que quase não tem calorias2. Juntamente com outros álcoois de açúcar1, o eritritol é encontrado em níveis baixos em muitas frutas e vegetais e também pode ser produzido naturalmente em nossos corpos.

Mas o eritritol agora está sendo adicionado a tantos alimentos que algumas pessoas têm níveis sanguíneos muito mais altos do que ocorreriam naturalmente, diz Hazen. Tornou-se um ingrediente cada vez mais comum em bebidas e alimentos comercializados para perda de peso ou para dietas com baixo teor de carboidratos. “É um dos adoçantes artificiais que mais cresce”, afirmou o pesquisador.

Mas Duane Mellor, porta-voz da Associação Dietética Britânica, diz que a maioria das pessoas não comeria quantidades suficientes para atingir os níveis testados para efeitos de coagulação5 neste estudo.

Mellor diz que as descobertas não devem fazer com que as pessoas parem de consumir alimentos e bebidas com o adoçante. “Precisamos reduzir nossa ingestão de açúcar”, diz ele.

No artigo, os autores relatam que adoçantes artificiais são substitutos do açúcar1 amplamente utilizados, mas pouco se sabe sobre seus efeitos a longo prazo nos riscos de doenças cardiometabólicas.

Neste estudo, examinou-se o eritritol, substituto do açúcar1 comumente usado, e o risco de doença aterotrombótica. Em estudos metabolômicos iniciais não direcionados em pacientes submetidos a avaliação de risco cardíaco (n = 1.157; coorte14 de descoberta), os níveis circulantes de múltiplos adoçantes polióis, especialmente eritritol, foram associados ao risco incidente15 (3 anos) de eventos cardiovasculares adversos maiores (ECAM; incluindo morte ou infarto do miocárdio16 não fatal ou acidente vascular cerebral17).

Análises metabolômicas direcionadas subsequentes em coortes de validação independentes dos EUA (n = 2.149) e europeias (n = 833) de pacientes estáveis submetidos a avaliação cardíaca eletiva18 confirmaram essa associação (razão de risco ajustada do quarto versus primeiro quartil [intervalo de confiança de 95%], 1,80 [1,18-2,77] e 2,21 [1,20-4,07], respectivamente).

Em níveis fisiológicos, o eritritol aumentou a reatividade plaquetária in vitro e a formação de trombose7 in vivo. Finalmente, em um estudo prospectivo19 de intervenção piloto, a ingestão de eritritol em voluntários saudáveis (n = 8) induziu aumentos acentuados e sustentados (>2 dias) nos níveis plasmáticos de eritritol bem acima dos limites associados à reatividade plaquetária elevada e potencial de trombose7 em estudos in vitro e in vivo.

Esses achados revelam que o eritritol está associado ao risco de eventos cardiovasculares adversos maiores incidentes20 e promove trombose7 aumentada. Estudos avaliando a segurança a longo prazo do eritritol são necessários.

Leia sobre "Infarto do Miocárdio16", "Acidente Vascular Cerebral17" e "Os cinco “venenos” brancos".

 

Fontes:
Nature Medicine, publicação em 27 de fevereiro de 2023.
New Scientist, notícia publicada em 27 de fevereiro de 2023.
MedPage Today, notícia publicada em 27 de fevereiro de 2023.

 

NEWS.MED.BR, 2023. Estudo sugere possível ligação entre eritritol, um substituto do açúcar, e problemas cardíacos. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1434345/estudo-sugere-possivel-ligacao-entre-eritritol-um-substituto-do-acucar-e-problemas-cardiacos.htm>. Acesso em: 13 jul. 2024.

Complementos

1 Açúcar: 1. Classe de carboidratos com sabor adocicado, incluindo glicose, frutose e sacarose. 2. Termo usado para se referir à glicemia sangüínea.
2 Calorias: Dizemos que um alimento tem “x“ calorias, para nos referirmos à quantidade de energia que ele pode fornecer ao organismo, ou seja, à energia que será utilizada para o corpo realizar suas funções de respiração, digestão, prática de atividades físicas, etc.
3 Caloria: Dizemos que um alimento tem “x“ calorias, para nos referirmos à quantidade de energia que ele pode fornecer ao organismo, ou seja, à energia que será utilizada para o corpo realizar suas funções de respiração, digestão, prática de atividades físicas, etc. Carboidratos, proteínas, gorduras e álcool fornecem calorias na dieta. Carboidratos e proteínas têm 4 calorias em cada grama, gorduras têm 9 calorias por grama e álcool têm 7 calorias por grama.
4 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
5 Coagulação: Ato ou efeito de coagular(-se), passando do estado líquido ao sólido.
6 Plasma: Parte que resta do SANGUE, depois que as CÉLULAS SANGÜÍNEAS são removidas por CENTRIFUGAÇÃO (sem COAGULAÇÃO SANGÜÍNEA prévia).
7 Trombose: Formação de trombos no interior de um vaso sanguíneo. Pode ser venosa ou arterial e produz diferentes sintomas segundo os territórios afetados. A trombose de uma artéria coronariana pode produzir um infarto do miocárdio.
8 Trombótico: Relativo à trombose, ou seja, à formação ou desenvolvimento de um trombo (coágulo).
9 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
10 Obesidade: Condição em que há acúmulo de gorduras no organismo além do normal, mais severo que o sobrepeso. O índice de massa corporal é igual ou maior que 30.
11 Insuficiência renal: Condição crônica na qual o corpo retém líquido e excretas pois os rins não são mais capazes de trabalhar apropriadamente. Uma pessoa com insuficiência renal necessita de diálise ou transplante renal.
12 Endocrinologista: Médico que trata pessoas que apresentam problemas nas glândulas endócrinas.
13 Doenças cardiovasculares: Doença do coração e vasos sangüíneos (artérias, veias e capilares).
14 Coorte: Grupo de indivíduos que têm algo em comum ao serem reunidos e que são observados por um determinado período de tempo para que se possa avaliar o que ocorre com eles. É importante que todos os indivíduos sejam observados por todo o período de seguimento, já que informações de uma coorte incompleta podem distorcer o verdadeiro estado das coisas. Por outro lado, o período de tempo em que os indivíduos serão observados deve ser significativo na história natural da doença em questão, para que haja tempo suficiente do risco se manifestar.
15 Incidente: 1. Que incide, que sobrevém ou que tem caráter secundário; incidental. 2. Acontecimento imprevisível que modifica o desenrolar normal de uma ação. 3. Dificuldade passageira que não modifica o desenrolar de uma operação, de uma linha de conduta.
16 Infarto do miocárdio: Interrupção do suprimento sangüíneo para o coração por estreitamento dos vasos ou bloqueio do fluxo. Também conhecido por ataque cardíaco.
17 Acidente vascular cerebral: Conhecido popularmente como derrame cerebral, o acidente vascular cerebral (AVC) ou encefálico é uma doença que consiste na interrupção súbita do suprimento de sangue com oxigênio e nutrientes para o cérebro, lesando células nervosas, o que pode resultar em graves conseqüências, como inabilidade para falar ou mover partes do corpo. Há dois tipos de derrame, o isquêmico e o hemorrágico.
18 Eletiva: 1. Relativo à eleição, escolha, preferência. 2. Em medicina, sujeito à opção por parte do médico ou do paciente. Por exemplo, uma cirurgia eletiva é indicada ao paciente, mas não é urgente. 3. Cujo preenchimento depende de eleição (diz-se de cargo). 4. Em bioquímica ou farmácia, aquilo que tende a se combinar com ou agir sobre determinada substância mais do que com ou sobre outra.
19 Prospectivo: 1. Relativo ao futuro. 2. Suposto, possível; esperado. 3. Relativo à preparação e/ou à previsão do futuro quanto à economia, à tecnologia, ao plano social etc. 4. Em geologia, é relativo à prospecção.
20 Incidentes: 1. Que incide, que sobrevém ou que tem caráter secundário; incidental. 2. Acontecimento imprevisível que modifica o desenrolar normal de uma ação. 3. Dificuldade passageira que não modifica o desenrolar de uma operação, de uma linha de conduta.
Gostou do artigo? Compartilhe!