Atalho: 6AMOZOE
Gostou do artigo? Compartilhe!

Alguns anti-hipertensivos podem aumentar o risco de gota, em estudo do BMJ

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Bloqueadores dos canais de cálcio e losartan estão associados a um menor risco de gota1 entre pessoas com hipertensão arterial2. Já os diuréticos3, bloqueadores β, inibidores da enzima4 conversora da angiotensina (IECA), bloqueadores dos receptores da angiotensina II não-losartan podem aumentar o risco de ter a doença.

Para determinar as relações independentes entre o uso de medicamentos anti-hipertensivos e o risco de gota1 entre pessoas com hipertensão arterial2 foi realizado um estudo caso-controle publicado pelo British Medical Journal (BMJ).

Depois dos ajustes estatísticos necessários, os resultados mostraram que os bloqueadores dos canais de cálcio e o losartan estão associados a um menor risco de gota1 entre pessoas com hipertensão arterial2. Já os diuréticos3, bloqueadores β, inibidores da enzima4 conversora da angiotensina e os bloqueadores dos receptores da angiotensina II não-losartan estão associados a um risco aumentado para esta patologia5.

Fonte: BMJ, de12 de janeiro de 2012

 

NEWS.MED.BR, 2012. Alguns anti-hipertensivos podem aumentar o risco de gota, em estudo do BMJ. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/pharma-news/256595/alguns-anti-hipertensivos-podem-aumentar-o-risco-de-gota-em-estudo-do-bmj.htm>. Acesso em: 17 set. 2019.

Complementos

1 Gota: 1. Distúrbio metabólico produzido pelo aumento na concentração de ácido úrico no sangue. Manifesta-se pela formação de cálculos renais, inflamação articular e depósito de cristais de ácido úrico no tecido celular subcutâneo. A inflamação articular é muito dolorosa e ataca em crises. 2. Pingo de qualquer líquido.
2 Hipertensão arterial: Aumento dos valores de pressão arterial acima dos valores considerados normais, que no adulto são de 140 milímetros de mercúrio de pressão sistólica e 85 milímetros de pressão diastólica.
3 Diuréticos: Grupo de fármacos que atuam no rim, aumentando o volume e o grau de diluição da urina. Eles depletam os níveis de água e cloreto de sódio sangüíneos. São usados no tratamento da hipertensão arterial, insuficiência renal, insuficiência cardiaca ou cirrose do fígado. Há dois tipos de diuréticos, os que atuam diretamente nos túbulos renais, modificando a sua atividade secretora e absorvente; e aqueles que modificam o conteúdo do filtrado glomerular, dificultando indiretamente a reabsorção da água e sal.
4 Enzima: Proteína produzida pelo organismo que gera uma reação química. Por exemplo, as enzimas produzidas pelo intestino que ajudam no processo digestivo.
5 Patologia: 1. Especialidade médica que estuda as doenças e as alterações que estas provocam no organismo. 2. Qualquer desvio anatômico e/ou fisiológico, em relação à normalidade, que constitua uma doença ou caracterize determinada doença. 3. Por extensão de sentido, é o desvio em relação ao que é próprio ou adequado ou em relação ao que é considerado como o estado normal de uma coisa inanimada ou imaterial.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Complementos

28/01/2012 - Complemento feito por Leonardo
Re: Alguns anti-hipertensivos podem aumentar o risco de gota, em estudo do BMJ
A glibenclamida, metformina ou glimepirida para diabéticos podem reduzir a pressão arterial aumentando a excreção de sódio e potássio na alça-de-henle!

26/01/2012 - Complemento feito por Jose
Re: Alguns anti-hipertensivos podem aumentar o risco de gota, em estudo do BMJ
O comentario da Shirley e absolutamente pertinente, faco apenas um pequeno reparo: nao precisa ser cardiologista, pode ser um clinico ou um medico de familia.

26/01/2012 - Complemento feito por Shirley
Re: Alguns anti-hipertensivos podem aumentar o risco de gota, em estudo do BMJ
Lembrar aos que utilizam um dos medicamentos que são considerados de maior risco do desenvolvimento de gota, que a mudança ou escolha de outro medicamento com menor risco deve ser feita pelo Cardiologista que o avalia periodicamente.
Não basta usar um bom medicamento, é preciso associar as atividades fisicas, dieta adequada e controle periódico, além de usar os medicamentos diariamente.
Lembre-se: a hipertensão não é inimiga silenciosa: ela grita! nós, hipertensos, muitas vezes "fechamos" os ouvidos para ela....
Abraços

  • Entrar
  • Assinar