Atalho: 5DNOXIQ
Gostou do artigo? Compartilhe!

Crianças que nascem no inverno e no outono tem mais alergia alimentar, devido à menor concentração de vitamina D no organismo, segundo estudo publicado no Annals of Allergy, Asthma & Immunology

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Estudo multicêntrico de revisão, publicado no Annals of Allergy, Asthma & Immunology, mostrou que o nascimento no outono e no inverno é 50% mais comum em crianças menores de 5 anos com alergia1 alimentar comparadas com os nascimentos na primavera e no verão.

A prevalência2 de alergia1 alimentar está crescendo e os fatores etiológicos permanecem incertos. Evidências mostram o papel da vitamina3 D no desenvolvimento de doenças alérgicas. Baseado no padrão sazonal da exposição à radiação UVB (e consequentemente à quantidade de vitamina3 D no organismo), os cientistas criaram a hipótese de que crianças com alergia1 alimentar nascem com mais freqüência no inverno e no outono.

Foi realizado um estudo multicêntrico de revisão de dados médicos de pacientes que procuraram emergência4 hospitalar por motivo de reação alérgica5 aguda associada a alimentos ou outros motivos. Os meses de nascimento desses pacientes foram comparados.

Os pesquisadores observaram que o nascimento no outono e no inverno foi 50% mais comum em crianças menores de 5 anos com alergia1 alimentar comparadas com os nascimentos na primavera e no verão. Estes resultados reforçam a hipótese de que a menor exposição à radiação UVB e a insuficiência6 de vitamina3 D podem estar envolvidas na patogênese7 da alergia1 alimentar.

Fonte: Annals of Allergy, Asthma & Immunology, volume 104, de abril de 2010

NEWS.MED.BR, 2010. Crianças que nascem no inverno e no outono tem mais alergia alimentar, devido à menor concentração de vitamina D no organismo, segundo estudo publicado no Annals of Allergy, Asthma & Immunology. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/58199/criancas-que-nascem-no-inverno-e-no-outono-tem-mais-alergia-alimentar-devido-a-menor-concentracao-de-vitamina-d-no-organismo-segundo-estudo-publicado-no-annals-of-allergy-asthma-amp-immunology.htm>. Acesso em: 15 set. 2019.

Complementos

1 Alergia: Reação inflamatória anormal, perante substâncias (alérgenos) que habitualmente não deveriam produzi-la. Entre estas substâncias encontram-se poeiras ambientais, medicamentos, alimentos etc.
2 Prevalência: Número de pessoas em determinado grupo ou população que são portadores de uma doença. Número de casos novos e antigos desta doença.
3 Vitamina: Compostos presentes em pequenas quantidades nos diversos alimentos e nutrientes e que são indispensáveis para o desenvolvimento dos processos biológicos normais.
4 Emergência: 1. Ato ou efeito de emergir. 2. Situação grave, perigosa, momento crítico ou fortuito. 3. Setor de uma instituição hospitalar onde são atendidos pacientes que requerem tratamento imediato; pronto-socorro. 4. Eclosão. 5. Qualquer excrescência especializada ou parcial em um ramo ou outro órgão, formada por tecido epidérmico (ou da camada cortical) e um ou mais estratos de tecido subepidérmico, e que pode originar nectários, acúleos, etc. ou não se desenvolver em um órgão definido.
5 Reação alérgica: Sensibilidade a uma substância específica, chamada de alérgeno, com a qual se entra em contato por meio da pele, pulmões, deglutição ou injeções.
6 Insuficiência: Incapacidade de um órgão ou sistema para realizar adequadamente suas funções.Manifesta-se de diferentes formas segundo o órgão comprometido. Exemplos: insuficiência renal, hepática, cardíaca, respiratória.
7 Patogênese: Modo de origem ou de evolução de qualquer processo mórbido; nosogenia, patogênese, patogenesia.
Gostou do artigo? Compartilhe!