Gostou do artigo? Compartilhe!

Efeitos da testosterona no tratamento de idosos com baixos níveis hormonais e sintomas de hipoandrogenismo

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

 

Neste estudo, homens com 65 anos de idade ou mais velhos com baixos níveis de testosterona no soro1 e sintomas2 de hipoandrogenismo receberam testosterona ou placebo3 durante um ano. A testosterona teve um benefício moderado na função sexual e algum benefício no humor, mas nenhum benefício em vitalidade ou na atividade física em uma curta distância.
As concentrações séricas de testosterona diminuem à medida que os homens envelhecem, mas os benefícios de elevar os níveis de testosterona em homens mais velhos ainda não foram bem estabelecidos.
Cerca de 790 homens, de 65 anos ou mais de idade, com uma concentração de testosterona no soro1 inferior a 275 ng por decilitro e sintomas2 sugestivos de hipoandrogenismo, receberam ou gel de testosterona ou gel de placebo3 por um ano. Cada um participou de um ou mais dos três estudos conhecidos como Sexual Function Trial, Physical Function Trial e Vitality Trial. O desfecho primário de cada um dos ensaios individuais também foi avaliado em todos os participantes.
O tratamento com testosterona aumentou os níveis séricos de testosterona para a faixa normal intermediária para homens de 19 a 40 anos de idade. O aumento nos níveis de testosterona foi significativamente relacionado ao aumento da atividade sexual pelo questionário Psychosexual Daily Questionnaire (P<0.001), bem como foi observado aumento significativo do desejo sexual e da função erétil. A percentagem de homens que tiveram um aumento de pelo menos 50 metros na curta distância de seis minutos não diferiu significativamente entre os dois grupos de estudo no teste de função física (Physical Function Trial), mas diferiu significativamente quando os homens em todos os três estudos foram incluídos (20,5% homens que receberam testosterona versus 12,6% dos homens que receberam placebo3, P=0,003). A testosterona não levou a benefício significativo em relação à vitalidade, tal como avaliado pela escala Functional Assessment of Chronic Illness Therapy-Fatigue, mas os homens que receberam testosterona relataram melhor humor e menor severidade dos sintomas2 depressivos do que aqueles que receberam placebo3. As taxas de eventos adversos foram semelhantes nos dois grupos.
Nos homens sintomáticos de 65 anos de idade ou mais, aumentar as concentrações de testosterona durante um ano para a faixa normal intermediária para homens de 19 a 40 anos de idade, levou a um benefício moderado em relação à função sexual e algum benefício em relação ao humor e sintomas2 depressivos, mas nenhum benefício em relação à vitalidade ou à atividade física em uma curta distância. O número de participantes foi pequeno para se tirar conclusões sobre os riscos do tratamento com testosterona.
Fonte: The New England Journal of Medicine (NEJM), de 18 de fevereiro de 2016

As concentrações séricas de testosterona diminuem à medida que os homens envelhecem, mas os benefícios de elevar os níveis de testosterona em homens mais velhos ainda não foram bem estabelecidos.

Cerca de 790 homens, de 65 anos ou mais de idade, com uma concentração de testosterona no soro1 inferior a 275 ng por decilitro e sintomas2 sugestivos de hipoandrogenismo, receberam ou gel de testosterona ou gel de placebo3 por um ano. Cada um participou de um ou mais dos três estudos conhecidos como Sexual Function Trial, Physical Function Trial e Vitality Trial. O desfecho primário de cada um dos ensaios individuais também foi avaliado em todos os participantes.

O tratamento com testosterona aumentou os níveis séricos de testosterona para a faixa normal intermediária para homens de 19 a 40 anos de idade. O aumento nos níveis de testosterona foi significativamente relacionado ao aumento da atividade sexual pelo questionário Psychosexual Daily Questionnaire (P<0.001), bem como foi observado aumento significativo do desejo sexual e da função erétil.

A percentagem de homens que tiveram um aumento de pelo menos 50 metros na curta distância de seis minutos não diferiu significativamente entre os dois grupos de estudo no teste de função física (Physical Function Trial), mas diferiu significativamente quando os homens em todos os três estudos foram incluídos (20,5% homens que receberam testosterona versus 12,6% dos homens que receberam placebo3, P=0,003).

A testosterona não levou a benefício significativo em relação à vitalidade, tal como avaliado pela escala Functional Assessment of Chronic Illness Therapy-Fatigue, mas os homens que receberam testosterona relataram melhor humor e menor severidade dos sintomas2 depressivos do que aqueles que receberam placebo3. As taxas de eventos adversos foram semelhantes nos dois grupos.

Nos homens sintomáticos de 65 anos de idade ou mais, aumentar as concentrações de testosterona durante um ano para a faixa normal intermediária para homens de 19 a 40 anos de idade, levou a um benefício moderado em relação à função sexual e algum benefício em relação ao humor e sintomas2 depressivos, mas nenhum benefício em relação à vitalidade ou à atividade física em uma curta distância. O número de participantes foi pequeno para se tirar conclusões sobre os riscos do tratamento com testosterona.

 

Fonte: The New England Journal of Medicine (NEJM), de 18 de fevereiro de 2016

NEWS.MED.BR, 2016. Efeitos da testosterona no tratamento de idosos com baixos níveis hormonais e sintomas de hipoandrogenismo. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/819824/efeitos-da-testosterona-no-tratamento-de-idosos-com-baixos-niveis-hormonais-e-sintomas-de-hipoandrogenismo.htm>. Acesso em: 16 set. 2019.

Complementos

1 Soro: Chama-se assim qualquer líquido de características cristalinas e incolor.
2 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
3 Placebo: Preparação neutra quanto a efeitos farmacológicos, ministrada em substituição a um medicamento, com a finalidade de suscitar ou controlar as reações, geralmente de natureza psicológica, que acompanham tal procedimento terapêutico.
Gostou do artigo? Compartilhe!