Gostou do artigo? Compartilhe!

Nature: estudo genético ajuda a compreender melhor a síndrome dos ovários policísticos

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

No mais amplo estudo de associação genômica (GWAS) na síndrome1 dos ovários2 policísticos (SOP) até a presente data, os dados de mais de 200.000 mulheres revelam os mecanismos subjacentes da síndrome1 dos ovários2 policísticos, bem como potenciais intervenções.

Na nova pesquisa conduzida por cientistas da Universidade de Cambridge e dez outras instituições, incluindo a empresa privada 23andMe, identificou-se variantes genéticas e ligações causais associadas à SOP que podem ser relevantes para informar o estilo de vida e a escolha de tratamentos que sejam mais positivos para mulheres portadoras desta condição.

O co-líder do estudo, Dr. John Perry, do Conselho de Investigação Médica (MRC) da Unidade de Epidemiologia da Universidade de Cambridge, disse que além de encontrar novos marcadores genéticos para a SOP e confirmar alguns vínculos observados em estudos anteriores, a nova análise também ajuda a entender a biologia subjacente da doença com mais detalhes.

O estudo constatou que o risco de SOP foi aumentado na presença de variantes genéticas que são conhecidas por agir aumentando o índice de massa corporal3 (IMC4) e a resistência à insulina5. Os resultados indicam que as terapias que neutralizam estes mecanismos podem ser benéficas para as mulheres com SOP. Então, os cientistas recomendam que novos estudos sejam feitos para testar se redobrar esforços no sentido de reduzir o peso corporal e melhorar a resistência à insulina5 são eficazes no tratamento de mulheres com SOP.

Além disso, o estudo também identificou novas variantes genéticas que implicam três dos quatro receptores do fator de crescimento epidérmico, que são alvos de algumas modernas terapias contra o câncer6 conhecidas. Isso abre novos caminhos de pesquisa para futuros tratamentos na SOP. Outra nova variante identificada no gene FSHB (que codifica a subunidade beta do hormônio7 folículo8 estimulante ou FSH), indica que baixos níveis de FSH podem também contribuir para o desenvolvimento da SOP.

Fonte: Nature Communications, de 29 de setembro de 2015

NEWS.MED.BR, 2015. Nature: estudo genético ajuda a compreender melhor a síndrome dos ovários policísticos. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/805529/nature-estudo-genetico-ajuda-a-compreender-melhor-a-sindrome-dos-ovarios-policisticos.htm>. Acesso em: 12 dez. 2019.

Complementos

1 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
2 Ovários: São órgãos pares com aproximadamente 3cm de comprimento, 2cm de largura e 1,5cm de espessura cada um. Eles estão presos ao útero e à cavidade pelvina por meio de ligamentos. Na puberdade, os ovários começam a secretar os hormônios sexuais, estrógeno e progesterona. As células dos folículos maduros secretam estrógeno, enquanto o corpo lúteo produz grandes quantidades de progesterona e pouco estrógeno.
3 Índice de massa corporal: Medida usada para avaliar se uma pessoa está abaixo do peso, com peso normal, com sobrepeso ou obesa. É a medida mais usada na prática para saber se você é considerado obeso ou não. Também conhecido como IMC. É calculado dividindo-se o peso corporal em quilogramas pelo quadrado da altura em metros. Existe uma tabela da Organização Mundial de Saúde que classifica as medidas de acordo com o resultado encontrado.
4 IMC: Medida usada para avaliar se uma pessoa está abaixo do peso, com peso normal, com sobrepeso ou obesa. É a medida mais usada na prática para saber se você é considerado obeso ou não. Também conhecido como IMC. É calculado dividindo-se o peso corporal em quilogramas pelo quadrado da altura em metros. Existe uma tabela da Organização Mundial de Saúde que classifica as medidas de acordo com o resultado encontrado.
5 Resistência à insulina: Inabilidade do corpo para responder e usar a insulina produzida. A resistência à insulina pode estar relacionada à obesidade, hipertensão e altos níveis de colesterol no sangue.
6 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
7 Hormônio: Substância química produzida por uma parte do corpo e liberada no sangue para desencadear ou regular funções particulares do organismo. Por exemplo, a insulina é um hormônio produzido pelo pâncreas que diz a outras células quando usar a glicose para energia. Hormônios sintéticos, usados como medicamentos, podem ser semelhantes ou diferentes daqueles produzidos pelo organismo.
8 Folículo: 1. Bolsa, cavidade em forma de saco. 2. Fruto simples, seco e unicarpelar, cuja deiscência se dá pela sutura que pode conter uma ou mais sementes (Ex.: fruto da magnólia).
Gostou do artigo? Compartilhe!