Gostou do artigo? Compartilhe!

Journal of Clinical Oncology: vasectomia pode aumentar risco de câncer de próstata agressivo

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Relatos conflitantes permanecem a respeito da associação entre a vasectomia, uma forma comum de contracepção1 masculina, e o risco de câncer2 de próstata3. O presente estudo, publicado pelo Journal of Clinical Oncology, examinou prospectivamente esta associação com o seguimento prolongado dos pacientes e uma ênfase na doença avançada e letal.

Participaram da pesquisa 49.405 homens, dos EUA, no Health Professionals Follow-Up Study, com idades ente 40 e 75 anos no início do estudo, em 1986. Destes, 6.023 pacientes foram diagnosticados com câncer2 de próstata3 durante o acompanhamento até 2010, incluindo 811 casos letais. No total, 12.321 homens (25%) fizeram vasectomia. Modelos de riscos proporcionais de Cox foram usados para estimar o risco relativo (RR) e o IC de 95% da doença avançada, de alto grau, letal e total, com ajustes para uma variedade de possíveis fatores de confusão.

Os resultados mostram que a vasectomia foi associada com um pequeno aumento do risco de câncer2 de próstata3 em geral (RR 1,10; IC 95% 1,04-1,17). O risco foi elevado para o alto grau (escore de Gleason de 8 a 10; RR 1,22; IC 95% 1,03-1,45) e doença letal (morte ou metástases4 à distância; RR 1,19; IC 95% 1,00-1,43). Em uma subcoorte de homens que fizeram triagem regular com antígeno5 prostático específico (PSA), a associação com o câncer2 letal foi mais forte (RR 1,56; IC 95% 1,03-2,36). A vasectomia não foi associada ao risco de doença de baixo grau ou localizada. Análises adicionais sugerem que as associações não foram impulsionadas por diferenças nos níveis de hormônios sexuais, doenças sexualmente transmissíveis ou pelo tratamento do câncer2.

Concluiu-se que os dados encontrados corroboram a hipótese de que a vasectomia está associada a um aumento modesto da incidência6 de câncer2 de próstata3 letal. Os resultados não parecem ser devido ao viés de detecção e são improváveis os fatores de confusão por infecções7 ou pelo tratamento do câncer2.

Fonte: Journal of Clinical Oncology, publicação online, de 7 de julho de 2014 

NEWS.MED.BR, 2014. Journal of Clinical Oncology: vasectomia pode aumentar risco de câncer de próstata agressivo. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/552962/journal-of-clinical-oncology-vasectomia-pode-aumentar-risco-de-cancer-de-prostata-agressivo.htm>. Acesso em: 19 nov. 2019.

Complementos

1 Contracepção: Qualquer processo que evite a fertilização do óvulo ou a implantação do ovo. Os métodos de contracepção podem ser classificados de acordo com o seu objetivo em barreiras mecânicas ou químicas, impeditivas de nidação e contracepção hormonal.
2 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
3 Próstata: Glândula que (nos machos) circunda o colo da BEXIGA e da URETRA. Secreta uma substância que liquefaz o sêmem coagulado. Está situada na cavidade pélvica (atrás da parte inferior da SÍNFISE PÚBICA, acima da camada profunda do ligamento triangular) e está assentada sobre o RETO.
4 Metástases: Formação de tecido tumoral, localizada em um lugar distante do sítio de origem. Por exemplo, pode se formar uma metástase no cérebro originário de um câncer no pulmão. Sua gravidade depende da localização e da resposta ao tratamento instaurado.
5 Antígeno: 1. Partícula ou molécula capaz de deflagrar a produção de anticorpo específico. 2. Substância que, introduzida no organismo, provoca a formação de anticorpo.
6 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
7 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
Gostou do artigo? Compartilhe!