Gostou do artigo? Compartilhe!

O eczema pode, às vezes, ser causado pela ingestão excessiva de sal

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Comer muito sal foi associado ao eczema1 depois que pesquisadores descobriram que pessoas com esse problema de pele2 apresentam níveis elevados de sódio na urina3.

Um estudo publicado no JAMA Dermatology apontou que pessoas com eczema1 têm níveis mais elevados de sódio na urina3 do que aquelas sem a doença de pele2, com cada 1 grama4 adicional associado a um aumento de 11% no risco de um diagnóstico5.

Mais de 200 milhões de pessoas em todo o mundo têm eczema1, que causa pele2 seca, rachada e com coceira. Os gatilhos comuns incluem irritantes encontrados em sabões e detergentes, bem como alérgenos6 ambientais ou alimentares. Pesquisas anteriores também associaram o consumo frequente de fast food a um risco aumentado de eczema1 grave em crianças.

Para ver se o sal pode desempenhar um papel, Katrina Abuabara, da Universidade da Califórnia, São Francisco (UCSF), e os seus colegas examinaram dados de amostras de urina3 de mais de 215.800 adultos no estudo UK Biobank, dos quais mais de 10.800 tinham eczema1.

Os pesquisadores usaram uma amostra de urina3 de cada participante para estimar a excreção urinária de sódio ao longo de 24 horas. Cerca de 90% do sódio dietético é posteriormente excretado na urina3, tornando o produto residual uma forma relativamente confiável de medir o consumo de sal de alguém.

No geral, os participantes do estudo excretaram cerca de 3,01 gramas de sódio na urina3 durante 24 horas, em média. A ingestão recomendada de sódio para adultos é normalmente em torno de 2,5 gramas por dia, equivalente a 6 gramas, ou uma colher de chá, de sal.

Saiba mais sobre "Dermatite7 atópica ou Eczema1 atópico".

Os pesquisadores descobriram que, para cada grama4 adicional de sódio excretada pelos participantes, as chances de serem diagnosticados com eczema1 aumentaram 11%. O risco de ter eczema1 naquele momento também aumentou 16%.

A equipe reconhece que uma única amostra de urina3 pode não refletir com precisão a ingestão típica de sal de uma pessoa. Mas em outra parte do seu estudo, os pesquisadores entrevistaram um grupo separado de mais de 13.000 adultos nos EUA sobre a sua dieta diária, encontrando mais correlações entre uma elevada ingestão de sal e eczema1.

Pesquisas anteriores mostraram que o sódio pode ativar células8 do sistema imunológico9, desencadeando algumas vias inflamatórias, diz Abuabara. Pessoas com eczema1 têm uma resposta imunológica excessivamente ativa a alérgenos6 ou irritantes, o que causa inflamação10 da pele2 e sintomas11 subsequentes.

Embora o estudo mostre uma associação entre níveis elevados de sódio na urina3 e eczema1, são necessários mais estudos para estabelecer que o primeiro causa o segundo, diz Brenda Chiang, membro da equipe, também da UCSF.

É demasiado cedo para dizer que a redução dos níveis de sódio na dieta pode reduzir a gravidade do eczema1 ou o risco de desenvolvê-lo, diz Carsten Flohr, do King’s College London.

Abuabara diz que a sua equipe começará em breve a inscrever pessoas para participarem em um estudo financiado pelos Institutos Nacionais de Saúde12 dos EUA que analisa a relação entre o sódio na dieta, os níveis de sódio na pele2 e a gravidade do eczema1.

No artigo publicado, os pesquisadores relatam que a associação da dieta com a dermatite7 atópica (DA), ou eczema1, permanece pouco compreendida e poderia ajudar a explicar a heterogeneidade no curso da doença.

O objetivo do estudo, portanto, foi determinar até que ponto um nível mais elevado de ingestão de sódio na dieta, estimado usando o sódio na urina3 como biomarcador, está associado à DA em uma grande coorte13 populacional.

Este estudo transversal de participantes adultos (com idades entre 37 e 73 anos) do UK Biobank examinou a excreção de sódio na urina3 de 24 horas, que foi estimada usando uma única amostra de urina3 coletada entre 31 de março de 2006 e 1º de outubro de 2010, e cálculos da equação específica do sexo do Estudo Cooperativo Internacional sobre Sal, Outros Fatores e Pressão Arterial14, incorporando índice de massa corporal15, idade e concentrações urinárias de potássio, sódio e creatinina16. Os dados foram analisados entre 23 de fevereiro de 2022 e 20 de março de 2024.

A exposição primária do estudo foi a excreção urinária de sódio em 24 horas. O desfecho primário foi DA ou DA ativa com base em códigos de diagnóstico5 e prescrição de registros médicos eletrônicos vinculados. Modelos de regressão logística multivariável ajustados para idade, sexo, raça e etnia, Índice de Privação de Townsend e escolaridade foram utilizados para medir a associação.

A amostra analítica compreendeu 215.832 participantes (idade média [DP], 56,52 [8,06] anos; 54,3% mulheres). A média (DP) estimada de excreção de sódio na urina3 de 24 horas foi de 3,01 (0,82) g por dia, e 10.839 participantes (5,0%) tiveram diagnóstico5 de DA.

A regressão logística multivariada revelou que um aumento de 1 g na excreção estimada de sódio na urina3 de 24 horas foi associado ao aumento das chances de DA (odds ratio ajustado [AOR], 1,11; IC 95%, 1,07-1,14), ao aumento das chances de DA ativa (AOR, 1,16; IC 95%, 1,05-1,28) e maior probabilidade de aumento da gravidade da DA (AOR, 1,11; IC 95%, 1,07-1,15).

Em uma coorte13 de validação de 13.014 participantes da Pesquisa Nacional de Exame de Saúde12 e Nutrição17, uma ingestão dietética de sódio 1 g por dia maior, estimada por meio de questionários de recordatório alimentar, foi associada a um risco maior de DA atual (AOR, 1,22; IC 95%, 1,01-1,47).

Estes resultados sugerem que a restrição da ingestão de sódio na dieta pode ser uma intervenção custo-efetiva e de baixo risco para a dermatite7 atópica.

Leia sobre "Quinze estratégias para reduzir o sal na dieta" e "Atopia - como ela é".

 

Fontes:
JAMA Dermatology, publicação em 05 de junho de 2024.
New Scientist, notícia publicada em 05 de junho de 2024.

 

NEWS.MED.BR, 2024. O eczema pode, às vezes, ser causado pela ingestão excessiva de sal. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1475017/o-eczema-pode-as-vezes-ser-causado-pela-ingestao-excessiva-de-sal.htm>. Acesso em: 18 jul. 2024.

Complementos

1 Eczema: Afecção alérgica da pele, ela pode ser aguda ou crônica, caracterizada por uma reação inflamatória com formação de vesículas, desenvolvimento de escamas e prurido.
2 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
3 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
4 Grama: 1. Designação comum a diversas ervas da família das gramíneas que formam forrações espontâneas ou que são cultivadas para criar gramados em jardins e parques ou como forrageiras, em pastagens; relva. 2. Unidade de medida de massa no sistema c.g.s., equivalente a 0,001 kg . Símbolo: g.
5 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
6 Alérgenos: Substância capaz de provocar reação alérgica em certos indivíduos.
7 Dermatite: Inflamação das camadas superficiais da pele, que pode apresentar-se de formas variadas (dermatite seborreica, dermatite de contato...) e é produzida pela agressão direta de microorganismos, substância tóxica ou por uma resposta imunológica inadequada (alergias, doenças auto-imunes).
8 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
9 Sistema imunológico: Sistema de defesa do organismo contra infecções e outros ataques de micro-organismos que enfraquecem o nosso corpo.
10 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
11 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
12 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
13 Coorte: Grupo de indivíduos que têm algo em comum ao serem reunidos e que são observados por um determinado período de tempo para que se possa avaliar o que ocorre com eles. É importante que todos os indivíduos sejam observados por todo o período de seguimento, já que informações de uma coorte incompleta podem distorcer o verdadeiro estado das coisas. Por outro lado, o período de tempo em que os indivíduos serão observados deve ser significativo na história natural da doença em questão, para que haja tempo suficiente do risco se manifestar.
14 Pressão arterial: A relação que define a pressão arterial é o produto do fluxo sanguíneo pela resistência. Considerando-se a circulação como um todo, o fluxo total é denominado débito cardíaco, enquanto a resistência é denominada de resistência vascular periférica total.
15 Índice de massa corporal: Medida usada para avaliar se uma pessoa está abaixo do peso, com peso normal, com sobrepeso ou obesa. É a medida mais usada na prática para saber se você é considerado obeso ou não. Também conhecido como IMC. É calculado dividindo-se o peso corporal em quilogramas pelo quadrado da altura em metros. Existe uma tabela da Organização Mundial de Saúde que classifica as medidas de acordo com o resultado encontrado.
16 Creatinina: Produto residual das proteínas da dieta e dos músculos do corpo. É excretada do organismo pelos rins. Uma vez que as doenças renais progridem, o nível de creatinina aumenta no sangue.
17 Nutrição: Incorporação de vitaminas, minerais, proteínas, lipídios, carboidratos, oligoelementos, etc. indispensáveis para o desenvolvimento e manutenção de um indivíduo normal.
Gostou do artigo? Compartilhe!