Gostou do artigo? Compartilhe!

Eczema em crianças: loções, cremes e emolientes podem ajudar a prevenir a condição

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Entre 15% a 20% das crianças em todo o mundo têm eczema1 – uma doença inflamatória crônica da pele2 conhecida clinicamente como dermatite3 atópica. Atualmente não há cura para o eczema1.

Os médicos tratam os sintomas4 da doença para curar a pele2 e prevenir futuras crises por meio de medicamentos e sugerem que as pessoas sigam certas orientações para tomar banho e hidratar a pele2.

Agora, pesquisadores do Centro de Pesquisa Clínica de Xinjiang para Doenças Dermatológicas em Urumqi, China, dizem que a aplicação precoce de emolientes pode ajudar a prevenir o eczema1 em bebês5 com alto risco de desenvolver a doença.

O estudo foi publicado recentemente no Journal of the European Academy of Dermatology & Venereology.

Saiba mais sobre "Dermatite3 atópica ou Eczema1 atópico" e "Atopia - como ela é".

Para este estudo, os pesquisadores analisaram 11 ensaios clínicos6, incluindo quase 3.500 bebês5 que receberam emolientes para dermatite3 atópica.

Após a análise de todos os dados, os cientistas relataram que três tipos específicos de emolientes – cremes, emulsões e tipos mistos – ajudaram a prevenir o desenvolvimento de eczema1 em bebês5. No entanto, após análises adicionais, os pesquisadores descobriram que a emulsão emoliente é a melhor opção para ajudar a prevenir o eczema1 em bebês5 de alto risco.

“As emulsões juntam dois estados de fluido que de outra forma não se misturariam, de modo que podem conter um teor de água muito alto de uma forma que talvez um creme não possa”, disse a Dra. Angela J. Lamb, professora associada do Departamento de Dermatologia da Icahn School of Medicine at Mount Sinai, em Nova York. “Lembre-se, a água é a chave para a reparação e proteção da barreira cutânea7.”

“As emulsões emolientes fornecem uma barreira oclusiva, oferecendo a capacidade de obter a melhor proteção de barreira e chance de reter umidade e hidratação”, acrescentou o Dr. Latanya Benjamin, professor associado de dermatologia pediátrica.

No artigo publicado, os pesquisadores descrevem uma revisão sistemática e metanálise de rede de diferentes tipos de emolientes para a prevenção de dermatite3 atópica em lactentes8.

Eles contextualizam que a aplicação profilática de emolientes tem sido uma estratégia eficaz contra a dermatite3 atópica infantil. No entanto, a diferença entre diferentes emolientes é desconhecida.

Foi realizada então esta metanálise de rede para comparar diferentes emolientes na prevenção da dermatite3 atópica infantil. Uma pesquisa sistemática foi realizada nas bases de dados PubMed, EMBASE e na biblioteca Cochrane para identificar estudos relevantes desde seu início até 28 de fevereiro de 2022.

Avaliou-se a qualidade dos estudos elegíveis usando a ferramenta de avaliação de risco de viés Cochrane. A análise dos dados foi realizada no STATA 14.0. Onze estudos foram incluídos para análise dos dados.

A metanálise direta sugeriu que a aplicação precoce de emolientes preveniu efetivamente o desenvolvimento de dermatite3 atópica em bebês5 de alto risco (razão de risco [RR], 0,64; intervalo de confiança [IC] de 95%, 0,47 a 0,88).

A metanálise de rede sugeriu que a emulsão emoliente pode ser a melhor opção para prevenir o desenvolvimento de dermatite3 atópica infantil, com uma superfície sob a curva de classificação cumulativa (SUCRA) de 82,6% para todas as populações, 78,0% para populações de alto risco e 79,2% para populações com sensibilização a alimentos.

Os indivíduos que receberam emolientes experimentaram com mais frequência eventos adversos.

No geral, a aplicação precoce de emolientes é uma estratégia eficaz para prevenir o desenvolvimento de dermatite3 atópica em lactentes8 de alto risco e a emulsão emoliente pode ser o tipo ideal. Estudos futuros em larga escala e bem projetados são necessários para validar os achados.

Leia sobre "Prurido9 ou coceira - o que saber a respeito" e "Alergias: quais são as causas".

 

Fontes:
Journal of the European Academy of Dermatology & Venereology, publicação em 23 de novembro de 2022.
Medical News Today, notícia publicada em 14 de dezembro de 2022.

 

NEWS.MED.BR, 2023. Eczema em crianças: loções, cremes e emolientes podem ajudar a prevenir a condição. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1431185/eczema-em-criancas-locoes-cremes-e-emolientes-podem-ajudar-a-prevenir-a-condicao.htm>. Acesso em: 22 jul. 2024.

Complementos

1 Eczema: Afecção alérgica da pele, ela pode ser aguda ou crônica, caracterizada por uma reação inflamatória com formação de vesículas, desenvolvimento de escamas e prurido.
2 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
3 Dermatite: Inflamação das camadas superficiais da pele, que pode apresentar-se de formas variadas (dermatite seborreica, dermatite de contato...) e é produzida pela agressão direta de microorganismos, substância tóxica ou por uma resposta imunológica inadequada (alergias, doenças auto-imunes).
4 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
5 Bebês: Lactentes. Inclui o período neonatal e se estende até 1 ano de idade (12 meses).
6 Ensaios clínicos: Há três fases diferentes em um ensaio clínico. A Fase 1 é o primeiro teste de um tratamento em seres humanos para determinar se ele é seguro. A Fase 2 concentra-se em saber se um tratamento é eficaz. E a Fase 3 é o teste final antes da aprovação para determinar se o tratamento tem vantagens sobre os tratamentos padrões disponíveis.
7 Cutânea: Que diz respeito à pele, à cútis.
8 Lactentes: Que ou aqueles que mamam, bebês. Inclui o período neonatal e se estende até 1 ano de idade (12 meses).
9 Prurido: 1.    Na dermatologia, o prurido significa uma sensação incômoda na pele ou nas mucosas que leva a coçar, devido à liberação pelo organismo de substâncias químicas, como a histamina, que irritam algum nervo periférico. 2.    Comichão, coceira. 3.    No sentido figurado, prurido é um estado de hesitação ou dor na consciência; escrúpulo, preocupação, pudor. Também pode significar um forte desejo, impaciência, inquietação.
Gostou do artigo? Compartilhe!