Gostou do artigo? Compartilhe!

Terapia sequencial aumenta a sobrevivência no câncer de pâncreas metastático, com uma redução de 32% no risco de morte

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Para pacientes1 com adenocarcinoma2 ductal pancreático (ACDP) metastático, o tratamento sequencial com nab-paclitaxel (Abraxane) mais gencitabina seguido do protocolo oxaliplatina, leucovorina e fluorouracil modificado (mFOLFOX) levou a uma melhor sobrevida3 global (SG) em comparação com a terapia tradicional nab-paclitaxel/gencitabina, mostrou um estudo randomizado4 de fase II publicado no NEJM Evidence.

No ensaio clínico chamado SEQUENCE, a taxa de SG em 12 meses foi de 55,3% com terapia sequencial, em comparação com 35,4% no grupo de controle, observaram Alfredo Carrato, MD, PhD, da Universidade Alcalà em Madrid, e colegas. A SG mediana foi de 13,2 meses versus 9,7 meses, respectivamente.

“O ensaio SEQUENCE é um dos poucos ensaios clínicos5 randomizados de ACDP metastático a relatar resultados positivos de eficácia na última década”, escreveram Carrato e equipe. “Ele fornece evidências sobre o uso de uma nova estratégia de tratamento com dose completa sequencial de nab-paclitaxel-gencitabina-mFOLFOX em comparação com o tratamento padrão com nab-paclitaxel-gencitabina em pacientes com performance status (escala ECOG [Eastern Cooperative Oncology Group] 0 a 1) e ACDP metastático não tratado.”

Saiba mais sobre "Câncer6 de pâncreas7", "Metástases8" e "Quimioterapia9".

No entanto, a estratégia sequencial levou a mais neutropenia10 de grau 3 ou superior (47% vs 24%) e trombocitopenia11 (24% vs 8%) em comparação com o tratamento padrão, bem como duas mortes relacionadas ao tratamento em comparação com nenhuma.

Em um editorial que acompanhou a publicação do estudo, Vaibhav Sahai, da Universidade de Michigan em Ann Arbor, e Al B. Benson III, MD, da Northwestern University em Chicago, chamaram os resultados de “intrigantes”, particularmente uma vez que contrastaram com outros dados publicados sobre o impacto de alternar regimes de quimioterapia9.

“O regime utilizado no SEQUENCE pode ser facilmente adaptado na prática, embora à medida que surjam mais dados, deva haver mais certeza se esta abordagem leva a melhores resultados”, escreveram eles. “No entanto, o verdadeiro benefício potencial desta abordagem ainda precisa ser validado num ensaio de fase III”.

No artigo publicado, os pesquisadores descrevem os resultados do uso de nab-paclitaxel mais gencitabina e FOLFOX no câncer6 de pâncreas7 metastático.

Eles relatam que o tratamento sequencial com nab-paclitaxel mais gencitabina seguido de FOLFOX-6 (oxaliplatina, leucovorina e 5-fluorouracil) modificado (nab-P/Gen-mFOLFOX) mostrou boa segurança e bom perfil clínico no adenocarcinoma2 ductal pancreático metastático (ACDPm) no ensaio SEQUENCE de fase I.

A segurança e a eficácia do nab-P/Gen-mFOLFOX sequencial foram comparadas com o padrão nab-paclitaxel mais gencitabina (nab-P/Gen) como tratamento de primeira linha em um ensaio multi-institucional, randomizado12, aberto, de fase II em pacientes com ACDPm não tratado.

Os pacientes foram distribuídos aleatoriamente em uma proporção de 1:1 para receber nab-P/Gen nos dias 1, 8 e 15, seguido de mFOLFOX no dia 29 de um ciclo de 6 semanas (grupo experimental) ou nab-P/Gen nos dias 1, 8 e 15 de um ciclo de 4 semanas (grupo controle). O desfecho primário foi a taxa de sobrevida3 global em 12 meses.

Um total de 157 pacientes foram randomizados: 78 para nab-P/Gen-mFOLFOX e 79 para nab-P/Gen. Os pacientes que receberam nab-P/Gen-mFOLFOX tiveram uma sobrevida3 global em 12 meses de 55,3% (intervalo de confiança [IC] de 95%, 44,2 a 66,5) versus 35,4% (IC 95%, 24,9 a 46) no grupo de controle (P = 0,02).

Da mesma forma, a sobrevida3 em 24 meses foi de 22,4% (IC 95%, 13 a 31,8) com nab-P/Gen-mFOLFOX versus 7,6% (IC 95%, 1,8 a 13,4) com tratamento controle.

A sobrevida3 global mediana foi de 13,2 meses (IC 95%, 10,1 a 16,2) com nab-P/Gen-mFOLFOX e 9,7 meses (IC 95%, 7,5 a 12) com nab-P/Gen (taxa de risco para morte, 0,68; IC 95%, 0,48 a 0,95).

O perfil de segurança mostrou uma maior incidência13 de neutropenia10 de grau 3 ou superior (35 de 76 vs. 19 de 79 pacientes, P = 0,004), trombocitopenia11 de grau 3 ou superior (18 de 78 vs. 6 de 79 pacientes, P = 0,007), e duas mortes relacionadas ao tratamento (2,6%) com nab-P/Gen-mFOLFOX em comparação com nenhuma morte com tratamento controle.

O estudo concluiu que o tratamento sequencial com nab-P/Gen-mFOLFOX mostrou uma sobrevida3 significativamente maior em 12 meses quando comparado com o tratamento padrão com nab-P/Gen; isso veio com maior toxicidade14 do tratamento.

Leia sobre "Adenocarcinoma2: o que é" e "Prevenção do câncer6".

 

Fontes:
NEJM Evidence, Vol. 3, Nº 2, em 23 de janeiro de 2024.
MedPage Today, notícia publicada em 31 de janeiro de 2024.

 

NEWS.MED.BR, 2024. Terapia sequencial aumenta a sobrevivência no câncer de pâncreas metastático, com uma redução de 32% no risco de morte. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1466452/terapia-sequencial-aumenta-a-sobrevivencia-no-cancer-de-pancreas-metastatico-com-uma-reducao-de-32-no-risco-de-morte.htm>. Acesso em: 21 abr. 2024.

Complementos

1 Para pacientes: Você pode utilizar este texto livremente com seus pacientes, inclusive alterando-o, de acordo com a sua prática e experiência. Conheça todos os materiais Para Pacientes disponíveis para auxiliar, educar e esclarecer seus pacientes, colaborando para a melhoria da relação médico-paciente, reunidos no canal Para Pacientes . As informações contidas neste texto são baseadas em uma compilação feita pela equipe médica da Centralx. Você deve checar e confirmar as informações e divulgá-las para seus pacientes de acordo com seus conhecimentos médicos.
2 Adenocarcinoma: É um câncer (neoplasia maligna) que se origina em tecido glandular. O termo adenocarcinoma é derivado de “adeno”, que significa “pertencente a uma glândula” e “carcinoma”, que descreve um câncer que se desenvolveu em células epiteliais.
3 Sobrevida: Prolongamento da vida além de certo limite; prolongamento da existência além da morte, vida futura.
4 Estudo randomizado: Ensaios clínicos comparativos randomizados são considerados o melhor delineamento experimental para avaliar questões relacionadas a tratamento e prevenção. Classicamente, são definidos como experimentos médicos projetados para determinar qual de duas ou mais intervenções é a mais eficaz mediante a alocação aleatória, isto é, randomizada, dos pacientes aos diferentes grupos de estudo. Em geral, um dos grupos é considerado controle - o que algumas vezes pode ser ausência de tratamento, placebo, ou mais frequentemente, um tratamento de eficácia reconhecida. Recursos estatísticos são disponíveis para validar conclusões e maximizar a chance de identificar o melhor tratamento. Esses modelos são chamados de estudos de superioridade, cujo objetivo é determinar se um tratamento em investigação é superior ao agente comparativo.
5 Ensaios clínicos: Há três fases diferentes em um ensaio clínico. A Fase 1 é o primeiro teste de um tratamento em seres humanos para determinar se ele é seguro. A Fase 2 concentra-se em saber se um tratamento é eficaz. E a Fase 3 é o teste final antes da aprovação para determinar se o tratamento tem vantagens sobre os tratamentos padrões disponíveis.
6 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
7 Pâncreas: Órgão nodular (no ABDOME) que abriga GLÂNDULAS ENDÓCRINAS e GLÂNDULAS EXÓCRINAS. A pequena porção endócrina é composta pelas ILHOTAS DE LANGERHANS, que secretam vários hormônios na corrente sangüínea. A grande porção exócrina (PÂNCREAS EXÓCRINO) é uma glândula acinar composta, que secreta várias enzimas digestivas no sistema de ductos pancreáticos (que desemboca no DUODENO).
8 Metástases: Formação de tecido tumoral, localizada em um lugar distante do sítio de origem. Por exemplo, pode se formar uma metástase no cérebro originário de um câncer no pulmão. Sua gravidade depende da localização e da resposta ao tratamento instaurado.
9 Quimioterapia: Método que utiliza compostos químicos, chamados quimioterápicos, no tratamento de doenças causadas por agentes biológicos. Quando aplicada ao câncer, a quimioterapia é chamada de quimioterapia antineoplásica ou quimioterapia antiblástica.
10 Neutropenia: Queda no número de neutrófilos no sangue abaixo de 1000 por milímetro cúbico. Esta é a cifra considerada mínima para manter um sistema imunológico funcionando adequadamente contra os agentes infecciosos mais freqüentes. Quando uma pessoa neutropênica apresenta febre, constitui-se uma situação de “emergência infecciosa”.
11 Trombocitopenia: É a redução do número de plaquetas no sangue. Contrário de trombocitose. Quando a quantidade de plaquetas no sangue é inferior a 150.000/mm³, diz-se que o indivíduo apresenta trombocitopenia (ou plaquetopenia). As pessoas com trombocitopenia apresentam tendência de sofrer hemorragias.
12 Randomizado: Ensaios clínicos comparativos randomizados são considerados o melhor delineamento experimental para avaliar questões relacionadas a tratamento e prevenção. Classicamente, são definidos como experimentos médicos projetados para determinar qual de duas ou mais intervenções é a mais eficaz mediante a alocação aleatória, isto é, randomizada, dos pacientes aos diferentes grupos de estudo. Em geral, um dos grupos é considerado controle – o que algumas vezes pode ser ausência de tratamento, placebo, ou mais frequentemente, um tratamento de eficácia reconhecida. Recursos estatísticos são disponíveis para validar conclusões e maximizar a chance de identificar o melhor tratamento. Esses modelos são chamados de estudos de superioridade, cujo objetivo é determinar se um tratamento em investigação é superior ao agente comparativo.
13 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
14 Toxicidade: Capacidade de uma substância produzir efeitos prejudiciais ao organismo vivo.
Gostou do artigo? Compartilhe!