Gostou do artigo? Compartilhe!

Bactérias intestinais saudáveis podem ajudar a combater o câncer em outras partes do corpo

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Pesquisadores descobriram como bactérias boas podem escapar do intestino, viajar para os gânglios linfáticos1 e para tumores cancerígenos em outras partes do corpo e aumentar a eficácia de certos medicamentos imunoterápicos.

As descobertas, de pesquisadores do UT Southwestern Medical Center, nos EUA, publicadas na Science Immunology, esclarecem por que os antibióticos podem enfraquecer o efeito das imunoterapias, e podem levar a novos tratamentos contra o câncer2.

“Os cientistas ficaram perplexos sobre como as bactérias dentro de seu intestino podem ter um impacto sobre um câncer2 em seus pulmões3, seios4 ou pele”, disse Andrew Y. Koh, M.D., Professor Associado de Pediatria e Microbiologia no Harold C. Simmons Comprehensive Cancer2 Center, na UT Southwestern.

“Agora entendemos muito melhor esse mecanismo e, no futuro, esperamos usar esse conhecimento para combater melhor o câncer2”.

Saiba mais sobre "Bactérias do bem" e "Imunoterapia".

Estudos anteriores, incluindo um liderado pelo Dr. Koh na UT Southwestern, mostraram uma associação entre a composição dos microbiomas intestinais – os microrganismos encontrados dentro do trato digestivo – e a eficácia dos tratamentos contra o câncer2 que visam o sistema imunológico5, incluindo pembrolizumabe (Keytruda) e ipilimumabe (Yervoy).

No entanto, os pesquisadores chegaram a conclusões conflitantes sobre o equilíbrio ideal de microrganismos para otimizar a terapia, com estudos apontando para diferentes bactérias benéficas.

Koh e seus colegas usaram camundongos com tumores de melanoma6 para investigar como os medicamentos, chamados de inibidores de checkpoint imunológico, afetavam o movimento dos micróbios intestinais pelo corpo.

Eles descobriram que os inibidores de checkpoint imunológico, que aumentam a atividade do sistema imunológico5 contra tumores, também causam inflamação7 no sistema digestivo8, que leva à remodelação dos gânglios linfáticos1 no intestino.

Devido a essas mudanças, as bactérias podem deixar o intestino e viajar para os gânglios linfáticos1 próximos ao tumor9 e para o próprio tumor9, descobriram os pesquisadores.

Neste locais, os micróbios ativam um conjunto de células10 imunes que atuam para matar as células10 tumorais.

“Os inibidores de checkpoint imunológico funcionam liberando os freios do sistema imunológico5 para atacar o câncer”, disse o Dr. Koh.

“O que pensamos é que esses microrganismos e as células10 imunológicas que eles ativam estão essencialmente pressionando o acelerador do sistema imunológico5 ao mesmo tempo”.

As descobertas sugerem que um curso de antibióticos, que pode eliminar a maioria dos micróbios intestinais, é prejudicial para os inibidores de checkpoint imunológico porque as bactérias não podem mais desempenhar esse papel de acelerador imunológico.

Também ajudam a explicar por que os pesquisadores encontraram muitos tipos de bactérias nos microbiomas dos pacientes que parecem ser benéficas para o tratamento.

“Desde que um subconjunto de bactérias benéficas possa se translocar do intestino para o linfonodo11 ou tumor9, pode não importar exatamente qual bactéria12 é”, disse o Dr. Koh.

A equipe do Dr. Koh está agora trabalhando no desenvolvimento de tratamentos baseados em bactérias para aumentar a eficácia dos inibidores de checkpoint imunológico.

No artigo, os pesquisadores relatam como o bloqueio do checkpoint imunológico induz a translocação13 da microbiota14 intestinal, que aumenta a imunidade15 antitumoral extraintestinal.

A microbiota14 intestinal, especificamente as bactérias intestinais, é crítica para uma terapia de bloqueio do checkpoint imunológico (TCI) eficaz para o câncer2. Os mecanismos pelos quais a microbiota14 intestinal aumenta as respostas imunes anticancerígenas extraintestinais, no entanto, são amplamente desconhecidos.

Neste estudo, descobriu-se que a TCI induz a translocação13 de bactérias intestinais endógenas específicas para órgãos linfoides16 secundários e para tumores de melanoma6 subcutâneos.

Mecanicamente, a TCI induz a remodelação dos linfonodos17 e a ativação das células dendríticas18, o que facilita a translocação13 de um subconjunto seletivo de bactérias intestinais para tecidos extraintestinais para promover respostas ótimas de células10 T antitumorais nos linfonodos17 de drenagem19 tumoral e no tumor9 primário.

O tratamento com antibióticos resulta na diminuição da translocação13 da microbiota14 intestinal para os gânglios linfáticos1 mesentéricos20 e linfonodos17 de drenagem19 tumoral, diminuição das respostas de células dendríticas18 e células10 T CD8+ efetoras e respostas atenuadas à TCI.

Essas descobertas iluminam um mecanismo chave pelo qual a microbiota14 intestinal promove a imunidade15 anticancerígena extraintestinal.

Leia sobre "Microbioma21 intestinal humano" e "Conhecendo o sistema imunológico5".

 

Fontes:
Science Immunology, Vol. 8, Nº 81, em 03 de março de 2023.
Oncology News Today, notícia publicada em 16 de março de 2023.

 

NEWS.MED.BR, 2023. Bactérias intestinais saudáveis podem ajudar a combater o câncer em outras partes do corpo. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1436375/bacterias-intestinais-saudaveis-podem-ajudar-a-combater-o-cancer-em-outras-partes-do-corpo.htm>. Acesso em: 23 jun. 2024.

Complementos

1 Gânglios linfáticos: Estrutura pertencente ao sistema linfático, localizada amplamente em diferentes regiões superficiais e profundas do organismo, cuja função consiste na filtração da linfa, maturação e ativação dos linfócitos, que são elementos importantes da defesa imunológica do organismo.
2 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
3 Pulmões: Órgãos do sistema respiratório situados na cavidade torácica e responsáveis pelas trocas gasosas entre o ambiente e o sangue. São em número de dois, possuem forma piramidal, têm consistência esponjosa e medem cerca de 25 cm de comprimento. Os pulmões humanos são divididos em segmentos denominados lobos. O pulmão esquerdo possui dois lobos e o direito possui três. Os pulmões são compostos de brônquios que se dividem em bronquíolos e alvéolos pulmonares. Nos alvéolos se dão as trocas gasosas ou hematose pulmonar entre o meio ambiente e o corpo, com a entrada de oxigênio na hemoglobina do sangue (formando a oxiemoglobina) e saída do gás carbônico ou dióxido de carbono (que vem da célula como carboemoglobina) dos capilares para o alvéolo.
4 Seios: Em humanos, uma das regiões pareadas na porção anterior do TÓRAX. As mamas consistem das GLÂNDULAS MAMÁRIAS, PELE, MÚSCULOS, TECIDO ADIPOSO e os TECIDOS CONJUNTIVOS.
5 Sistema imunológico: Sistema de defesa do organismo contra infecções e outros ataques de micro-organismos que enfraquecem o nosso corpo.
6 Melanoma: Neoplasia maligna que deriva dos melanócitos (as células responsáveis pela produção do principal pigmento cutâneo). Mais freqüente em pessoas de pele clara e exposta ao sol.Podem derivar de manchas prévias que mudam de cor ou sangram por traumatismos mínimos, ou instalar-se em pele previamente sã.
7 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
8 Sistema digestivo: O sistema digestivo ou digestório realiza a digestão, processo que transforma os alimentos em substâncias passíveis de serem absorvidas pelo organismo. Os materiais não absorvidos são eliminados por este sistema. Ele é composto pelo tubo digestivo e por glândulas anexas.
9 Tumor: Termo que literalmente significa massa ou formação de tecido. É utilizado em geral para referir-se a uma formação neoplásica.
10 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
11 Linfonodo: Gânglio ou nodo linfático.
12 Bactéria: Organismo unicelular, capaz de auto-reproduzir-se. Existem diferentes tipos de bactérias, classificadas segundo suas características de crescimento (aeróbicas ou anaeróbicas, etc.), sua capacidade de absorver corantes especiais (Gram positivas, Gram negativas), segundo sua forma (bacilos, cocos, espiroquetas, etc.). Algumas produzem infecções no ser humano, que podem ser bastante graves.
13 Translocação: É uma alteração cromossômica na qual um segmento de cromossomo se destaca e se fixa em outra posição no mesmo cromossomo ou sobre outro cromossomo.
14 Microbiota: Em ecologia, chama-se microbiota ao conjunto dos microrganismos que habitam um ecossistema, principalmente bactérias, protozoários e outros microrganismos que têm funções importantes na decomposição da matéria orgânica e, portanto, na reciclagem dos nutrientes. Fazem parte da microbiota humana uma quantidade enorme de bactérias que vivem em harmonia no organismo e auxiliam a ação do sistema imunológico e a nutrição, por exemplo.
15 Imunidade: Capacidade que um indivíduo tem de defender-se perante uma agressão bacteriana, viral ou perante qualquer tecido anormal (tumores, enxertos, etc.).
16 Linfoides: 1. Relativos a ou que constituem o tecido característico dos nodos linfáticos. 2. Relativos ou semelhantes à linfa.
17 Linfonodos: Gânglios ou nodos linfáticos.
18 Células Dendríticas: Células especializadas do sistema hematopoético que possuem extensões semelhantes a ramos. São encontradas em todo o sistema linfático, e tecidos não linfóides, como PELE e o epitélio nos tratos intestinal, respiratório e reprodutivo. Elas prendem e processam ANTÍGENOS e os apresentam às CÉLULAS T, estimulando assim a IMUNIDADE MEDIADA POR CÉLULAS. São diferentes das CÉLULAS DENDRÍTICAS FOLICULARES não hematopoéticas, que têm morfologia e função do sistema imune semelhantes, exceto em relação à imunidade humoral (PRODUÇÃO DE ANTICORPOS).
19 Drenagem: Saída ou retirada de material líquido (sangue, pus, soro), de forma espontânea ou através de um tubo colocado no interior da cavidade afetada (dreno).
20 Mesentéricos: Relativo ao mesentério, ou seja, na anatomia geral o mesentério é uma dobra do peritônio que une o intestino delgado à parede posterior do abdome.
21 Microbioma: Comunidade ecológica de microrganismos comensais, simbióticos e patogênicos que compartilham nosso espaço corporal. Microbioma humano é o conjunto de microrganismos que reside no corpo do Homo sapiens, mantendo uma relação simbiótica com o hospedeiro. O conceito vai além do termo microbiota, incluindo também a relação entre as células microbianas e as células e sistemas humanos, por meio de seus genomas, transcriptomas, proteomas e metabolomas.
Gostou do artigo? Compartilhe!