Gostou do artigo? Compartilhe!

Vacina contra gripe reduz risco de eventos cardiovasculares adversos maiores no ano seguinte em 34%

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

A vacinação contra a gripe1 também pode reduzir o risco de desenvolver problemas cardiovasculares.

Essa é a constatação de pesquisadores da Universidade de Toronto após uma metanálise dos resultados de seis ensaios clínicos2 envolvendo vacinas contra a gripe1 realizados entre 2000 e 2021. Os ensaios envolveram um total de mais de 9.000 pessoas.

A infecção3 por influenza4 está associada ao aumento da hospitalização cardiovascular e da mortalidade5. Uma revisão sistemática e metanálise anterior levantou a hipótese de que a vacinação contra influenza4 estava associada a um menor risco de eventos cardiovasculares.

Nesse contexto, o objetivo do atual estudo, publicado no JAMA Network Open, foi avaliar, por meio de uma metanálise atualizada, se a vacinação contra a gripe1 sazonal está associada a um menor risco de eventos cardiovasculares fatais e não fatais e avaliar se os resultados mais recentes de desfecho cardiovascular do estudo são consistentes com achados anteriores.

Leia sobre "Gripe1: o que é", "Vacina6 da gripe1" e "Resfriado comum: como é".

A fonte de dados foi uma metanálise publicada anteriormente de ensaios clínicos2 randomizados (ECRs) e um grande ensaio de resultados cardiovasculares de 2021.

Foram selecionados estudos com ECRs publicados entre 2000 e 2021 que randomizaram os participantes para vacina6 contra influenza4 ou placebo7/controle. Os participantes elegíveis foram pacientes internados e ambulatoriais recrutados para ECRs multicêntricos internacionais e randomizados para receber vacina6 contra influenza4 ou placebo7/controle.

As diretrizes do PRISMA foram seguidas na extração dos detalhes dos estudos e o risco de viés foi avaliado usando a ferramenta Cochrane Collaboration. A qualidade dos estudos foi avaliada usando os critérios Cochrane. Os dados foram analisados em janeiro de 2020 e dezembro de 2021.

Razões de risco (RRs) obtidas pelo método de efeitos aleatórios Mantel-Haenszel e ICs de 95% foram derivados para um composto de eventos cardiovasculares adversos maiores e mortalidade5 cardiovascular dentro de 12 meses de acompanhamento. Quando disponíveis, as análises foram estratificadas por pacientes com e sem síndrome8 coronariana aguda (SCA) recente dentro de 1 ano após a randomização.

Seis ECRs publicados compreendendo um total de 9.001 pacientes foram incluídos (idade média de 65,5 anos; 42,5% mulheres; 52,3% com histórico cardíaco).

No geral, a vacina6 contra influenza4 foi associada a um menor risco de eventos cardiovasculares compostos (3,6% vs 5,4%; RR, 0,66; IC 95%, 0,53-0,83; P <0,001).

Uma interação de tratamento foi detectada entre pacientes com SCA recente (RR, 0,55; IC 95%, 0,41-0,75) e sem SCA recente (RR, 1,00; IC 95%, 0,68-1,47) (P para interação = 0,02).

Para mortalidade5 cardiovascular, uma interação de tratamento também foi detectada entre pacientes com SCA recente (RR, 0,44; IC 95%, 0,23-0,85) e sem SCA recente (RR, 1,45; IC 95%, 0,84-2,50) (P para interação = 0,006), enquanto 1,7% dos receptores da vacina6 morreram de causas cardiovasculares em comparação com 2,5% dos receptores de placebo7 ou controle (RR, 0,74; IC 95%, 0,42-1,30; P = 0,29).

Neste estudo, o recebimento da vacinação contra influenza4 foi associado a um risco 34% menor de eventos cardiovasculares adversos maiores, e indivíduos com síndrome8 coronariana aguda recente tiveram um risco 45% menor.

Esses resultados sugerem que os médicos e os formuladores de políticas devem continuar a aconselhar os pacientes de alto risco sobre os benefícios cardiovasculares da vacinação contra a gripe1 sazonal.

Veja também sobre "Doenças cardiovasculares9", "Doenças sazonais" e "Por que vacinar".

 

Fonte: JAMA Network Open, publicação em 29 de abril de 2022.

 

NEWS.MED.BR, 2022. Vacina contra gripe reduz risco de eventos cardiovasculares adversos maiores no ano seguinte em 34%. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1417550/vacina-contra-gripe-reduz-risco-de-eventos-cardiovasculares-adversos-maiores-no-ano-seguinte-em-34.htm>. Acesso em: 5 dez. 2022.

Complementos

1 Gripe: Doença viral adquirida através do contágio interpessoal que se caracteriza por faringite, febre, dores musculares generalizadas, náuseas, etc. Sua duração é de aproximadamente cinco a sete dias e tem uma maior incidência nos meses frios. Em geral desaparece naturalmente sem tratamento, apenas com medidas de controle geral (repouso relativo, ingestão de líquidos, etc.). Os antibióticos não funcionam na gripe e não devem ser utilizados de rotina.
2 Ensaios clínicos: Há três fases diferentes em um ensaio clínico. A Fase 1 é o primeiro teste de um tratamento em seres humanos para determinar se ele é seguro. A Fase 2 concentra-se em saber se um tratamento é eficaz. E a Fase 3 é o teste final antes da aprovação para determinar se o tratamento tem vantagens sobre os tratamentos padrões disponíveis.
3 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
4 Influenza: Doença infecciosa, aguda, de origem viral que acomete o trato respiratório, ocorrendo em epidemias ou pandemias e frequentemente se complicando pela associação com outras infecções bacterianas.
5 Mortalidade: A taxa de mortalidade ou coeficiente de mortalidade é um dado demográfico do número de óbitos, geralmente para cada mil habitantes em uma dada região, em um determinado período de tempo.
6 Vacina: Tratamento à base de bactérias, vírus vivos atenuados ou seus produtos celulares, que têm o objetivo de produzir uma imunização ativa no organismo para uma determinada infecção.
7 Placebo: Preparação neutra quanto a efeitos farmacológicos, ministrada em substituição a um medicamento, com a finalidade de suscitar ou controlar as reações, geralmente de natureza psicológica, que acompanham tal procedimento terapêutico.
8 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
9 Doenças cardiovasculares: Doença do coração e vasos sangüíneos (artérias, veias e capilares).
Gostou do artigo? Compartilhe!