Gostou do artigo? Compartilhe!

Partículas finas transportadas pelo ar conduzem os vírus H1N1 profundamente no trato respiratório inferior e em órgãos distantes

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

De acordo com um novo estudo, publicado na revista Science Advances, o vírus1 da gripe2 pega carona com partículas finas do ar para penetrar profundamente no pulmão3.

Pesquisas em camundongos mostraram que a poluição por partículas finas transporta o vírus1 e o ajuda a entrar nas células4. A partir daí, o sangue5 o transporta para órgãos distantes. Isso pode explicar por que a gripe2 piora quando a qualidade do ar é ruim.

Dados crescentes sugerem que a poluição ambiental devido a partículas finas transportadas pelo ar (PFTAs) aumenta a ocorrência e a gravidade da infecção6 por vírus1 respiratórios em humanos. No entanto, não está claro se e como as interações com PFTAs alteram a infecção6 e distribuição viral.

Neste estudo, pesquisadores relatam efeitos sinérgicos entre várias PFTAs e o vírus1 H1N1, regulados pelas propriedades físico-químicas das PFTAs.

Ao contrário da infecção6 causada apenas por vírus1, as PFTAs facilitaram a internalização do vírus1 por meio de uma via independente do receptor. Além disso, as PFTAs promoveram o brotamento e a dispersão de vírions descendentes, provavelmente mediados por balsas lipídicas na membrana plasmática7 do hospedeiro.

Modelos animais infectados demonstraram que as PFTAs favoreceram a penetração do vírus1 H1N1 no pulmão3 distal8 e sua translocação9 para órgãos extrapulmonares, incluindo fígado10, baço11 e rim12, causando graves distúrbios locais e sistêmicos13.

Essas descobertas revelaram um papel fundamental das partículas finas transportadas pelo ar na condução de infecções14 virais em todo o trato respiratório e além. Os achados implicam a necessidade de políticas mais fortes de gestão da qualidade do ar e redução da poluição do ar.

Leia sobre "Gripe2: o que é", "Gripe2 H1N1" e "Como a poluição do ar afeta a saúde15".

 

Fontes:
Science Advances, Vol. 9, Nº 23, em 9 de junho de 2023.
Nature, notícia publicada em 16 de junho de 2023.

 

NEWS.MED.BR, 2023. Partículas finas transportadas pelo ar conduzem os vírus H1N1 profundamente no trato respiratório inferior e em órgãos distantes. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1440310/particulas-finas-transportadas-pelo-ar-conduzem-os-virus-h1n1-profundamente-no-trato-respiratorio-inferior-e-em-orgaos-distantes.htm>. Acesso em: 28 fev. 2024.

Complementos

1 Vírus: Pequeno microorganismo capaz de infectar uma célula de um organismo superior e replicar-se utilizando os elementos celulares do hospedeiro. São capazes de causar múltiplas doenças, desde um resfriado comum até a AIDS.
2 Gripe: Doença viral adquirida através do contágio interpessoal que se caracteriza por faringite, febre, dores musculares generalizadas, náuseas, etc. Sua duração é de aproximadamente cinco a sete dias e tem uma maior incidência nos meses frios. Em geral desaparece naturalmente sem tratamento, apenas com medidas de controle geral (repouso relativo, ingestão de líquidos, etc.). Os antibióticos não funcionam na gripe e não devem ser utilizados de rotina.
3 Pulmão: Cada um dos órgãos pareados que ocupam a cavidade torácica que tem como função a oxigenação do sangue.
4 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
5 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
6 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
7 Membrana Plasmática: Membrana seletivamente permeável (contendo lipídeos e proteínas) que envolve o citoplasma em células procarióticas e eucarióticas.
8 Distal: 1. Que se localiza longe do centro, do ponto de origem ou do ponto de união. 2. Espacialmente distante; remoto. 3. Em anatomia geral, é o mais afastado do tronco (diz-se de membro) ou do ponto de origem (diz-se de vasos ou nervos). Ou também o que é voltado para a direção oposta à cabeça. 4. Em odontologia, é o mais distante do ponto médio do arco dental.
9 Translocação: É uma alteração cromossômica na qual um segmento de cromossomo se destaca e se fixa em outra posição no mesmo cromossomo ou sobre outro cromossomo.
10 Fígado: Órgão que transforma alimento em energia, remove álcool e toxinas do sangue e fabrica bile. A bile, produzida pelo fígado, é importante na digestão, especialmente das gorduras. Após secretada pelas células hepáticas ela é recolhida por canalículos progressivamente maiores que a levam para dois canais que se juntam na saída do fígado e a conduzem intermitentemente até o duodeno, que é a primeira porção do intestino delgado. Com esse canal biliar comum, chamado ducto hepático, comunica-se a vesícula biliar através de um canal sinuoso, chamado ducto cístico. Quando recebe esse canal de drenagem da vesícula biliar, o canal hepático comum muda de nome para colédoco. Este, ao entrar na parede do duodeno, tem um músculo circular, designado esfíncter de Oddi, que controla o seu esvaziamento para o intestino.
11 Baço:
12 Rim: Os rins são órgãos em forma de feijão que filtram o sangue e formam a urina. Os rins são localizados na região posterior do abdômen, um de cada lado da coluna vertebral.
13 Sistêmicos: 1. Relativo a sistema ou a sistemática. 2. Relativo à visão conspectiva, estrutural de um sistema; que se refere ou segue um sistema em seu conjunto. 3. Disposto de modo ordenado, metódico, coerente. 4. Em medicina, é o que envolve o organismo como um todo ou em grande parte.
14 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
15 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
Gostou do artigo? Compartilhe!