Gostou do artigo? Compartilhe!

Técnica que usa um “código de barras” de DNA mapeia a jornada de um tumor desde suas origens como uma única célula até a metástase

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Antes de invadir outras partes do corpo, os tumores podem crescer silenciosamente por anos. Mas agora, uma técnica que usa um “código de barras” de DNA expôs os detalhes desse crescimento furtivo, mapeando a jornada de um tumor1 desde suas origens como uma única célula2 até a metástase3.

A técnica permite que os cientistas acompanhem a evolução em subpopulações de células4 tumorais – incluindo aquelas que se espalham pelo corpo.

Em estudo publicado na revista Cell, pesquisadores descrevem como o rastreamento de linhagem revela a filodinâmica, plasticidade e caminhos da evolução do tumor1.

Leia sobre "Oncogênese - processo de formação do câncer5" e "Entendendo o que são metástases6".

Destaques

  • Camundongos de rastreamento de Kras; Trp53 (KP) permitem o rastreamento de linhagem de câncer5 in vivo contínuo e de alta resolução.
  • Subclones raros com programas de expressão distintos se expandem durante a evolução do tumor1.
  • O rastreamento de linhagem revela plasticidade celular e caminhos evolutivos.
  • As metástases6 são derivadas de subclones em expansão espacialmente localizados do tumor1.

Resumo

A evolução do tumor1 é impulsionada pela aquisição progressiva de alterações genéticas e epigenéticas que permitem o crescimento e expansão descontrolados para tecidos vizinhos e distais7. O estudo das relações filogenéticas entre as células4 cancerosas fornece informações importantes sobre esses processos.

Neste estudo, foi introduzido um sistema de rastreamento de linhagem em evolução com uma leitura de RNA-seq (técnica capaz de analisar padrões da expressão gênicas através do sequenciamento de larga escala) de célula2 única em um modelo de camundongo de adenocarcinoma8 de pulmão9 impulsionado por mutação10 no gene KRAS e perda de Trp53 (Kras; Trp53 [KP]) e acompanhou-se a evolução do tumor1 de células4 transformadas únicas para tumores metastáticos em resolução sem precedentes.

Descobriu-se que a perda do estado alveolar semelhante ao tipo 2 inicial e estável foi acompanhada por um aumento transitório da plasticidade. Isto foi seguido pela adoção de programas de transcrição distintos que permitem a rápida expansão e, finalmente, a varredura clonal de subclones estáveis capazes de criar metástases6.

Finalmente, os tumores se desenvolvem através de trajetórias evolutivas estereotipadas, e perturbar supressores tumorais adicionais acelera a progressão criando novas trajetórias.

Esse estudo elucida a natureza hierárquica da evolução do tumor1 e, mais amplamente, permite estudos aprofundados da progressão do tumor1.

Veja também sobre "Câncer5: o que é" e "Distinção entre tumores benignos e malignos".

 

Fontes:
Cell, Vol. 185, Nº 11, em maio de 2022.
Nature, notícia publicada em 11 de maio de 2022.

 

NEWS.MED.BR, 2022. Técnica que usa um “código de barras” de DNA mapeia a jornada de um tumor desde suas origens como uma única célula até a metástase. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1417145/tecnica-que-usa-um-codigo-de-barras-de-dna-mapeia-a-jornada-de-um-tumor-desde-suas-origens-como-uma-unica-celula-ate-a-metastase.htm>. Acesso em: 2 jul. 2022.

Complementos

1 Tumor: Termo que literalmente significa massa ou formação de tecido. É utilizado em geral para referir-se a uma formação neoplásica.
2 Célula: Unidade funcional básica de todo tecido, capaz de se duplicar (porém algumas células muito especializadas, como os neurônios, não conseguem se duplicar), trocar substâncias com o meio externo à célula, etc. Possui subestruturas (organelas) distintas como núcleo, parede celular, membrana celular, mitocôndrias, etc. que são as responsáveis pela sobrevivência da mesma.
3 Metástase: Formação de tecido tumoral, localizada em um lugar distante do sítio de origem. Por exemplo, pode se formar uma metástase no cérebro originário de um câncer no pulmão. Sua gravidade depende da localização e da resposta ao tratamento instaurado.
4 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
5 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
6 Metástases: Formação de tecido tumoral, localizada em um lugar distante do sítio de origem. Por exemplo, pode se formar uma metástase no cérebro originário de um câncer no pulmão. Sua gravidade depende da localização e da resposta ao tratamento instaurado.
7 Distais: 1. Que se localiza longe do centro, do ponto de origem ou do ponto de união. 2. Espacialmente distante; remoto. 3. Em anatomia geral, é o mais afastado do tronco (diz-se de membro) ou do ponto de origem (diz-se de vasos ou nervos). Ou também o que é voltado para a direção oposta à cabeça. 4. Em odontologia, é o mais distante do ponto médio do arco dental.
8 Adenocarcinoma: É um câncer (neoplasia maligna) que se origina em tecido glandular. O termo adenocarcinoma é derivado de “adeno”, que significa “pertencente a uma glândula” e “carcinoma”, que descreve um câncer que se desenvolveu em células epiteliais.
9 Pulmão: Cada um dos órgãos pareados que ocupam a cavidade torácica que tem como função a oxigenação do sangue.
10 Mutação: 1. Ato ou efeito de mudar ou mudar-se. Alteração, modificação, inconstância. Tendência, facilidade para mudar de ideia, atitude etc. 2. Em genética, é uma alteração súbita no genótipo de um indivíduo, sem relação com os ascendentes, mas passível de ser herdada pelos descendentes.
Gostou do artigo? Compartilhe!