Gostou do artigo? Compartilhe!

Síndrome dos ovários policísticos é comum em meninas com diabetes tipo 2 pediátrico

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

A prevalência1 de diabetes mellitus2 tipo 2 (DM2) pediátrico está aumentando globalmente. Meninas com DM2 correm o risco de desenvolver síndrome3 dos ovários4 policísticos (SOP), mas a prevalência1 de SOP entre meninas com DM2 é desconhecida.

O objetivo deste estudo, publicado no JAMA Network Open, foi determinar a prevalência1 de síndrome3 dos ovários4 policísticos em meninas com DM2 e avaliar a associação de obesidade5 e raça com essa prevalência1.

Saiba mais sobre "Diabetes6 na adolescência" e "Entendendo os ovários4 policísticos".

Nesta revisão sistemática e metanálise, foram pesquisados, desde o início até 4 de abril de 2021, MEDLINE, Embase, CINAHL, Cochrane Central Register of Controlled Trials, Cochrane Database of Systematic Reviews, Web of Science: Conference Proceedings Citation Index–Science e a literatura cinzenta.

Dois revisores selecionaram independentemente estudos com desenho de estudo observacional que recrutaram 10 ou mais participantes e relataram a prevalência1 de SOP em meninas com DM2.

O risco de viés foi avaliado usando uma ferramenta validada e o nível de evidência foi avaliado usando os critérios do Oxford Center for Evidence-Based Medicine. Uma metanálise de efeitos aleatórios foi realizada. Este estudo segue a diretriz de relatórios Meta-analysis of Observational Studies in Epidemiology (MOOSE).

O principal desfecho desta revisão sistemática foi a prevalência1 de SOP em meninas com DM2. Os desfechos secundários incluíram a avaliação das associações de obesidade5 e raça com a prevalência1 de SOP.

Dos 722 estudos selecionados, 6 estudos envolvendo 470 meninas com DM2 (idade média ao diagnóstico7, 12,9-16,1 anos) preencheram os critérios de inclusão.

A prevalência1 (porcentagem ponderada) de SOP foi de 19,58% (IC 95%, 12,02% - 27,14%; I² = 74%; P = 0,002). A heterogeneidade foi moderada a alta; no entanto, foi significativamente reduzida após a exclusão de estudos que não relataram critérios diagnósticos de SOP, levando a uma prevalência1 calculada (porcentagem ponderada) de 24,04% (IC 95%, 15,07% - 33,01%; I² = 0%; P = 0,92).

Associações com obesidade5 e raça não puderam ser determinadas devido à escassez de dados.

Nesta metanálise, aproximadamente 1 em cada 5 meninas com diabetes tipo 28 tinha síndrome3 dos ovários4 policísticos, uma prevalência1 que é substancialmente maior do que a de SOP na população geral de adolescentes. Mas os resultados desta metanálise devem ser considerados com cautela, pois estudos incluindo o maior número de meninas não relataram os critérios usados para diagnosticar SOP, o que é um desafio na adolescência.

As associações de obesidade5 e raça com prevalência1 de SOP entre meninas com DM2 precisam de avaliação adicional para ajudar a definir subgrupos de risco e implementar estratégias de avaliação e tratamento precoces para melhorar o manejo dessa comorbidade9 relacionada ao DM2.

Esses achados sugerem que a SOP é uma morbidade10 comum em meninas com DM2, e é fundamental que a triagem ativa para SOP em meninas com DM2 seja iniciada no diagnóstico7 de diabetes6 e siga as diretrizes internacionais baseadas em evidências para o diagnóstico7 de SOP em adolescentes.

Leia sobre "O que saber sobre os cistos ovarianos" e "Complicações do diabetes11 mellitus".

 

Fonte: JAMA Network Open, publicação em 15 de fevereiro de 2022. (doi:10.1001/jamanetworkopen.2021.47454)

 

NEWS.MED.BR, 2022. Síndrome dos ovários policísticos é comum em meninas com diabetes tipo 2 pediátrico. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1410675/sindrome-dos-ovarios-policisticos-e-comum-em-meninas-com-diabetes-tipo-2-pediatrico.htm>. Acesso em: 17 mai. 2022.

Complementos

1 Prevalência: Número de pessoas em determinado grupo ou população que são portadores de uma doença. Número de casos novos e antigos desta doença.
2 Diabetes mellitus: Distúrbio metabólico originado da incapacidade das células de incorporar glicose. De forma secundária, podem estar afetados o metabolismo de gorduras e proteínas.Este distúrbio é produzido por um déficit absoluto ou relativo de insulina. Suas principais características são aumento da glicose sangüínea (glicemia), poliúria, polidipsia (aumento da ingestão de líquidos) e polifagia (aumento da fome).
3 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
4 Ovários: São órgãos pares com aproximadamente 3cm de comprimento, 2cm de largura e 1,5cm de espessura cada um. Eles estão presos ao útero e à cavidade pelvina por meio de ligamentos. Na puberdade, os ovários começam a secretar os hormônios sexuais, estrógeno e progesterona. As células dos folículos maduros secretam estrógeno, enquanto o corpo lúteo produz grandes quantidades de progesterona e pouco estrógeno.
5 Obesidade: Condição em que há acúmulo de gorduras no organismo além do normal, mais severo que o sobrepeso. O índice de massa corporal é igual ou maior que 30.
6 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
7 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
8 Diabetes tipo 2: Condição caracterizada por altos níveis de glicose causada tanto por graus variáveis de resistência à insulina quanto por deficiência relativa na secreção de insulina. O tipo 2 se desenvolve predominantemente em pessoas na fase adulta, mas pode aparecer em jovens.
9 Comorbidade: Coexistência de transtornos ou doenças.
10 Morbidade: Morbidade ou morbilidade é a taxa de portadores de determinada doença em relação à população total estudada, em determinado local e em determinado momento.
11 Complicações do diabetes: São os efeitos prejudiciais do diabetes no organismo, tais como: danos aos olhos, coração, vasos sangüíneos, sistema nervoso, dentes e gengivas, pés, pele e rins. Os estudos mostram que aqueles que mantêm os níveis de glicose do sangue, a pressão arterial e o colesterol próximos aos níveis normais podem ajudar a impedir ou postergar estes problemas.
Gostou do artigo? Compartilhe!