Gostou do artigo? Compartilhe!

Jejum intermitente pode ter um papel benéfico na melhoria dos resultados de saúde relacionados à obesidade

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Qual é a associação do jejum intermitente1 com desfechos de saúde2 e qual é a força das evidências de estudos sobre jejum intermitente1?

Várias metanálises de ensaios clínicos3 randomizados (ECRs) demonstraram os muitos benefícios para a saúde2 do jejum intermitente1 (JI). No entanto, tem havido pouca síntese da força e qualidade dessas evidências no agregado até o momento.

O objetivo deste estudo, publicado pelo JAMA Network Open, foi classificar as evidências de metanálises publicadas de ECRs que avaliaram as associações de JI (jejum com zero calorias4 em dias alternados, jejum modificado em dias alternados, dieta 5:2 e alimentação com restrição de tempo) com desfechos de saúde2 relacionados à obesidade5.

Saiba mais sobre "Dieta do jejum – como é", "O que é uma alimentação saudável" e "Tratando a obesidade5".

Os bancos de dados de revisões sistemáticas PubMed, Embase e Cochrane foram pesquisados ​​desde o início do banco de dados até 12 de janeiro de 2021. A análise de dados foi realizada de abril de 2021 a julho de 2021.

Metanálises de ensaios clínicos3 randomizados que investigam os efeitos do jejum intermitente1 em adultos foram incluídas. Os tamanhos de efeito do JI foram recalculados usando um modelo de efeitos aleatórios. Avaliou-se a qualidade das evidências por associação aplicando os critérios GRADE (Grading of Recommendations, Assessment, Development, and Evaluations) como alta, moderada, baixa e muito baixa.

Um total de 11 metanálises compreendendo 130 ECRs (tamanho da amostra mediana [IQR], 38 [24-69] participantes; período de acompanhamento mediano [IQR], 3 [2-5] meses) foram incluídos descrevendo 104 associações únicas de diferentes tipos de JI com desfechos de saúde2 relacionados à obesidade5 (mediana [IQR] de estudos por associação, 4 [3-5]).

Houve 28 associações estatisticamente significativas (27%) que demonstraram os resultados benéficos para índice de massa corporal6, peso corporal, massa gorda7, colesterol8 de lipoproteína de baixa densidade, colesterol8 total, triglicerídeos, glicemia de jejum9, insulina10 em jejum, avaliação do modelo homeostático de resistência à insulina11 e pressão arterial12.

O JI foi associado à redução da massa magra13. Uma associação significativa (1%) apoiada por evidências de alta qualidade foi o jejum modificado em dias alternados por 1 a 2 meses, que foi associado a uma redução moderada no índice de massa corporal6 em adultos saudáveis ​​e adultos com sobrepeso14, obesidade5 ou doença hepática15 gordurosa não alcoólica em comparação com a dieta regular.

Seis associações (6%) foram apoiadas por evidências de qualidade moderada. As associações restantes consideradas significativas foram apoiadas por evidências de qualidade muito baixa (75 associações [72%]) a baixa (22 associações [21%]).

Nesta revisão abrangente, foram encontradas associações benéficas do jejum intermitente1 com resultados antropométricos e cardiometabólicos apoiados por evidências de qualidade moderada a alta, que apoiam o papel do jejum intermitente1, especialmente o jejum modificado em dias alternados, como uma abordagem de perda de peso para adultos com sobrepeso14 ou obesidade5.

Mais ensaios clínicos3 com acompanhamento de longo prazo são necessários para investigar os efeitos do jejum intermitente1 nos desfechos clínicos, como eventos cardiovasculares e mortalidade16.

Leia sobre "Composição corporal - como avaliar e como melhorar", "Peso ideal e como calculá-lo" e "O perigo dos remédios para emagrecer".

 

Fonte: JAMA Network Open, publicação em 17 de dezembro de 2021. (doi:10.1001/jamanetworkopen.2021.39558)

 

NEWS.MED.BR, 2022. Jejum intermitente pode ter um papel benéfico na melhoria dos resultados de saúde relacionados à obesidade. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1407835/jejum-intermitente-pode-ter-um-papel-benefico-na-melhoria-dos-resultados-de-saude-relacionados-a-obesidade.htm>. Acesso em: 21 jan. 2022.

Complementos

1 Intermitente: Nos quais ou em que ocorrem interrupções; que cessa e recomeça por intervalos; intervalado, descontínuo. Em medicina, diz-se de episódios de febre alta que se alternam com intervalos de temperatura normal ou cujas pulsações têm intervalos desiguais entre si.
2 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
3 Ensaios clínicos: Há três fases diferentes em um ensaio clínico. A Fase 1 é o primeiro teste de um tratamento em seres humanos para determinar se ele é seguro. A Fase 2 concentra-se em saber se um tratamento é eficaz. E a Fase 3 é o teste final antes da aprovação para determinar se o tratamento tem vantagens sobre os tratamentos padrões disponíveis.
4 Calorias: Dizemos que um alimento tem “x“ calorias, para nos referirmos à quantidade de energia que ele pode fornecer ao organismo, ou seja, à energia que será utilizada para o corpo realizar suas funções de respiração, digestão, prática de atividades físicas, etc.
5 Obesidade: Condição em que há acúmulo de gorduras no organismo além do normal, mais severo que o sobrepeso. O índice de massa corporal é igual ou maior que 30.
6 Índice de massa corporal: Medida usada para avaliar se uma pessoa está abaixo do peso, com peso normal, com sobrepeso ou obesa. É a medida mais usada na prática para saber se você é considerado obeso ou não. Também conhecido como IMC. É calculado dividindo-se o peso corporal em quilogramas pelo quadrado da altura em metros. Existe uma tabela da Organização Mundial de Saúde que classifica as medidas de acordo com o resultado encontrado.
7 Massa gorda: É a porção de massa do organismo constituída de gordura armazenada (encontrada no tecido subcutâneo) e gordura essencial (encontrada nas vísceras, responsável pelo funcionamento fisiológico normal). A massa gorda é o resultado em quilos do percentual de gordura existente no organismo. Por exemplo, um indivíduo de 100 quilos e com percentual de gordura de 38%, pode ter o valor da massa gorda calculado em 38 quilos.
8 Colesterol: Tipo de gordura produzida pelo fígado e encontrada no sangue, músculos, fígado e outros tecidos. O colesterol é usado pelo corpo para a produção de hormônios esteróides (testosterona, estrógeno, cortisol e progesterona). O excesso de colesterol pode causar depósito de gordura nos vasos sangüíneos. Seus componentes são: HDL-Colesterol: tem efeito protetor para as artérias, é considerado o bom colesterol. LDL-Colesterol: relacionado às doenças cardiovasculares, é o mau colesterol. VLDL-Colesterol: representa os triglicérides (um quinto destes).
9 Glicemia de jejum: Teste que checa os níveis de glicose após um período de jejum de 8 a 12 horas (frequentemente dura uma noite). Este teste é usado para diagnosticar o pré-diabetes e o diabetes. Também pode ser usado para monitorar pessoas com diabetes.
10 Insulina: Hormônio que ajuda o organismo a usar glicose como energia. As células-beta do pâncreas produzem insulina. Quando o organismo não pode produzir insulna em quantidade suficiente, ela é usada por injeções ou bomba de insulina.
11 Resistência à insulina: Inabilidade do corpo para responder e usar a insulina produzida. A resistência à insulina pode estar relacionada à obesidade, hipertensão e altos níveis de colesterol no sangue.
12 Pressão arterial: A relação que define a pressão arterial é o produto do fluxo sanguíneo pela resistência. Considerando-se a circulação como um todo, o fluxo total é denominado débito cardíaco, enquanto a resistência é denominada de resistência vascular periférica total.
14 Sobrepeso: Peso acima do normal, índice de massa corporal entre 25 e 29,9.
15 Hepática: Relativa a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
16 Mortalidade: A taxa de mortalidade ou coeficiente de mortalidade é um dado demográfico do número de óbitos, geralmente para cada mil habitantes em uma dada região, em um determinado período de tempo.
Gostou do artigo? Compartilhe!