Gostou do artigo? Compartilhe!

A ansiedade pode aumentar o risco de comprometimento cognitivo

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

A ansiedade ampliou o risco de comprometimento cognitivo1 leve (CGL) em pessoas sem comprometimento cognitivo1 com beta amiloide elevada, mostrou um estudo prospectivo2.

Embora os depósitos de amiloide aumentem o risco de CGL independentemente, houve uma interação aditiva significativa entre a amiloide e a ansiedade, relatou Yonas Geda, MD, do Barrow Neurological Institute em Phoenix, e colegas em estudo publicado na revista Alzheimer3's & Dementia. Não houve efeito semelhante com a depressão.

“Este estudo tem importância científica e para a saúde4 pública”, disse Geda ao MedPage Today. “Do ponto de vista científico, o estudo mostrou que a deposição de proteína amiloide em uma pessoa idosa – 70 anos ou mais – cognitivamente normal está associada a um novo início de comprometimento cognitivo1 leve após cerca de 3 a 5 anos. Além disso, se a pessoa tem ansiedade, o risco de desenvolver CGL é ainda mais amplificado.”

Leia sobre "Transtorno de ansiedade generalizada" e "Distúrbio neurocognitivo".

“Quando se trata de saúde4 pública, também descobrimos que controlar a ansiedade na velhice com atividades físicas e apoio social pode diminuir o risco de CGL de uma pessoa”, acrescentou Geda.

“No passado, um estudo australiano menor havia chegado a uma conclusão semelhante”, observou ele. “No entanto, a amostra desse estudo era menor e implorava para ser replicada.”

No presente estudo, os pesquisadores investigaram a relação longitudinal entre a deposição de amiloide cortical, ansiedade e depressão e o risco de comprometimento cognitivo1 leve (CGL) incidente5.

Acompanhou-se 1.440 indivíduos residentes na comunidade, sem comprometimento cognitivo1, com idade ≥50 anos por uma mediana de 5,5 anos. A ansiedade e a depressão clínicas foram avaliadas com os Inventários de Ansiedade e Depressão de Beck (BAI, BDI-II).

A beta-amiloide (Aβ) cortical foi medida por tomografia por emissão de pósitrons do composto B de Pittsburgh (PiB-PET) e a deposição elevada (PiB+) foi definida como razão de valor de captação padronizada ≥1,48. Calculou-se modelos de riscos proporcionais de Cox com a idade como escala de tempo, ajustados para sexo, educação e comorbidade6 médica.

A deposição de Aβ cortical (PiB+) independente de ansiedade (BAI ≥10) ou depressão (BDI-II ≥13) aumentou o risco de CGL.

Houve uma interação aditiva significativa entre PiB+ e ansiedade (razão de risco de efeito conjunto 6,77; intervalo de confiança de 95% 3,58-12,79; P = 0,031) ou seja, ser PiB+ e ter ansiedade ampliou ainda mais o risco de CGL.

O estudo concluiu, portanto, que a ansiedade modificou a associação entre deposição elevada de beta-amiloide e comprometimento cognitivo1 leve incidente5.

“Esta descoberta tem implicações clínicas em que o monitoramento e possível gerenciamento da ansiedade entre pessoas que vivem na comunidade sem problemas cognitivos7 com deposição de beta-amiloide cortical podem ser necessários”, observaram os pesquisadores.

O estudo tem várias limitações, incluindo pequenos tamanhos de amostra de subgrupos. A amostra veio do condado de Olmsted, Minnesota, EUA, e consistia em grande parte de adultos brancos, com nível de educação relativamente alto.

Veja também sobre "Demência8" e "Envelhecimento cerebral normal ou patológico".

 

Fontes:
Alzheimer3's & Dementia, publicação em 08 de dezembro de 2021.
MedPage Today, notícia publicada em 15 de dezembro de 2021.

 

NEWS.MED.BR, 2021. A ansiedade pode aumentar o risco de comprometimento cognitivo. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1407355/a-ansiedade-pode-aumentar-o-risco-de-comprometimento-cognitivo.htm>. Acesso em: 18 mai. 2022.

Complementos

1 Cognitivo: 1. Relativo ao conhecimento, à cognição. 2. Relativo ao processo mental de percepção, memória, juízo e/ou raciocínio. 3. Diz-se de estados e processos relativos à identificação de um saber dedutível e à resolução de tarefas e problemas determinados. 4. Diz-se dos princípios classificatórios derivados de constatações, percepções e/ou ações que norteiam a passagem das representações simbólicas à experiência, e também da organização hierárquica e da utilização no pensamento e linguagem daqueles mesmos princípios.
2 Prospectivo: 1. Relativo ao futuro. 2. Suposto, possível; esperado. 3. Relativo à preparação e/ou à previsão do futuro quanto à economia, à tecnologia, ao plano social etc. 4. Em geologia, é relativo à prospecção.
3 Alzheimer: Doença degenerativa crônica que produz uma deterioração insidiosa e progressiva das funções intelectuais superiores. É uma das causas mais freqüentes de demência. Geralmente começa a partir dos 50 anos de idade e tem incidência similar entre homens e mulheres.
4 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
5 Incidente: 1. Que incide, que sobrevém ou que tem caráter secundário; incidental. 2. Acontecimento imprevisível que modifica o desenrolar normal de uma ação. 3. Dificuldade passageira que não modifica o desenrolar de uma operação, de uma linha de conduta.
6 Comorbidade: Coexistência de transtornos ou doenças.
7 Cognitivos: 1. Relativo ao conhecimento, à cognição. 2. Relativo ao processo mental de percepção, memória, juízo e/ou raciocínio. 3. Diz-se de estados e processos relativos à identificação de um saber dedutível e à resolução de tarefas e problemas determinados. 4. Diz-se dos princípios classificatórios derivados de constatações, percepções e/ou ações que norteiam a passagem das representações simbólicas à experiência, e também da organização hierárquica e da utilização no pensamento e linguagem daqueles mesmos princípios.
8 Demência: Deterioração irreversível e crônica das funções intelectuais de uma pessoa.
Gostou do artigo? Compartilhe!