Gostou do artigo? Compartilhe!

Axicabtagene Ciloleucel se mostrou eficaz como terapia de segunda linha para linfoma de grandes células B

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

O prognóstico1 de pacientes com linfoma2 de grandes células3 B recidivante4 ou refratário precoce após o recebimento de quimioimunoterapia de primeira linha é ruim.

Neste ensaio internacional de fase 3, publicado pelo The New England Journal of Medicine, designou-se aleatoriamente, em uma proporção de 1:1, pacientes com linfoma2 de grandes células3 B que eram refratários5 a ou tiveram recidiva6 não mais do que 12 meses após a quimioimunoterapia de primeira linha para receber axicabtagene ciloleucel (axi-cel, uma terapia de células3 T com receptor de antígeno7 quimérico anti-CD19 autólogo) ou tratamento padrão (dois ou três ciclos de quimioimunoterapia definida pelo protocolo e selecionada pelo investigador, seguida por quimioterapia8 de alta dose com transplante autólogo de células-tronco9 em pacientes com uma resposta à quimioimunoterapia).

O desfecho primário foi a sobrevida10 livre de eventos de acordo com a revisão central cega. Os principais desfechos secundários foram a resposta e a sobrevida10 geral. A segurança também foi avaliada.

Um total de 180 pacientes foram aleatoriamente designados para receber axi-cel e 179 para receber tratamento padrão. A análise do desfecho primário de sobrevida10 livre de eventos mostrou que a terapia com axi-cel foi superior ao tratamento padrão.

Em um acompanhamento médio de 24,9 meses, a sobrevida10 livre de eventos mediana foi de 8,3 meses no grupo axi-cel e 2,0 meses no grupo de tratamento padrão, e a sobrevida10 livre de eventos em 24 meses foi de 41% e 16%, respectivamente (razão de risco para evento ou morte, 0,40; intervalo de confiança de 95%, 0,31 a 0,51; P <0,001).

A resposta ocorreu em 83% dos pacientes no grupo axi-cel e em 50% daqueles no grupo de tratamento padrão (com uma resposta completa em 65% e 32%, respectivamente).

Em uma análise intermediária, a sobrevida10 global estimada em 2 anos foi de 61% no grupo axi-cel e 52% no grupo de tratamento padrão.

Eventos adversos de grau 3 ou superior ocorreram em 91% dos pacientes que receberam axi-cel e em 83% daqueles que receberam tratamento padrão. Entre os pacientes que receberam axi-cel, a síndrome11 de liberação de citocinas12 de grau 3 ou superior ocorreu em 6% e eventos neurológicos de grau 3 ou superior em 21%. Nenhuma morte relacionada à síndrome11 de liberação de citocinas12 ou eventos neurológicos ocorreu.

O estudo concluiu que a terapia com axi-cel levou a melhorias significativas, em comparação com o tratamento padrão, na sobrevida10 livre de eventos e na resposta, com o nível esperado de efeitos tóxicos de alto grau.

Saiba mais sobre "Linfoma2 - o que saber sobre ele", "Linfoma2 não Hodgkin", "Imunoterapia" e "Quimioterapia8".

 

Fonte: The New England Journal of Medicine, publicação em 11 de dezembro de 2021.

 

NEWS.MED.BR, 2021. Axicabtagene Ciloleucel se mostrou eficaz como terapia de segunda linha para linfoma de grandes células B. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1407240/axicabtagene-ciloleucel-se-mostrou-eficaz-como-terapia-de-segunda-linha-para-linfoma-de-grandes-celulas-b.htm>. Acesso em: 23 jan. 2022.

Complementos

1 Prognóstico: 1. Juízo médico, baseado no diagnóstico e nas possibilidades terapêuticas, em relação à duração, à evolução e ao termo de uma doença. Em medicina, predição do curso ou do resultado provável de uma doença; prognose. 2. Predição, presságio, profecia relativos a qualquer assunto. 3. Relativo a prognose. 4. Que traça o provável desenvolvimento futuro ou o resultado de um processo. 5. Que pode indicar acontecimentos futuros (diz-se de sinal, sintoma, indício, etc.). 6. No uso pejorativo, pernóstico, doutoral, professoral; prognóstico.
2 Linfoma: Doença maligna que se caracteriza pela proliferação descontrolada de linfócitos ou seus precursores. A pessoa com linfoma pode apresentar um aumento de tamanho dos gânglios linfáticos, do baço, do fígado e desenvolver febre, perda de peso e debilidade geral.
3 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
4 Recidivante: Característica da doença que recidiva, que acontece de forma recorrente ou repetitiva.
5 Refratários: 1. Que resiste à ação física ou química. 2. Que resiste às leis ou a princípios de autoridade. 3. No sentido figurado, que não se ressente de ataques ou ações exteriores; insensível, indiferente, resistente. 4. Imune a certas doenças.
6 Recidiva: 1. Em medicina, é o reaparecimento de uma doença ou de um sintoma, após período de cura mais ou menos longo; recorrência. 2. Em direito penal, significa recaída na mesma falta, no mesmo crime; reincidência.
7 Antígeno: 1. Partícula ou molécula capaz de deflagrar a produção de anticorpo específico. 2. Substância que, introduzida no organismo, provoca a formação de anticorpo.
8 Quimioterapia: Método que utiliza compostos químicos, chamados quimioterápicos, no tratamento de doenças causadas por agentes biológicos. Quando aplicada ao câncer, a quimioterapia é chamada de quimioterapia antineoplásica ou quimioterapia antiblástica.
9 Células-tronco: São células primárias encontradas em todos os organismos multicelulares que retêm a habilidade de se renovar por meio da divisão celular mitótica e podem se diferenciar em uma vasta gama de tipos de células especializadas.
10 Sobrevida: Prolongamento da vida além de certo limite; prolongamento da existência além da morte, vida futura.
11 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
12 Citocinas: Citoquina ou citocina é a designação genérica de certas substâncias segregadas por células do sistema imunitário que controlam as reações imunes do organismo.
Gostou do artigo? Compartilhe!