Gostou do artigo? Compartilhe!

Reabilitação cardíaca baseada em exercícios apresentou melhores resultados para a síndrome coronariana crônica, em comparação com intervenção coronária percutânea

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

O acúmulo de evidências questiona o valor clínico da intervenção coronária percutânea (ICP) para pacientes1 com síndrome2 coronariana crônica (SCC). Portanto, neste estudo publicado no European Journal of Preventive Cardiology, comparou-se o impacto da reabilitação cardíaca (RC) baseada em exercícios vs. ICP em pacientes com SCC na mortalidade3 e morbidade4 em 18 meses, e avaliou-se os efeitos da combinação de ICP com RC baseada em exercícios.

Um estudo de coorte5 retrospectivo6 foi realizado em março de 2021. Um conjunto de dados online do mundo real de pacientes com SCC foi adquirido, utilizando TriNetX, uma rede federada global de pesquisa em saúde7.

Pacientes com SCC que receberam ICP foram comparados primeiro com pacientes que receberam RC baseada em exercícios. Em segundo lugar, comparou-se os pacientes que receberam tanto RC + ICP vs. RC sozinha. Para ambas as comparações, os pacientes foram avaliados com escore de propensão pareado por idade, sexo, raça, comorbidades8, medicamentos e procedimentos.

Foi verificada a incidência9 de 18 meses de mortalidade3 por todas as causas, reinternação e comorbidade10 cardiovascular (acidente vascular cerebral11, infarto12 agudo13 do miocárdio14 (IAM) e insuficiência cardíaca15 de início recente).

A coorte16 inicial consistia em 18.383 pacientes com SCC. Após a correspondência do escore de propensão, a RC baseada em exercícios foi associada a chances significativamente menores de mortalidade3 por todas as causas (0,37 [IC 95%: 0,29-0,47]), reinternação (0,29 [IC 95%: 0,27-0,32]) e morbidades cardiovasculares, em comparação com a ICP.

Posteriormente, os pacientes que receberam tanto RC quanto ICP não tiveram chances significativamente diferentes de mortalidade3 por todas as causas (1,00 [IC 95%: 0,63-1,60]), reinternação (1,00 [IC 95%: 0,82-1,23]), IAM (1,11 [IC 95%: 0,68-1,81]), e acidente vascular cerebral11 (0,71 [IC 95%: 0,39-1,31]), em comparação com RC sozinha.

O estudo concluiu que, em comparação com a intervenção coronária percutânea, a reabilitação cardíaca baseada em exercício se associou a chances significativamente menores de mortalidade3 por todas as causas, reinternação e morbidade4 cardiovascular em 18 meses em pacientes com síndrome2 coronariana crônica, ao mesmo tempo em que a combinação de ICP e RC baseada em exercício foi associada apenas com menor incidência9 de insuficiência cardíaca15.

Leia sobre "Doença arterial coronariana", "Stent - o que é" e "Atividade física".

 

Fonte: European Journal of Preventive Cardiology, publicação em 11 de novembro de 2021.

 

NEWS.MED.BR, 2021. Reabilitação cardíaca baseada em exercícios apresentou melhores resultados para a síndrome coronariana crônica, em comparação com intervenção coronária percutânea. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1405445/reabilitacao-cardiaca-baseada-em-exercicios-apresentou-melhores-resultados-para-a-sindrome-coronariana-cronica-em-comparacao-com-intervencao-coronaria-percutanea.htm>. Acesso em: 27 nov. 2021.

Complementos

1 Para pacientes: Você pode utilizar este texto livremente com seus pacientes, inclusive alterando-o, de acordo com a sua prática e experiência. Conheça todos os materiais Para Pacientes disponíveis para auxiliar, educar e esclarecer seus pacientes, colaborando para a melhoria da relação médico-paciente, reunidos no canal Para Pacientes . As informações contidas neste texto são baseadas em uma compilação feita pela equipe médica da Centralx. Você deve checar e confirmar as informações e divulgá-las para seus pacientes de acordo com seus conhecimentos médicos.
2 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
3 Mortalidade: A taxa de mortalidade ou coeficiente de mortalidade é um dado demográfico do número de óbitos, geralmente para cada mil habitantes em uma dada região, em um determinado período de tempo.
4 Morbidade: Morbidade ou morbilidade é a taxa de portadores de determinada doença em relação à população total estudada, em determinado local e em determinado momento.
5 Estudo de coorte: Um estudo de coorte é realizado para verificar se indivíduos expostos a um determinado fator apresentam, em relação aos indivíduos não expostos, uma maior propensão a desenvolver uma determinada doença. Um estudo de coorte é constituído, em seu início, de um grupo de indivíduos, denominada coorte, em que todos estão livres da doença sob investigação. Os indivíduos dessa coorte são classificados em expostos e não-expostos ao fator de interesse, obtendo-se assim dois grupos (ou duas coortes de comparação). Essas coortes serão observadas por um período de tempo, verificando-se quais indivíduos desenvolvem a doença em questão. Os indivíduos expostos e não-expostos devem ser comparáveis, ou seja, semelhantes quanto aos demais fatores, que não o de interesse, para que as conclusões obtidas sejam confiáveis.
6 Retrospectivo: Relativo a fatos passados, que se volta para o passado.
7 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
8 Comorbidades: Coexistência de transtornos ou doenças.
9 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
10 Comorbidade: Coexistência de transtornos ou doenças.
11 Acidente vascular cerebral: Conhecido popularmente como derrame cerebral, o acidente vascular cerebral (AVC) ou encefálico é uma doença que consiste na interrupção súbita do suprimento de sangue com oxigênio e nutrientes para o cérebro, lesando células nervosas, o que pode resultar em graves conseqüências, como inabilidade para falar ou mover partes do corpo. Há dois tipos de derrame, o isquêmico e o hemorrágico.
12 Infarto: Morte de um tecido por irrigação sangüínea insuficiente. O exemplo mais conhecido é o infarto do miocárdio, no qual se produz a obstrução das artérias coronárias com conseqüente lesão irreversível do músculo cardíaco.
13 Agudo: Descreve algo que acontece repentinamente e por curto período de tempo. O oposto de crônico.
14 Miocárdio: Tecido muscular do CORAÇÃO. Composto de células musculares estriadas e involuntárias (MIÓCITOS CARDÍACOS) conectadas, que formam a bomba contrátil geradora do fluxo sangüíneo. Sinônimos: Músculo Cardíaco; Músculo do Coração
15 Insuficiência Cardíaca: É uma condição na qual a quantidade de sangue bombeada pelo coração a cada minuto (débito cardíaco) é insuficiente para suprir as demandas normais de oxigênio e de nutrientes do organismo. Refere-se à diminuição da capacidade do coração suportar a carga de trabalho.
16 Coorte: Grupo de indivíduos que têm algo em comum ao serem reunidos e que são observados por um determinado período de tempo para que se possa avaliar o que ocorre com eles. É importante que todos os indivíduos sejam observados por todo o período de seguimento, já que informações de uma coorte incompleta podem distorcer o verdadeiro estado das coisas. Por outro lado, o período de tempo em que os indivíduos serão observados deve ser significativo na história natural da doença em questão, para que haja tempo suficiente do risco se manifestar.
Gostou do artigo? Compartilhe!