Gostou do artigo? Compartilhe!

Novo medicamento é um candidato promissor para o tratamento da dengue

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Encontrar um tratamento para a dengue1, a doença viral transmitida por mosquitos mais prevalente em humanos, tem sido difícil.

Apesar do imenso esforço despendido na busca de um tratamento terapêutico para dengue1, nenhum tratamento está disponível atualmente. Um medicamento eficaz contra o vírus2 da dengue1 (DENV) é necessário com urgência3, porque esse vírus2 transmitido por mosquitos representa um enorme fardo para a saúde4 pública, com cerca de 3,9 bilhões de pessoas em risco de infecção5 e cerca de 51 milhões de casos de dengue1 anualmente em todo o mundo.

Agora, um composto denominado JNJ-A07 apresentou atividade promissora contra o vírus2 da dengue1 em modelos de infecção5 em camundongos.

O inibidor do vírus2 da dengue1 foi descrito em um estudo publicado na Nature. Os resultados também lançam luz sobre um novo mecanismo de ação antiviral para o desenvolvimento futuro de agentes terapêuticos para dengue1.

Atualmente não existem antivirais para a prevenção ou tratamento da dengue1, e o vírus2 tem múltiplas variantes; portanto, encontrar um agente terapêutico universal para a dengue1 tem se mostrado um desafio.

Saiba mais sobre "Dengue1: sintomas6 e cuidados gerais", "Tratamento da dengue1" e "Como combater a dengue1".

Johan Neyts e colegas usaram um rastreamento em grande escala para identificar compostos que inibem o vírus2 da dengue1 em cultura de células7. O composto mais promissor foi então otimizado para um composto (chamado JNJ-A07) que é altamente potente contra todos os subtipos conhecidos do vírus2 da dengue1.

O composto tem um perfil de segurança favorável em camundongos e ratos, e mostrou reduzir a carga viral em modelos de infecção5 de camundongos quando administrado por via oral, tanto como prevenção quanto como tratamento.

Os autores descobriram que o JNJ-A07 interfere na replicação do vírus2 ao bloquear a interação de duas proteínas8 virais (NS3 e NS4B), revelando um mecanismo inteiramente novo de ação antiviral.

“Embora o JNJ-A07 não seja o primeiro inibidor da NS4B da dengue1 a ser descoberto, é um dos mais promissores e bem caracterizados”, escreveram Scott B. Biering e Eva Harris em um boletim informativo. Eles enfatizam que mais perguntas precisam ser respondidas ao planejar ensaios clínicos9 em humanos no futuro, mas “o fato de que agora eles podem até mesmo ser considerados representa um grande avanço no campo da terapêutica10 da dengue”.

O artigo publicado descreve esse inibidor do vírus2 da dengue1 pan-sorotipo que visa a interação NS3-NS4B.

O inibidor do vírus2 da dengue1 altamente potente (JNJ-A07) exerce atividade nanomolar a picomolar contra um painel de 21 isolados clínicos que representam a diversidade genética natural de genótipos e sorotipos conhecidos.

A molécula possui alta barreira à resistência e previne a formação do complexo de replicação viral ao bloquear a interação entre duas proteínas8 virais (NS3 e NS4B), revelando um mecanismo de ação antiviral anteriormente não descrito.

O JNJ-A07 tem um perfil farmacocinético favorável que resulta em excelente eficácia contra a infecção5 pelo vírus2 da dengue1 em modelos de infecção5 em camundongos. O adiamento do início do tratamento até o pico da viremia resulta numa redução rápida e significativa da carga viral.

Um análogo do composto está atualmente em desenvolvimento.

Leia sobre "Os animais que mais matam no mundo", "O que conhecer sobre as picadas dos pernilongos" e "O que são vírus2".

 

Fontes:
Nature, publicação em 06 de outubro de 2021.
Nature Asia, notícia publicada em 07 de outubro de 2021.

 

NEWS.MED.BR, 2021. Novo medicamento é um candidato promissor para o tratamento da dengue. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1402910/novo-medicamento-e-um-candidato-promissor-para-o-tratamento-da-dengue.htm>. Acesso em: 8 dez. 2021.

Complementos

1 Dengue: Infecção viral aguda transmitida para o ser humano através da picada do mosquito Aedes aegypti, freqüente em regiões de clima quente. Caracteriza-se por apresentar febre, cefaléia, dores musculares e articulares e uma erupção cutânea característica. Existe uma variedade de dengue que é potencialmente fatal, chamada dengue hemorrágica.
2 Vírus: Pequeno microorganismo capaz de infectar uma célula de um organismo superior e replicar-se utilizando os elementos celulares do hospedeiro. São capazes de causar múltiplas doenças, desde um resfriado comum até a AIDS.
3 Urgência: 1. Necessidade que requer solução imediata; pressa. 2. Situação crítica ou muito grave que tem prioridade sobre outras; emergência.
4 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
5 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
6 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
7 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
8 Proteínas: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Alimentos que fornecem proteína incluem carne vermelha, frango, peixe, queijos, leite, derivados do leite, ovos.
9 Ensaios clínicos: Há três fases diferentes em um ensaio clínico. A Fase 1 é o primeiro teste de um tratamento em seres humanos para determinar se ele é seguro. A Fase 2 concentra-se em saber se um tratamento é eficaz. E a Fase 3 é o teste final antes da aprovação para determinar se o tratamento tem vantagens sobre os tratamentos padrões disponíveis.
10 Terapêutica: Terapia, tratamento de doentes.
Gostou do artigo? Compartilhe!