Gostou do artigo? Compartilhe!

Terapia de RNA mensageiro contra o câncer está em testes em humanos após reduzir tumores em camundongos

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Um tratamento de câncer1 que usa RNA mensageiro para lançar um ataque imunológico às células2 cancerosas pode reduzir completamente os tumores em camundongos e agora está sendo testado em pessoas.

RNAs mensageiros – ou RNAms – são moléculas que instruem as células2 a produzir proteínas3. Eles alcançaram a fama com o lançamento das vacinas de RNAm contra a covid-19. A BioNTech, empresa alemã que desenvolveu a vacina4 de RNAm contra a covid-19 da Pfizer, agora está testando se os RNAms podem ser usados para tratar o câncer1, estimulando as células2 a produzir proteínas3 que combatem o tumor5.

Em um estudo publicado na revista Science Translational Medicine, a empresa relata dados promissores sobre um coquetel de RNAm em modelos de camundongos de câncer1 de cólon6 e melanoma7. Segundo o estudo, a entrega local de citocinas8 codificadas por RNAm promove a imunidade9 antitumoral e a erradicação do tumor5 em vários modelos pré-clínicos de tumor5.

Leia sobre "Câncer1: o que é", "Distinção entre tumores benignos e malignos" e "É possível acabar com o câncer1?"

A empresa fez uma mistura de quatro RNAms que instruem as células2 a produzir quatro proteínas3 chamadas citocinas8, que são liberadas naturalmente pelas células2 do sistema imunológico10 para atacar as células2 cancerosas.

Quando eles injetaram esses RNAms diretamente em melanomas em 20 camundongos, as células2 do sistema imunológico10 dentro dos tumores começaram a produzir grandes quantidades das citocinas8 desejadas. Isso produziu uma resposta imune que fez com que os tumores de pele11 desaparecessem completamente em todos os camundongos, exceto em um, em menos de 40 dias. O tratamento funcionou ainda melhor quando combinado com a inibição de checkpoint.

No artigo publicado, os pesquisadores contextualizam que a imunoterapia local estimula de maneira ideal as respostas imunes contra tumores, evitando toxicidades associadas à administração sistêmica. As estratégias atuais para entrega baseada em genes e direcionada a tumor5, no entanto, são limitadas por efeitos adversos, como imunidade9 anti-vetor ou fora de direcionamento.

Assim, tratamentos para câncer1 baseados em citocinas8 têm sido prejudicados tanto pela toxicidade12 fora do alvo quanto pela dificuldade em alcançar a entrega local.

Neste estudo investigou-se a administração intratumoral de RNA mensageiro (m) formulado com solução salina que codifica quatro citocinas8 que foram identificadas como mediadoras da regressão do tumor5 em diferentes modelos de tumor5: interleucina-12 (IL-12) de cadeia única, interferon-α (IFN-α), fator estimulador de colônias de granulócitos13-macrófagos14 e IL-15 sushi.

A atividade antitumoral eficaz dessas citocinas8 baseou-se em múltiplas populações de células2 imunes e foi acompanhada por indução intratumoral de IFN-γ, expansão sistêmica de células2 T específicas para o antígeno15, aumento da infiltração de células2 T de granzima B+ e formação de memória imune.

A atividade antitumoral estendeu-se para além das lesões16 tratadas e inibiu o crescimento de tumores distantes e tumores disseminados.

Combinar os RNAms com anticorpos17 imunomoduladores aumentou as respostas antitumorais em tumores injetados e não injetados, melhorando assim a sobrevivência18 e a regressão do tumor5. Desse modo, a combinação levou a respostas imunes antitumorais robustas e regressão tumoral em vários modelos de camundongos, incluindo modelos com mais de um tumor5.

Juntos, esses dados apoiam o desenvolvimento de RNAms que codificam citocinas8 como um tratamento para o câncer1.

Consequentemente, os testes clínicos desta mistura de RNAms que codificam citocinas8 estão em andamento.

Veja também sobre "Imunoterapia", "Prevenção do câncer1" e "Câncer1 de pele11".

 

Fontes:
Science Translational Medicine, Vol. 13, Nº 610, em 08 de setembro de 2021.
New Scientist, notícia publicada em 08 de setembro de 2021.
Fierce Biotech, notícia publicada em 08 de setembro de 2021

 

NEWS.MED.BR, 2021. Terapia de RNA mensageiro contra o câncer está em testes em humanos após reduzir tumores em camundongos. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1402130/terapia-de-rna-mensageiro-contra-o-cancer-esta-em-testes-em-humanos-apos-reduzir-tumores-em-camundongos.htm>. Acesso em: 6 dez. 2021.

Complementos

1 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
2 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
3 Proteínas: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Alimentos que fornecem proteína incluem carne vermelha, frango, peixe, queijos, leite, derivados do leite, ovos.
4 Vacina: Tratamento à base de bactérias, vírus vivos atenuados ou seus produtos celulares, que têm o objetivo de produzir uma imunização ativa no organismo para uma determinada infecção.
5 Tumor: Termo que literalmente significa massa ou formação de tecido. É utilizado em geral para referir-se a uma formação neoplásica.
6 Cólon:
7 Melanoma: Neoplasia maligna que deriva dos melanócitos (as células responsáveis pela produção do principal pigmento cutâneo). Mais freqüente em pessoas de pele clara e exposta ao sol.Podem derivar de manchas prévias que mudam de cor ou sangram por traumatismos mínimos, ou instalar-se em pele previamente sã.
8 Citocinas: Citoquina ou citocina é a designação genérica de certas substâncias segregadas por células do sistema imunitário que controlam as reações imunes do organismo.
9 Imunidade: Capacidade que um indivíduo tem de defender-se perante uma agressão bacteriana, viral ou perante qualquer tecido anormal (tumores, enxertos, etc.).
10 Sistema imunológico: Sistema de defesa do organismo contra infecções e outros ataques de micro-organismos que enfraquecem o nosso corpo.
11 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
12 Toxicidade: Capacidade de uma substância produzir efeitos prejudiciais ao organismo vivo.
13 Granulócitos: Leucócitos que apresentam muitos grânulos no citoplasma. São divididos em três grupos, conforme as características (neutrofílicas, eosinofílicas e basofílicas) de coloração destes grânulos. São granulócitos maduros os NEUTRÓFILOS, EOSINÓFILOS e BASÓFILOS.
14 Macrófagos: É uma célula grande, derivada do monócito do sangue. Ela tem a função de englobar e destruir, por fagocitose, corpos estranhos e volumosos.
15 Antígeno: 1. Partícula ou molécula capaz de deflagrar a produção de anticorpo específico. 2. Substância que, introduzida no organismo, provoca a formação de anticorpo.
16 Lesões: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
17 Anticorpos: Proteínas produzidas pelo organismo para se proteger de substâncias estranhas como bactérias ou vírus. As pessoas que têm diabetes tipo 1 produzem anticorpos que destroem as células beta produtoras de insulina do próprio organismo.
18 Sobrevivência: 1. Ato ou efeito de sobreviver, de continuar a viver ou a existir. 2. Característica, condição ou virtude daquele ou daquilo que subsiste a um outro. Condição ou qualidade de quem ainda vive após a morte de outra pessoa. 3. Sequência ininterrupta de algo; o que subsiste de (alguma coisa remota no tempo); continuidade, persistência, duração.
Gostou do artigo? Compartilhe!