Gostou do artigo? Compartilhe!

Avanços recentes no tratamento do câncer de próstata metastático

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Em 2021, estima-se que 26% dos novos casos de câncer1 não cutâneo2 serão por causa do câncer1 de próstata3, resultando em 11% das mortes relacionadas ao câncer1 nos Estados Unidos, tornando-o a neoplasia4 maligna mais comum em homens e a segunda principal causa de mortalidade5 por câncer1.

Após o início da doença metastática6, a doença é invariavelmente fatal com uma taxa de sobrevida7 em 5 anos de apenas 30%. Além disso, a incidência8 de câncer1 de próstata3 metastático parece ter aumentado em todas as raças e grupos de idade na última década.

Em uma revisão publicada na revista científica JCO Oncology Practice, pesquisadores discutem os avanços mais recentes no tratamento do câncer1 de próstata3 metastático e destacam os agentes aprovados recentemente e os ensaios clínicos9 em andamento.

Saiba mais sobre "Câncer1 de Próstata3 - o que é", "Câncer1 de próstata3 - quando agendar uma consulta" e "O que são metástases10".

Foi feita uma revisão do mecanismo de ação dos agentes recentemente aprovados. Também foram apresentados princípios para a seleção de terapia ideal com base em critérios clínicos e moleculares, obstáculos atuais em relação à intensificação do tratamento no estágio sensível à castração11 e desafios com o sequenciamento do tratamento. Finalmente, resumiu-se as terapias promissoras atualmente em desenvolvimento.

O tratamento do câncer1 de próstata3 metastático passou por uma revolução na última década, com a introdução de vários novos agentes e o redirecionamento de outros.

Vários ensaios clínicos9 relataram melhores resultados com a intensificação da terapia de privação de androgênio pela adição de quimioterapia12 com docetaxel ou novos agentes hormonais (abiraterona, enzalutamida ou apalutamida) no estado metastático sensível à castração11.

Relugolix foi recentemente aprovado como o primeiro agente antagonista13 do receptor do hormônio14 liberador de gonadotropina oral com um perfil de efeito colateral15 cardiovascular superior e supressão de testosterona sérica em comparação com um agonista16 do hormônio14 liberador de gonadotropina, leuprolida.

Os inibidores da poli ADP-ribose polimerase (olaparibe e rucaparibe) demonstraram benefício clínico significativo para pacientes17 portadores de mutações deletérias em genes pertencentes à via de reparo de recombinação homóloga e receberam aprovação da Food and Drug Administration.

Recentemente, o antígeno18 de membrana específico da próstata3 617 marcado com lutécio 177 (177Lu PSMA-617) com tratamento padrão demonstrou melhorar a sobrevida7 global em homens com câncer1 de próstata3 metastático resistente à castração11 positivo para antígeno18 de membrana específico da próstata3 em estágio avançado.

Espera-se que essas recentes aprovações, sucessos e a investigação em andamento de vários novos agentes continuem a melhorar drasticamente os resultados de sobrevivência19 de homens com câncer1 de próstata3 metastático nos próximos anos.

Leia sobre "Quimioterapia12", "Radioterapia20", "Imunoterapia" e "Cirurgia da próstata3".

 

Fonte: JCO Oncology Practice, publicação em 02 de setembro de 2021.

 

NEWS.MED.BR, 2021. Avanços recentes no tratamento do câncer de próstata metastático. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1401075/avancos-recentes-no-tratamento-do-cancer-de-prostata-metastatico.htm>. Acesso em: 18 out. 2021.

Complementos

1 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
2 Cutâneo: Que diz respeito à pele, à cútis.
3 Próstata: Glândula que (nos machos) circunda o colo da BEXIGA e da URETRA. Secreta uma substância que liquefaz o sêmem coagulado. Está situada na cavidade pélvica (atrás da parte inferior da SÍNFISE PÚBICA, acima da camada profunda do ligamento triangular) e está assentada sobre o RETO.
4 Neoplasia: Termo que denomina um conjunto de doenças caracterizadas pelo crescimento anormal e em certas situações pela invasão de órgãos à distância (metástases). As neoplasias mais frequentes são as de mama, cólon, pele e pulmões.
5 Mortalidade: A taxa de mortalidade ou coeficiente de mortalidade é um dado demográfico do número de óbitos, geralmente para cada mil habitantes em uma dada região, em um determinado período de tempo.
6 Doença metastática: Câncer que se espalhou do seu local de origem a outras partes do organismo.
7 Sobrevida: Prolongamento da vida além de certo limite; prolongamento da existência além da morte, vida futura.
8 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
9 Ensaios clínicos: Há três fases diferentes em um ensaio clínico. A Fase 1 é o primeiro teste de um tratamento em seres humanos para determinar se ele é seguro. A Fase 2 concentra-se em saber se um tratamento é eficaz. E a Fase 3 é o teste final antes da aprovação para determinar se o tratamento tem vantagens sobre os tratamentos padrões disponíveis.
10 Metástases: Formação de tecido tumoral, localizada em um lugar distante do sítio de origem. Por exemplo, pode se formar uma metástase no cérebro originário de um câncer no pulmão. Sua gravidade depende da localização e da resposta ao tratamento instaurado.
11 Castração: Anulação da função ovariana ou testicular através da extirpação destes órgãos ou por inibição farmacológica.
12 Quimioterapia: Método que utiliza compostos químicos, chamados quimioterápicos, no tratamento de doenças causadas por agentes biológicos. Quando aplicada ao câncer, a quimioterapia é chamada de quimioterapia antineoplásica ou quimioterapia antiblástica.
13 Antagonista: 1. Opositor. 2. Adversário. 3. Em anatomia geral, que ou o que, numa mesma região anatômica ou função fisiológica, trabalha em sentido contrário (diz-se de músculo). 4. Em medicina, que realiza movimento contrário ou oposto a outro (diz-se de músculo). 5. Em farmácia, que ou o que tende a anular a ação de outro agente (diz-se de agente, medicamento etc.). Agem como bloqueadores de receptores. 6. Em odontologia, que se articula em oposição (diz-se de ou qualquer dente em relação ao da maxila oposta).
14 Hormônio: Substância química produzida por uma parte do corpo e liberada no sangue para desencadear ou regular funções particulares do organismo. Por exemplo, a insulina é um hormônio produzido pelo pâncreas que diz a outras células quando usar a glicose para energia. Hormônios sintéticos, usados como medicamentos, podem ser semelhantes ou diferentes daqueles produzidos pelo organismo.
15 Efeito colateral: 1. Ação não esperada de um medicamento. Ou seja, significa a ação sobre alguma parte do organismo diferente daquela que precisa ser tratada pelo medicamento. 2. Possível reação que pode ocorrer durante o uso do medicamento, podendo ser benéfica ou maléfica.
16 Agonista: 1. Em farmacologia, agonista refere-se às ações ou aos estímulos provocados por uma resposta, referente ao aumento (ativação) ou diminuição (inibição) da atividade celular. Sendo uma droga receptiva. 2. Lutador. Na Grécia antiga, pessoa que se dedicava à ginástica para fortalecer o físico ou como preparação para o serviço militar.
17 Para pacientes: Você pode utilizar este texto livremente com seus pacientes, inclusive alterando-o, de acordo com a sua prática e experiência. Conheça todos os materiais Para Pacientes disponíveis para auxiliar, educar e esclarecer seus pacientes, colaborando para a melhoria da relação médico-paciente, reunidos no canal Para Pacientes . As informações contidas neste texto são baseadas em uma compilação feita pela equipe médica da Centralx. Você deve checar e confirmar as informações e divulgá-las para seus pacientes de acordo com seus conhecimentos médicos.
18 Antígeno: 1. Partícula ou molécula capaz de deflagrar a produção de anticorpo específico. 2. Substância que, introduzida no organismo, provoca a formação de anticorpo.
19 Sobrevivência: 1. Ato ou efeito de sobreviver, de continuar a viver ou a existir. 2. Característica, condição ou virtude daquele ou daquilo que subsiste a um outro. Condição ou qualidade de quem ainda vive após a morte de outra pessoa. 3. Sequência ininterrupta de algo; o que subsiste de (alguma coisa remota no tempo); continuidade, persistência, duração.
20 Radioterapia: Método que utiliza diversos tipos de radiação ionizante para tratamento de doenças oncológicas.
Gostou do artigo? Compartilhe!