Gostou do artigo? Compartilhe!

Implante inflável injetado na coluna vertebral pode aliviar a dor crônica através de estimulação minimamente invasiva da medula espinhal

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Um minúsculo implante1 inflável que pode ser injetado na coluna vertebral2 pode fornecer alívio a longo prazo da dor crônica. Ele age emitindo cargas elétricas que sinalizam ao cérebro3 para parar de perceber a dor. O estudo descrevendo o desenvolvimento deste dispositivo foi publicado na revista Science Advances.

A estimulação da medula espinhal4 é uma das terapias de neuromodulação mais antigas e estabelecidas. No entanto, hoje, os médicos precisam escolher entre dispositivos volumosos semelhantes a pás, que requerem cirurgia invasiva sob anestesia5 geral, e dispositivos do tipo eletrodo percutâneo, que podem ser implantados por punção com agulha simples sob anestesia5 local, mas oferecem desvantagens clínicas quando comparados aos dispositivos em pá.

Assim, a estimulação da medula espinhal4 para controlar a dor crônica no corpo, braços ou pernas não é nova, mas sua eficácia foi prejudicada por questões de praticidade, diz Damiano Barone, da Universidade de Cambridge. Para que esses dispositivos funcionem bem, eles devem ter até 32 eletrodos que se aninham na medula espinhal4.

Isso requer um implante1 relativamente grande, medindo cerca de 12 milímetros de largura, o que requer uma cirurgia complexa sob anestesia5 geral. Também acarreta riscos, como danos à medula espinhal4, e envolve a remoção de parte da coluna vertebral2 – fatores que podem superar os benefícios de tal implante1.

Leia sobre "Dor crônica: o que devemos saber" e "Dores crônicas - quais as causas e o que fazer para aliviar a dor".

Foi nesse contexto que Barone e seus colegas desenvolveram um dispositivo inflável que necessitaria apenas de uma cirurgia mínima sob anestesia5 local. Ele é feito de plástico ultrafino e folhas de ouro puro, podendo ser enrolado até uma espessura de menos de 2 milímetros – tão pequeno que pode caber dentro de uma agulha de tamanho moderado.

Ele é projetado para ser injetado no espaço epidural6 – uma região ao redor da medula espinhal4 que é alvo de anestesiologistas para pessoas em trabalho de parto – então se desenrola e preenche quando bombeado com alguns mililitros de ar, como um minúsculo colchão de acampamento. Ele poderia ser alimentado por uma bateria implantada e carregado por indução, como o carregamento sem fio de um smartphone.

O estudo descreve como os pesquisadores aplicaram técnicas de fabricação por fotolitografia e litografia suave para desenvolver esse dispositivo que apresenta eletrônicos finos e flexíveis e canais fluídicos integrados. O dispositivo pode ser enrolado na forma de uma agulha percutânea padrão e então implantado no local de interesse antes de ser expandido in situ7, desdobrando-se em sua conformação semelhante a pá.

O dispositivo e o procedimento de implantação foram validados in vitro e em modelos de cadáveres humanos.

Os pesquisadores testaram o dispositivo usando um balão de água para servir como um espaço epidural6 artificial. Em seguida, Barone, um neurocirurgião, praticou a injeção8 do dispositivo por meio de uma agulha na parte inferior das costas9 de seis cadáveres humanos.

O dispositivo foi fácil de implantar e desenrolar completamente, encaixando-se na medula espinhal4. A equipe estima que os riscos seriam semelhantes aos associados ao alívio da dor peridural10 para pessoas em trabalho de parto, aproximadamente um risco de 1 em 100.000 de complicações como um coágulo11 sanguíneo.

“Mesmo em seu diâmetro máximo, ainda parece mais seguro do que o que já está por aí, o que já é bastante seguro”, diz Barone, acrescentando que mais testes são necessários.

O estudo concluiu que este dispositivo abre caminho para dispositivos bioeletrônicos de mudança de forma que oferecem uma grande área para detecção ou estimulação, mas são implantados em pacientes percutaneamente de forma minimamente invasiva.

Veja também sobre "O que é dor e como a sentimos", "Tipos de anestesia5", "Dor nas costas9" e "Enxaqueca12".

 

Créditos da imagem: Ben Woodington, University of Cambridge

 

Fontes:
Science Advances, Vol. 7, Nº 26, em 25 de junho de 2021.
New Scientist, notícia publicada em 25 de junho de 2021.

 

NEWS.MED.BR, 2021. Implante inflável injetado na coluna vertebral pode aliviar a dor crônica através de estimulação minimamente invasiva da medula espinhal. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1398400/implante-inflavel-injetado-na-coluna-vertebral-pode-aliviar-a-dor-cronica-atraves-de-estimulacao-minimamente-invasiva-da-medula-espinhal.htm>. Acesso em: 19 set. 2021.

Complementos

1 Implante: 1. Em cirurgia e odontologia é o material retirado do próprio indivíduo, de outrem ou artificialmente elaborado que é inserido ou enxertado em uma estrutura orgânica, de modo a fazer parte integrante dela. 2. Na medicina, é qualquer material natural ou artificial inserido ou enxertado no organismo. 3. Em patologia, é uma célula ou fragmento de tecido, especialmente de tumores, que migra para outro local do organismo, com subsequente crescimento.
2 Coluna vertebral:
3 Cérebro: Derivado do TELENCÉFALO, o cérebro é composto dos hemisférios direito e esquerdo. Cada hemisfério contém um córtex cerebral exterior e gânglios basais subcorticais. O cérebro inclui todas as partes dentro do crânio exceto MEDULA OBLONGA, PONTE e CEREBELO. As funções cerebrais incluem as atividades sensório-motora, emocional e intelectual.
4 Medula Espinhal:
5 Anestesia: Diminuição parcial ou total da sensibilidade dolorosa. Pode ser induzida por diferentes medicamentos ou ser parte de uma doença neurológica.
6 Espaço Epidural: Espaço entre a dura-máter e as paredes do canal vertebral.
7 In situ: Mesmo que in loco , ou seja, que está em seu lugar natural ou normal (diz-se de estrutura ou órgão). Em oncologia, é o que permanece confinado ao local de origem, sem invadir os tecidos vizinhos (diz-se de tumor).
8 Injeção: Infiltração de medicação ou nutrientes líquidos no corpo através de uma agulha e seringa.
9 Costas:
10 Peridural: Mesmo que epidural. Localizado entre a dura-máter e a vértebra (diz-se do espaço do canal raquidiano). Na anatomia geral e na anestesiologia, é o que se localiza ou que se faz em torno da dura-máter.
11 Coágulo: 1. Em fisiologia, é uma massa semissólida de sangue ou de linfa. 2. Substância ou produto que promove a coagulação do leite.
12 Enxaqueca: Sinônimo de migrânea. É a cefaléia cuja prevalência varia de 10 a 20% da população. Ocorre principalmente em mulheres com uma proporção homem:mulher de 1:2-3. As razões para esta preponderância feminina ainda não estão bem entendidas, mas suspeita-se de alguma relação com o hormônio feminino. Resulta da pressão exercida por vasos sangüíneos dilatados no tecido nervoso cerebral subjacente. O tratamento da enxaqueca envolve normalmente drogas vaso-constritoras para aliviar esta pressão. No entanto, esta medicamentação pode causar efeitos secundários no sistema circulatório e é desaconselhada a pessoas com problemas cardiológicos.
Gostou do artigo? Compartilhe!