Gostou do artigo? Compartilhe!

Medicamento experimental pode tratar dores agudas moderadas a graves, eliminando a dor na origem

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

A Vertex1 Pharmaceuticals de Boston, EUA, anunciou o desenvolvimento de um medicamento experimental que alivia a dor moderada a grave, bloqueando os sinais2 de dor antes que eles cheguem ao cérebro3.

O medicamento funciona apenas nos nervos periféricos – aqueles fora do cérebro3 e da medula espinhal4 – tornando-o diferente dos opioides. A Vertex1 diz que espera-se que seu novo medicamento evite o potencial de levar ao vício encontrado nos opioides.

A empresa informou que completou dois estudos randomizados, o primeiro em 1.118 pessoas que fizeram abdominoplastia5 e o outro em 1.073 pessoas que fizeram cirurgia de joanete. Os dois procedimentos são comumente usados em estudos de pessoas com dor aguda, do tipo temporário, provocada por algo como um procedimento cirúrgico e que provavelmente diminuirá com o tempo.

Nos seus ensaios clínicos6, a Vertex1 mediu o efeito do medicamento com uma escala de dor padrão na qual os pacientes classificaram a intensidade da dor de 1 a 10, sendo 10 a mais grave. Aqueles que tomaram o medicamento tiveram uma redução da dor estatisticamente e clinicamente significativa, relatou a empresa. Um terceiro estudo analisou a segurança e a tolerabilidade do medicamento em pessoas que sofrem de dor devido a uma variedade de condições.

Impulsionada pelos resultados, que ainda não foram publicados ou apresentados em congresso, a Vertex1 planeja solicitar à Food and Drug Administration até meados do ano a aprovação para comercializar o medicamento, uma pílula que, por enquanto, se chama VX-548.

A empresa não informou quando os resultados e dados completos serão disponibilizados, mas cientistas que não estiveram envolvidos no desenvolvimento do medicamento disseram que as informações divulgadas pela empresa eram promissoras.

Leia sobre "O que é dor" e "Considerações sobre a clínica da dor".

O Dr. Henry Kranzler, professor de psiquiatria e diretor do Centro de Estudos de Dependência da Escola de Medicina Perelman, da Universidade da Pensilvânia, chamou o medicamento de “um avanço terapêutico”.

Ele disse que o seu desenvolvimento se baseou num forte corpo científico e, pelo menos para a dor aguda, “parece muito promissor”, com uma eficácia que, embora não seja melhor que a do opioide oxicodona, também não é pior.

“Isso tem potencial para ser um sucesso de bilheteria”, disse o Dr. Stephen Waxman, professor de neurologia, neurociência e farmacologia7 em Yale. Waxman não estava associado ao estudo, mas recebeu honorários de palestra da empresa. Ele prevê que o medicamento da Vertex1 será apenas a primeira incursão nesta nova área.

“Gosto de pensar que é o início de medicamentos não viciantes para a dor”, disse ele.

Isso, disse o Dr. James P. Rathmell, professor de anestesia8 da Harvard Medical School, “é o sonho que todos nós neste ramo temos há muito tempo”.

Por enquanto, a maioria das pessoas que necessitam de alívio da dor moderada a grave tem duas opções: medicamentos como o ibuprofeno e inibidores da COX-2 ou opioides. Os medicamentos como o ibuprofeno não são muito eficazes, e os opioides, como se sabe, podem causar dependência devido à forma como atuam. Não há como separar os efeitos dos opioides – alívio da dor – dos efeitos colaterais9: alterações no pensamento, na cognição10, na energia e nas emoções.

No comunicado de imprensa, a Vertex1 relata que o VX-548 é um inibidor oral do sinal11 de dor NaV1.8, seletivo, experimental, que é altamente seletivo para NaV1.8 em relação a outros canais NaV. O NaV1.8 é um canal de sódio dependente de voltagem que desempenha um papel crítico na sinalização da dor no sistema nervoso periférico12. O NaV1.8 é um alvo geneticamente validado para o tratamento da dor e a Vertex1 demonstrou previamente resultados de prova de conceito13 positivos e um perfil bem tolerado com VX-548 em dois estudos de Fase 2 de dor aguda após cirurgias de abdominoplastia5 e joanectomia e em um estudo de Fase 2 em neuropatia periférica14 diabética dolorosa, um tipo de dor neuropática15 periférica.

A abordagem da Vertex1 consiste em inibir seletivamente o NaV1.8 utilizando pequenas moléculas, com o objetivo de criar uma nova classe de medicamentos que tenham o potencial de proporcionar alívio eficaz da dor sem as limitações dos opiáceos, incluindo o seu potencial viciante.

Agora a Vertex1 anunciou resultados positivos de seu programa de Fase 3 para o inibidor seletivo de NaV1.8, VX-548, no tratamento de dor aguda moderada a grave. O programa de Fase 3 incluiu dois ensaios clínicos6 randomizados, duplo-cegos, controlados por placebo16, um após cirurgia de abdominoplastia5 e outro após cirurgia de joanectomia, bem como um estudo de segurança e eficácia de braço único que incluiu pacientes com uma ampla gama de condições de dor cirúrgicas e não cirúrgicas.

O tratamento com VX-548 após cirurgia de abdominoplastia5 ou joanectomia resultou em uma melhora estatisticamente significativa no desfecho primário da soma da diferença de intensidade da dor de 0 a 48 horas (SPID48) ponderada no tempo em comparação ao placebo16, bem como uma redução clinicamente significativa na dor desde o início às 48 horas na Escala Numérica de Avaliação de Dor (NPRS) em ambos os estudos (abdominoplastia5: diferença média dos mínimos quadrados [MQ] no SPID48 entre VX-548 e placebo16 = 48,4 [IC 95%: 33,6, 63,1; P <0,0001]; joanectomia: diferença média dos MQ no SPID48 entre VX-548 e placebo16 = 29,3 [IC 95%: 14,0, 44,6; P = 0,0002]).

Para o primeiro desfecho secundário chave, a Vertex1 testou a hipótese de que o VX-548 era superior ao bitartarato de hidrocodona/acetaminofeno (HB/APAP) no SPID48 após cirurgia de abdominoplastia5 ou cirurgia de joanectomia. Nenhum dos estudos atingiu este desfecho secundário chave (abdominoplastia5: diferença média dos MQ entre VX-548 e HB/APAP = 6,6 [IC 95%: -5,4, 18,7; P = 0,2781]; joanectomia: diferença média dos MQ entre VX-548 e HB/APAP = -20,2 [IC 95%: -32,7, -7,7; P = 0,0016]).

O segundo desfecho secundário chave em ambos os ensaios foi o tempo para um alívio significativo da dor, definido como redução ≥2 pontos na NPRS desde o início do estudo, em comparação com o placebo16. O VX-548 teve um início mais rápido de alívio significativo da dor do que o placebo16 nos ensaios de abdominoplastia5 e joanectomia. (O tempo médio para alívio significativo da dor foi de 8 horas para o placebo16 em ambos os estudos, em comparação com 2 horas na abdominoplastia5 e 4 horas na joanectomia para o VX-548, com P nominal <0,0001 e 0,0016, respectivamente.)

Outros desfechos secundários em ambos os ensaios foram geralmente consistentes com o desfecho primário.

O estudo de segurança e eficácia de braço único de Fase 3 avaliou o tratamento com VX-548 por até 14 dias em uma ampla gama de outras condições de dor aguda cirúrgica e não cirúrgica e demonstrou segurança e tolerabilidade favoráveis, bem como eficácia medida pela Avaliação Global do Paciente (AGP) no final do tratamento (83,2% dos pacientes classificaram o VX-548 como bom, muito bom ou excelente no tratamento da dor).

O VX-548 foi seguro e bem tolerado em todos os três estudos de Fase 3. A maioria dos eventos adversos (EAs) foram leves a moderados e não houve eventos adversos graves (EAGs) relacionados ao VX-548. Em geral, os EAs nos dois ensaios clínicos6 randomizados foram consistentes com o cenário pós-cirúrgico. No braço VX-548, a incidência17 de EAs foi menor do que no placebo16 (pacientes com qualquer EA nos braços VX-548 e placebo16: 50,0% e 56,3%, respectivamente, após abdominoplastia5, e 31,0% e 35,2%, respectivamente, após joanectomia).

Veja também sobre "Transtornos devidos ao abuso de drogas" e "A dor como relatada pelos pacientes".

“Estamos muito satisfeitos com os resultados do programa fundamental VX-548, que demonstram uma combinação convincente e consistente de eficácia e segurança em múltiplas condições e ambientes de dor aguda. O perfil benefício-risco do VX-548 o posiciona idealmente para potencialmente preencher a lacuna entre medicamentos com boa tolerabilidade, mas eficácia limitada, e medicamentos opioides com eficácia terapêutica18, mas com riscos conhecidos, incluindo potencial de dependência”, disse Reshma Kewalramani, MD, Diretora Executiva e Presidente da Vertex1. “Com as designações Breakthrough e Fast Track da FDA em mãos19, estamos trabalhando com urgência20 para registrar o pedido de novo medicamento para o VX-548 e levar este medicamento não opioide aos milhões de pacientes que sofrem de dor aguda todos os anos nos EUA.”

“Como médica que trata pacientes que sofrem de dor há muitos anos, conheço em primeira mão21 a necessidade crítica de opções de tratamento novas, eficazes e seguras”, disse Jessica Oswald, MD, Médica Associada em Medicina de Emergência22 e Medicina da Dor, da Universidade da Califórnia em San Diego, e membro do Comitê Diretor de Dor Aguda da Vertex1. “A segurança e eficácia da Fase 3 nos três estudos são impressionantes e demonstram o potencial do VX-548 para mudar o paradigma do tratamento da dor. Estou ansiosa pelo potencial de ter uma nova classe de medicamentos para a dor aguda – a primeira em mais de duas décadas – para usar como alternativa aos opioides para ajudar milhões de pessoas afetadas pela dor aguda.”

 

Fontes:
Vertex1, comunicado publicado em 30 de janeiro de 2024.
The New York Times, notícia publicada em 30 de janeiro de 2024.

 

NEWS.MED.BR, 2024. Medicamento experimental pode tratar dores agudas moderadas a graves, eliminando a dor na origem. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/novos-medicamentos/1465817/medicamento-experimental-pode-tratar-dores-agudas-moderadas-a-graves-eliminando-a-dor-na-origem.htm>. Acesso em: 21 abr. 2024.

Complementos

1 Vértex: O ponto mais alto (de algo); ápice, vértice.
2 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
3 Cérebro: Derivado do TELENCÉFALO, o cérebro é composto dos hemisférios direito e esquerdo. Cada hemisfério contém um córtex cerebral exterior e gânglios basais subcorticais. O cérebro inclui todas as partes dentro do crânio exceto MEDULA OBLONGA, PONTE e CEREBELO. As funções cerebrais incluem as atividades sensório-motora, emocional e intelectual.
4 Medula Espinhal:
5 Abdominoplastia: Cirurgia plástica ou estética que remodela o abdome, retirando o excesso de tecido (pele e gordura) que se acumula abaixo do umbigo e ajustando a musculatura abdominal frouxa.
6 Ensaios clínicos: Há três fases diferentes em um ensaio clínico. A Fase 1 é o primeiro teste de um tratamento em seres humanos para determinar se ele é seguro. A Fase 2 concentra-se em saber se um tratamento é eficaz. E a Fase 3 é o teste final antes da aprovação para determinar se o tratamento tem vantagens sobre os tratamentos padrões disponíveis.
7 Farmacologia: Ramo da medicina que estuda as propriedades químicas dos medicamentos e suas respectivas classificações.
8 Anestesia: Diminuição parcial ou total da sensibilidade dolorosa. Pode ser induzida por diferentes medicamentos ou ser parte de uma doença neurológica.
9 Efeitos colaterais: 1. Ação não esperada de um medicamento. Ou seja, significa a ação sobre alguma parte do organismo diferente daquela que precisa ser tratada pelo medicamento. 2. Possível reação que pode ocorrer durante o uso do medicamento, podendo ser benéfica ou maléfica.
10 Cognição: É o conjunto dos processos mentais usados no pensamento, percepção, classificação, reconhecimento e compreensão para o julgamento através do raciocínio para o aprendizado de determinados sistemas e soluções de problemas.
11 Sinal: 1. É uma alteração percebida ou medida por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida. 2. Som ou gesto que indica algo, indício. 3. Dinheiro que se dá para garantir um contrato.
12 Sistema Nervoso Periférico: Sistema nervoso localizado fora do cérebro e medula espinhal. O sistema nervoso periférico compreende as divisões somática e autônoma. O sistema nervoso autônomo inclui as subdivisões entérica, parassimpática e simpática. O sistema nervoso somático inclui os nervos cranianos e espinhais e seus gânglios e receptores sensitivos periféricos. Vias Neurais;
13 Prova de conceito: Prova de conceito (PoC ou Proof of Concept) é um termo utilizado para denominar um modelo prático que possa provar o conceito (teórico) estabelecido por uma pesquisa ou artigo técnico. Ela pode ser considerada uma implementação, em geral resumida ou incompleta, de um método ou de uma ideia, realizada com o propósito de verificar se o conceito ou a teoria em questão é susceptível de ser explorado de maneira útil.
14 Neuropatia periférica: Dano causado aos nervos que afetam os pés, as pernas e as mãos. A neuropatia causa dor, falta de sensibilidade ou formigamentos no local.
15 Neuropática: Referente à neuropatia, que é doença do sistema nervoso.
16 Placebo: Preparação neutra quanto a efeitos farmacológicos, ministrada em substituição a um medicamento, com a finalidade de suscitar ou controlar as reações, geralmente de natureza psicológica, que acompanham tal procedimento terapêutico.
17 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
18 Terapêutica: Terapia, tratamento de doentes.
19 Mãos: Articulação entre os ossos do metacarpo e as falanges.
20 Urgência: 1. Necessidade que requer solução imediata; pressa. 2. Situação crítica ou muito grave que tem prioridade sobre outras; emergência.
21 Mão: Articulação entre os ossos do metacarpo e as falanges.
22 Emergência: 1. Ato ou efeito de emergir. 2. Situação grave, perigosa, momento crítico ou fortuito. 3. Setor de uma instituição hospitalar onde são atendidos pacientes que requerem tratamento imediato; pronto-socorro. 4. Eclosão. 5. Qualquer excrescência especializada ou parcial em um ramo ou outro órgão, formada por tecido epidérmico (ou da camada cortical) e um ou mais estratos de tecido subepidérmico, e que pode originar nectários, acúleos, etc. ou não se desenvolver em um órgão definido.
Gostou do artigo? Compartilhe!